NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

5 razões para você ver Zoey's Extraordinary Playlist

Olá galera, tudo bem com vocês? Hoje eu vim trazer uma dica maravilhosa de série, em especial para quem gosta de dramédias românticas/musicais. Zoey’s Extraordinary Playlist é a nova atração do canal estadunidense NBC, e estreou dia 7 de janeiro com o seu piloto, trazendo muitos pontos positivos e inclusive emoções fortes já no seu começo. Para melhor expor os motivos pelos quais você deveria ver essa série, eu vou enumerar os cinco pontos altos que o piloto prometeu para nós, e assim falar sobre aquilo o que ZEP trouxe de melhor para o público expectador. Prontos para me acompanhar? Então lá vamos nós!



1 – A personagem principal, e a atriz incrível que a interpreta

Linda, talentosa e carismática, Jane Levy é a única pessoa no mundo que poderia interpretar a tímida Zoey Clarke, e isso fica muito claro já desde o primeiro episódio. O repertório de expressões faciais dessa mulher é infinito, e ela conseguiu deixar a personagem tanto humana quanto cativante. Sua capacidade para o drama é incrível, tanto que conseguiu me levar às lágrimas já no piloto, uma vez que atua de forma bastante verdadeira e emocional. E sobre a Zoey, só tenho uma coisa a dizer para vocês: não tem como não amar esse pedacinho de fofura e beleza, que é tão inteligente quanto atrapalhada em suas relações sociais. Zoey é aquele tipo de mulher que, apesar de brilhante, ainda tem muitas dúvidas acerca de si mesma, e isso acaba se refletindo em respostas desajeitadas e em algumas caretas divertidíssimas quando ela fica nervosa. Achei isso incrível, pois deu uma humanidade para a personagem como não é sempre que vemos hoje em dia, e também a tornou muito mais próxima de nós, meros mortais.




2 – O ambiente de trabalho e as relações entre os personagens


Série de amigos temos bastante, e também aquelas em que todos se dão bem no ambiente de trabalho. Uma história que mostre mais a realidade comum, no entanto, em que colegas nem sempre se conhecem muito bem, e que há competições e alguns preconceitos, bem... Isso é mais raro. Interessante notar que quase metade do piloto se passou dentro da empresa em que a Zoey trabalha, dando a entender que o universo da SPRQ Point vai dar o ritmo do resto da série. A cada episódio vamos ter novos desafios relacionados aos serviços de tecnologia que a empresa presta, e assim acompanharemos como Zoey e o resto da equipe interagem diante dos problemas que surgem. Sendo assim, essa série é perfeita para quem gosta da dinâmica entre colegas de trabalho, e também para os amantes do mundo da tecnologia, que vão se deliciar com as tramas que certamente vão ser apresentadas.


Neste tópico não podemos nos esquecer de citar a Joan, a chefe clássica que, apesar de evitar intimidade com seus subordinados, é onipresente e onipotente, estando a par de todos os deslizes que cada um dos membros da equipe comete. Lembremos aqui que a personagem é interpretada por ninguém menos que Lauren Graham, a Lorelai de Gilmore Girls, dispensando introduções acerca de seu talento e presença dominante em tela. Em resumo, o que eu queria falar é que Zoey’s Extraordinary Playlist traz um ambiente de trabalho empolgante e ao mesmo tempo crível, com relações encontradas no dia-a-dia de qualquer empresa que possa assinar a nossa carteira de trabalho.




3 – Drama e relação familiar

Quem poderia prever, pelo trailer a nós apresentado, que ZEP iria nos presentear com cenas de drama sensíveis e uma trama profunda quanto esta que o piloto nos legou? Para quem não sabe do que eu estou falando, o pai da personagem principal tem uma grave doença neurológica, a qual o deixou completamente paralítico e irresponsível. Tão grave é seu estado que ele não pode comer nem granola, pois com esse alimento ele pode se engasgar e até vir a morrer por falta de ar, e também não consegue conversar ou emitir qualquer sinal de que esteja compreendendo quando conversam com ele. A família de Zoey se pergunta se ele ainda entende o que falam, mas não tem esperança de saber a resposta para esta pergunta, o que apenas torna todo esse quadro ainda mais dramático. Por tudo isto, é lindo ver a relação da protagonista com sua família, em especial em relação a seu pai, e eu tenho certeza que você irá se emocionar muito ainda com esta trama, assim como eu já me emocionei.




4 – Romances


Sim, não podia faltar! Vamos falar sério, quem aqui não adora uma boa série com romance para darmos aquela shippadinha básica? E neste caso, assim como em várias outras produções, temos dois ships para escolher para quem torcer! Sim, um triângulo amoroso, e esse é páreo duro... Tanto Simon quanto Max são colegas de trabalho da Zoey, e interagem com ela de uma forma tão fofa e adorável que, com apenas um episódio, é difícil de tomar qualquer partido. Em uma entrevista que a Jane concedeu, ela admitiu ser tendenciosa e shippar a Zoey com um dos rapazes, porém não sabemos ainda a quem ela se referia. Confesso que fico muito curiosa para saber o que a atriz pensa a respeito dessa trama, e espero que futuramente ela nos revele o seu ship preferido, porque eu fiquei terrivelmente curiosa pra saber!




5 – Músicas pop e coreografias de encher os olhos

Quem aí ama um bom musical, porém estava cansado de só encontrar séries neste estilo protagonizadas por adolescentes no ensino médio? Pois bem, seus problemas acabaram! Agora nós temos uma série em que podemos acompanhar as nossas músicas preferidas sendo cantadas por gente talentosa, porém em uma trama mais adulta. Até a trilha sonora remete a um público mais maduro, uma vez que resgata aquelas velhas canções que fizeram parte de nossa juventude, e que agora são retrabalhadas de uma forma bastante emocionante dentro da trama. The Beatles, Cindy Lauper e Celine Dion são alguns dos artistas que têm suas músicas cantadas no piloto, e até os fãs de Cantando na Chuva ficam felizes ao ouvirem Good Morning neste novo musical, resgatando e homenageando esse clássico imortal.


Ainda que seja uma série adulta e com desenvolvimento emocional profundo, no entanto, ela ainda é leve em termos de cenas passíveis de classificação etária, não apresentando momentos sexuais nem mesmo palavrões ou violência explícita, o que faz com que seja uma série que pode ser assistida em família, com crianças e adolescentes presentes na sala. De fato, tenho certeza que muita gente mais jovem vai acabar por acompanhar e amar a série, assim como eu amei, e dessa forma fazer com que Zoey’s Extraordinary Playlist alcance o vasto e diversificado público que ela merece alcançar.




É isso aí, galera... Chegamos ao fim da resenha, e eu já estou ansiosa para saber quais de vocês vão seguir a dica e assistir Zoey’s Extraordinary Playlist! Se por um acaso decidirem acompanhar a série, voltem aqui no site e comentem o que vocês acharam do piloto, e o que esperam para os próximos episódios. Esperam que tenham gostado da matéria! Um beijo a todos, e até a próxima.


Gisele Alvares Gonçalves