NoEDC.jpg
Buscar
  • Angers Moorse

Falcão e o Soldado Invernal - Episódio 4



Salve, salve, galera! Só tenho uma coisa a dizer: SEGUUUUUUUUURA O BARÃO DA PISADINHA QUE EU QUERO VER! Nosso amado Barão Zemo roubou a cena neste quarto episódio, distribuindo charme, simpatia e malandragem. E ainda tivemos o saco de pancadas John Walker apanhando de todo mundo, incluindo das Dora Milaje.


Inicialmente, preciso comentar sobre o visual da série. Estou amando pra caramba cada detalhe das cidades pelas quais a série está passando. Seja em Madripoor, seja em Latvia, o pessoal da cenografia está dando um show à parte! A própria forma como questões sobre cor, luzes, sombras e takes estão sendo analisadas e feitas é incrível.


Logo no início do episódio, meio que tomei um susto, embora soubesse que o final do episódio 3 remete a uma inclusão da conversa entre Ayo e Bucky nesse episódio 4. O que eu não esperava ver era o episódio já começando em Wakanda.


Aliás, essa visão noturna de Wakanda é de tirar o fôlego! Cara, eu moraria num lugar desses facinho, facinho! O contraste entre tecnologia e natureza foi trabalhado de forma espetacular. Aliás, essa foi uma das cenas mais lindas e emocionantes do episódio até agora, disparado… até a trilha sonora foi sensacional!


Falando na cena, nós vimos nos filmes anteriores do UCM que Bucky estava de boas em Wakanda, após os fatos ocorridos em Capitão América: O Soldado Invernal e em Pantera Negra. E que, em Vingadores: Guerra Infinita, ele foi tirado do sossego após a ameaça e posterior invasão de Thanos.


Só que ficamos com essa curiosidade sobre como ele conseguiu se libertar daquele lado sombrio e assassino dos tempos de HYDRA. Bem, tivemos a resposta logo no início desse quarto episódio, mostrando o ritual de passagem dele sob os cuidados de Ayo. Tá explicado o porquê de ter sido ela a escolhida para conversar com Bucky… fez total sentido agora.


A cena é tão profunda e tocante que é possível traçarmos um paradoxo dela para nossas vidas. Todos temos trevas e luz dentro de nós e, em algum momento, pendemos mais para um ou outro lado. O que acontece é que o peso de nossas decisões e atitudes nos persegue por toda a nossa vida, principalmente se alguém foi prejudicado ou afetado por conta disso.


No caso de Bucky, foram muitas vidas perdidas e pessoas atingidas por todas as suas ações. Quantas vezes não gostaríamos de voltar atrás e fazer as coisas de forma diferente? Quantas vezes não nos sentimos culpados por termos prejudicado pessoas inocentes? Quantas vezes não nos sentimos verdadeiros animais?


Infelizmente, voltar no tempo não é algo possível (ao menos, não no mundo real) e, mesmo que fosse possível, provavelmente cometeríamos erros ainda piores ao tentarmos consertar as coisas. A única coisa possível que podemos fazer é aprender com nossos erros e assumirmos todas as consequências de nossos atos… mas, ao mesmo tempo, tentarmos nos libertar de sentimentos ruins e que possam vir a se manifestar novamente e fazer com que nos tornemos as mesmas pessoas ruins de antes.



Por que essa reflexão? Porque é exatamente por este tipo de situação que Bucky está passando, e o ritual de passagem em Wakanda mostra a metamorfose dele, deixando (ou tentando deixar) para trás os traumas do passado e se tornando uma nova pessoa, uma pessoa melhor… pena que o sossego não durou tanto assim.


Ayo contesta a decisão de Bucky em libertar Zemo da prisão, mas, por causa da amizade entre eles, ainda dá uma chance ao Lobo Branco. São oito horas até que as Dora Milaje venham prender Zemo novamente… pela cara que ela saiu da conversa, a volta dela não será muito agradável, não.


Focando agora no trio principal, o bate papo deles é muito interessante. Barão Zemo entra em um ponto que nem mesmo Bucky e Sam haviam pensado antes. Ao discutirem sobre o soro de supersoldado e o que Karli poderia fazer com ele, Sam e Bucky defendem que o soro não corrompeu o Capitão América de Steve Rogers, e Zemo rebate com um argumento fulminante: nunca houve outro Steve Rogers antes… touchè!


E aí fiquei pensando: como será que Sam ou Zemo agiriam caso fossem afetados pelo soro? Será que seriam as mesmas pessoas, melhores ou piores? Será que a sede por poder não corromperia até mesmo o mais honrado dos personagens? Talvez, até nós mesmos poderíamos ser corrompidos pelos efeitos negativos dos poderes proporcionados pelo soro.


Mais à frente, enquanto Sam e Bucky quebram a cabeça para conseguir alguma informação sobre Karli, Zemo mostra seu lado amável e gentil a um grupo de crianças e descobre o local do velório de Mama Donya, morta no episódio 3. Fala sério, o cara é um baita personagem e fico muito feliz de ver que a Marvel está trabalhando muito bem todas as suas camadas na série… clap, clap, clap!!!


Enquanto isso, Sam ainda nutre um sentimento de que Karli é mais uma das vítimas da sociedade na qual está inserida após o blip e que ela faz o que faz porque acha que é algo nobre, a coisa certa a se fazer. Só que essa argumentação meio que cai por terra quando lembramos que ela é capaz de matar seja quem for para alcançar seus objetivos e proteger as pessoas ao seu redor.


Esse é um dos maiores impasses do episódio, que até acaba proporcionando momentos de muita tensão e decisões equivocadas de ambos os lados, principalmente entre eles e o novo Capitão América e seu aliado. Enquanto isso, Sharon Carter vai queimando seus cartuchos tentando ajudar os amigos… curti a presença dela no episódio, mesmo que muito breve.


Se as coisas já estavam tensas, ficaram piores ainda quando Walker e seu parceiro Lemar Hoskins se encontram por “acidente” com Zemo, Bucky e Sam. Aí, é peitada de um no outro, olhares atravessados e o alerta de “porrada à vista” aceso. Já comecei a esfregar as mãos e gritar “porrada, porrada, porrada”!


Em uma tentativa inicial de Sam conversar com Karli a sós, quem não curte nada a ideia é Walker, que já pensa em resolver a coisa de uma vez. Só que Bucky, e principalmente Zemo, conseguem convencê-lo a aguardar um tempinho antes de fazer merda… se bem que não deu muito certo também.



Destaque para o papo entre Sam e Karli. Dá pra perceber que ambos têm senso de justiça levemente parecido e que apenas querem que a justiça seja feita. Nenhum deles gostaria de fazer mal se isso não fosse necessário, mas a diferença entre eles é que Karli está pronta a matar pessoas para isso, ao contrário de Sam.


Nem preciso dizer que o babaca do Walker fez merda… eita raiva desse mala sem alça e rodinha! A partir daí, é pancadaria pra todo lado, com John levando a primeira surra… e Zemo roubando a cena again! O maluco consegue se soltar das algemas e foge bem de boas.


Karli acaba tentando fugir e é atingida por um tiro disparado por… quem? Ele mesmo, Zemo! Na tentativa de escapar do Barão, Karli acaba derrubando todos os frascos de soro de supersoldado que tinha consigo. E aí eu fiquei com uma baita dúvida e indignação: POR QUE DIABOS ZEMO NÃO PEGOU UM DOS FRASCOS DO SORO???


Ele simplesmente quebrou todos eles… até agora eu fiquei sem entender porque ele fez isso. Será que deixou de ser vilão e virou anti-herói? Remorso dos tempos de HYDRA? Tinha a certeza de que ele ia pegar escondido um dos frascos, mas não fez. Agora é que estou mais empolgado pelos próximos episódios e pelo que ele vai aprontar.


Enquanto isso, John Walker achou um frasquinho perdido e não pensou duas vezes: meteu ele no bolso do uniforme. É certeza que esse maluco vai tomar o soro e tocar o terror daqui pra frente, ainda mais que o teaser dos dois últimos episódios da série mostram Sam e Bucky saindo na porrada com ele… a treta vai rolar!


Momento calmaria no episódio (mas apenas por pouco tempo): papo cabeça entre Sam e Zemo sobre o soro e o receio sobre o surgimento de novos supersoldados (referências a Loki no papo entre eles). Quando Bucky entra na conversa, chega o mala do Walker querendo dar ordens na galera… acha que eles gostaram da ideia?



E a pancadaria rola solta novamente com a chegada das Dora Milaje. Walker resolve bancar o engraçadinho com elas e leva pau novamente. Enquanto isso, Zemo fica só de boaça incitando Sam e Bucky a entrar na briga enquanto toma seu whisky, bem sossegadão… dá até tempo para ele sair de fininho e sumir novamente. Pirei nessa cena!


Até Lemar leva porrada das meninas, que devolvem o escudo a Walker após darem uma baita surra nele. Foda é ver ele reclamando que elas nem eram supersoldados… cara imbecil esses, hein! Agora, de vez é que ele toma o soro e sai distribuindo pancada na geral.


Na segunda tentativa de aproximação de Sam e Karli, quase que Falcão tem sucesso. Só que ele e Bucky são interrompidos novamente por… adivinha quem? O mala do John Walker novamente (cara chato pra cacete… já peguei ranço dele!). Só que, dessa vez, as coisas saem do controle.


Para resumir a peleia: Barão Zemo sumiu, Lemar é morto por Karli, Sam e Bucky saem na pancada contra os Apátridas e John mata o melhor amigo de Karli com o escudo do Capitão América. E não foi uma morte comum não… o cara praticamente amassou o amigo de Karli com o escudo, mostrando o quão violento e incontrolável ele é.



Se sem o soro o cara já fez aquilo, imagina se tomar o soro… aí é trem desgovernado! Foda foi ver Karli presenciar a morte do amigo sem poder fazer nada para salvá-lo e, além disso, Sam e Bucky presenciando o massacre causado por Walker, com o escudo ensanguentado. Se eu já tinha ranço do novo Capitão América, o ranço virou raiva depois dessa.


Para finalizar, comecei a pensar em outra possibilidade para o Mercador do Poder, depois dos últimos acontecimentos. Será que ele não é o próprio Barão Zemo? Por descarte, Sam e Bucky obviamente não são. Lemar morreu neste episódio. Karli está sendo ameaçada e não teria como ela ameaçar a si mesma. E John Walker é muito burro para ser o grande vilão.


Assim, ficam três possibilidades: ou é alguém do Governo, ou é algum magnata que está agindo secretamente dentro do UCM, ou é o próprio Barão Zemo. Fora isso, qualquer outra possibilidade seria uma baita surpresa.


Resumindo: cenas quentes e fortes, Zemo roubando a cena, Sam tentando entender o lado de Karli e duas mortes na última luta, incluindo uma delas de forma violenta por Walker, que chocou 100% dos fãs de Steve Rogers ao redor do mundo… ah, e o escudo do Capitão América manchado de sangue frente a uma multidão. Mais tenso que isso, impossível!


Só lembrando que a Disney optou, assim como em WandaVision, a liberar e exibir episódios semanais da série. Assim, teremos resenhas semanais de Falcão e o Soldado Invernal aqui no site. Fiquem ligados nas novidades, e nos vemos na próxima resenha!