NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Apreciando Laura Carmichael

Talvez muitos de vocês nunca tenham ouvido o nome dessa atriz antes… Talvez até já tenham visto ela em tela, mas não procuraram saber mais sobre sua carreira. E é por isso mesmo que estou aqui. Laura Elizabeth Carmichael é uma atriz inglesa que nasceu dia 16 de julho de 1986, em Southampton, Hampshire, e atualmente tem 34 anos. Graduou-se na Bristol Old Vic Theatre School em 2007, mas como nem tudo são flores no mundo, teve que enfrentar alguns trabalhos muito diferentes daquele que faria seu nome internacional. Sendo assim, ela acabou por trabalhar como recepcionista, assistente de professor e como babá antes de fazer sua grande estreia no mundo das atuações.


O mais triste é que ela só tenha feito dez séries e filmes até agora! Digo, os produtores e diretores estão dormindo no ponto se não conhecem o trabalho dela. Bom, eu devo confessar que conheço essa atriz de apenas quatro lugares, mas somente isso já fez com que eu me apaixonasse por ela. Quer saber quais são? Vem comigo, que eu tenho certeza que você irá se surpreender!



Madame Bovary

Papel pequeno, porém realizado com maestria. Em Madame Bovary, Laura Carmichael interpreta Henriette, criada de Charles Bovary, e depois da própria protagonista. Sem passado ou futuro, a personagem aparece constantemente assustada no filme, em especial por causa das más escolhas que Emma vai tomando ao longo da trama. Ainda assim, Henriette permanece fiel a seus patrões, e realiza todas as ordens que lhe são direcionadas.


Apesar dela aparecer tão pouco, recomendo muito este filme, caso você ainda não o conheça. Ele é um drama inspirado em um livro homônimo de Gustave Flaubert, que retrata uma mulher depressiva que busca no luxo e em casos amorosos algum sentido de vida. Para quem já viu o longa, pode acessar por este link a resenha que foi realizada aqui no site.


Um Reino Unido


Neste filme, Laura interpreta a irmã da protagonista, chamada Muriel Williams. Ela é uma personagem bastante secundária também, mas se torna alguém a quem o público pode amar, visto que é a primeira personagem a apoiar o romance de Ruth com Seretse. O amor fraternal entre ela e sua irmã é bastante lindo, e o engajamento de Muriel para que Seretse pudesse voltar ao seu país também é representado, ainda que discretamente. Em resumo, Laura Carmichael interpreta uma mulher à frente de seu tempo, que não distingue uma pessoa por sua cor, e que apoia o ideal do rei da Bechuanalândia de que todos possam conviver e serem iguais perante a lei.


Para quem não conhece, este filme retrata uma história real em que um príncipe negro se apaixona e se casa com uma londrina. Ele é um filme perfeito para quem gosta de romances poéticos, dramas intensos, porém sensíveis, e que possuam personagens bons enfrentando injustiças políticas. É um filme para quem acredita que o amor vence tudo, e que é o bem maior da humanidade, devendo ser sempre a prioridade, acima de qualquer governo. Para quem se interessou por ler mais a respeito do filme, deixo aqui o link para a resenha que fizemos para o site, Espero sinceramente que você assista esse filme, e que aprecie ele!


Downton Abbey


A nossa inesquecível Lady Edith Crawley, a irmã do meio de um trio de damas formidáveis, porém também aquela que não teve sorte no amor… Até o último episódio da série. Mulher à frente de seu tempo, aprendeu a dirigir e dedicou-se a escrever artigos para uma revista de Londres, até que eventualmente acabou se tornando a dona de tal revista. Mãe solteira, enfrentou muitos percalços para poder criar a sua filha, principalmente quando ainda não sabia se teria o apoio dos pais. Ela foi a mais subestimada das irmãs Crawley, e por muito tempo se ressentiu por isso, e talvez tenha sido esse mesmo fato que fez com que a Edith fosse a minha personagem favorita da série.


Agora que você já se lembrou da personagem, vamos falar da atuação da Laura, que sabe como ninguém interpretar uma Maria Sofrida. Se está duvidando de mim, é só recordar da cena em que Edith é deixada no altar por Anthony Strallan. Gente, quase me acabei chorando! Principalmente quando ela chega em casa, joga o véu de sobre as escadas e vai para o quarto. A fase da depressão da personagem é de cortar o coração, e tudo graças à interpretação de Laura Carmichael. Definitivamente, esse é o seu melhor momento na série.


De resto, Laura interpreta a personagem sempre com um ar choroso, mas discreto… Ela não tem arroubos de emoção, demonstrando que a vida de Edith é uma constante de infelicidade. Em algumas cenas podemos até ver certa autoridade em sua performance, como no momento em que a personagem revela à sua mãe e à sua tia que vai para o continente, afirmando categoricamente que não poderia mandar ninguém em seu lugar (porque ela queria resgatar a sua filha perdida, e não queria ninguém se metendo em sua decisão). Autoridade, sim… Mas não poder. Laura não deu, e com razão, uma personalidade muito forte a Edith, fazendo com que compreendamos por que ela sempre é a irmã que é deixada de lado, tanto nas conquistas sobre os homens quanto em relação aos pais.


Enfim, essa é a minha análise da atuação da Laura em Downton Abbey, série em que eu descobri a atriz e pela qual me apaixonei por ela. Aliás, se você não sabe, Downton Abbey teve um filme ano passado, encerrando de vez a história da família Crawley! E é claro que Laura faz parte do elenco, atuando como Edith mais uma vez. Quer saber o que achamos do longa-metragem? Então clique aqui para acessar a resenha, mas só faça isto depois de assistir à obra, pois o nosso texto está repleto de spoilers!




The Spanish Princess


Dando continuação ao papel em que Rebecca Benson atuou em The White Princess, Carmichael assumiu o manto de Maggie Pole, uma das últimas descendentes da linhagem Plantageneta no meio da corte Tudor. É até engraçado isso, pois apesar de ter se passado uns 15 anos entre a Maggie da série anterior e desta de que se trata este tópico, na verdade Laura tem apenas 4 anos a mais que Rebecca. Ainda assim, não se poderia ter uma melhor escolha para dar continuação ao papel, pois a Laura conseguiu pegar cem por cento da essência que a Rebecca já tinha dado à personagem, sendo que a transição nem foi sentida pelos fãs.


The Spanish Princess é o trabalho mais recente de Laura Carmichael, sendo que ainda está em andamento, tendo a data de estreia da segunda temporada sido marcada para dia 11 de Outubro. Para quem não conhece esse universo de adaptações dos livros de Phillippa Gregory, vou falar um pouco sobre a personagem da Laura: Maggie Pole era filha da dinastia inimiga dos Tudors, e cresceu sempre sob a suspeita de traição. Apesar disso, pela maior parte de sua vida tudo o que ela quis foi ser deixada em paz e ter uma boa vida com seu marido, filhos e o seu protegido, o príncipe Arthur, quem ela criou como se fosse um dos seus. Em The Spanish Princess, no entanto, ela se recusa a contar algo que iria estragar a vida da viúva de Arthur, e isso acaba lhe custando muito… Inclusive a vida de seu amado marido. Ela cai na miséria total, e tem que se separar de seus filhos por um tempo, já que não conseguia dinheiro nem mesmo para alimentá-los. Com raiva e indignada com a crueldade dos Tudors, ela se volta para seu primo Edmund de la Pool, e procura ajudá-lo a cumprir com o golpe que iria destronar o rei que ela tanto detestava. Suas estratégias, no entanto, acabam levando-na para a prisão, e somente a bondade da viúva de Arthur, Catarina de Aragão, consegue libertá-la e restituir seu lugar na corte, após a morte de seus algozes.


Com uma jornada de tantos baixos (é, porque altos quase não tem nenhum… Quando a gente pensa que a vida dessa coitada não pode piorar, o destino vai lá e estraga mais a situação da pobre Maggie), Laura teve que interpretar uma gama muito grande de emoções, tais como amor, dor, gratidão, ódio e repulsa. Seu momento de glória, é claro, é a despedida de seu filho menor, quando ela tem que entregá-lo a um monastério que impõe a regra do silêncio por não poder sustentá-lo. Gente, que dor! Ela já havia perdido tudo: família, casa, dinheiro, e estava prestes a perder também o seu filho, ou ao menos a voz dele. A emoção no rosto de Laura, nesta cena, leva lágrimas aos olhos do expectadores… A única coisa que estragou tal momento dramático foi a atuação do menino, que já mostrou que não tem muito talento para a carreira artística.


Você já conhecia The Spanish Princess? Não? Então o que está esperando, pessoa de Deus! Corre lá para assistir à série, e depois acesse a nossa resenha para descobrir o que pensamos a respeito da produção. O link para a resenha estará disponibilizado aqui, para ficar mais fácil para vocês encontrarem o texto.



Enfim chegamos ao final desta matéria! E aí, gostou do texto? Comenta aí embaixo se já conhecia o trabalho de Laura Carmichael, ou se já havia visto ela antes, porém não associava o nome à pessoa. De resto, deixo um beijo e um queijo para vocês, e uma vontade de que possamos nos encontrar em futuras resenhas por aqui. Até a próxima!