NoEDC.jpg
Buscar
  • Angers Moorse

Falcão e o Soldado Invernal - Episódio 5



Salve, salve, galera! Depois de um episódio tenso e cheio de cenas fortes, este episódio 5 também não deixou a desejar em nada. Lutas insanas, o escudo do Cap trocando de dono e uma personagem misteriosa chegando… além de algumas suspeitas sobre a identidade do Mercador do Poder.


Antes de entrar na resenha em si, preciso destacar o visual e a trilha sonora do episódio… ficou tudo perfeito! Sobre o visual, tanto as cenas em ambientes fechados quanto as cenas em ambientes abertos tiveram a tonalidade e as cores certas nos momentos certos.


As tomadas de câmeras e o uso dos recursos de zoom-in e zoom-out ou os takes mais próximos deram um charme ao episódio. Além disso, a trilha sonora conseguiu trazer o clima certo na hora certa… só a parte antes da abertura oficial do episódio já dá um arrepio na gente!


Elogios feitos, vamos ao que interessa. Depois de uma batalha tensa e com final catastrófico para John Walker, fica claro que ele não está à altura de ocupar o posto de novo Capitão América. O desequilíbrio emocional e psicológico dele ficou explicitado ao usar o escudo para matar o amigo de Karli depois de ver Lemar morrer.


Agora, a cabeça do cara tá mais pirada que a da Karol Conká (BBB 21 na veia!). Convicto de que fez a coisa certa, o cara resolveu peitar todo mundo, desde Sam e Bucky até mesmo a cúpula do exército e Governo norte-americano. Obviamente, isso ainda vai dar merda no futuro e pode render um ótimo gancho para uma segunda temporada, ainda mais que ele tem o único frasco restante do soro de supersoldado e, ao que parece, ainda não usou… pelo menos, não ficou claro isso.



Por sua vez, Sam e Bucky decidem enfrentar Walker cara a cara, e essas cenas de luta entre eles foram espetaculares! Cara, pirei em cada momento, cada soco e cada chute. Deu até vontade de entrar na peleia e encher a cara de Walker de porrada também!


Para aumentar ainda mais minha raiva, o babaca resolve falar “Eu sou o Capitão América”... aí já viu, né! Sam e Bucky (e eu de casa) partiram para cima dele em um movimento bem sincronizado, conseguindo arrancar o escudo e dando uma finalização digna daquelas lutas de wrestling em duplas… cena mitológica essa!


Outra parte maravilhosa foi ver John Walker perdendo cargo, patente e o título de Capitão América diante de um julgamento do exército e do governo. Acham que ele gostou da ideia? Nem um pouco, tanto que deu meio que uma ameaçada em todo mundo… aguardem mais confusões desse maluco pela frente.


Depois dessa treta toda e de uma aparição inesperada, ele foi conversar com a família de Lemar e prestar sua solidariedade com eles. é inegável que a amizade entre os dois era grande e verdadeira e que Walker era, por assim dizer, parte da família de Lemar também.


Por mais que eu deteste ele, achei que fez a coisa certa ao visitar a família de seu melhor amigo. Contudo, por mais que sua atitude tenha sido nobre, isso não desfaz o fato de ele ser um idiota… deveria ter ouvido mais seu amigo. Quem sabe as coisas teriam sido diferentes… mas não dá para consertar o erro, apenas aceitar e conviver com ele. Voltaremos a falar de Walker mais para frente… vamos mudar o foco agora.


O desabafo de Karli sobre tudo o que aconteceu com seus colegas Apátridas e sobre as vidas perdidas traz uma profunda reflexão. A fala dela é muito importante e pode ser muito bem aplicada aos tempos atuais. Da mesma forma que ela questiona quantas vidas precisarão ser perdidas para que os refugiados sejam ouvidos, fica a indagação: quantas vidas serão perdidas até que tomemos a consciência de que nossa humanidade precisa mudar?


Seja na pandemia, seja sobre guerras, refugiados, pobreza, desigualdades sociais, racismo, preconceito, homofobia e outras tantas barbáries, quantas vidas precisarão deixar de existir para nos darmos conta de que estamos seguindo por um caminho errado e sem volta? Ou será que estamos tão cegos, surdos e mudos para o que acontece ao nosso redor?


Detalhe da cena é o zoom-in no coelhinho de pelúcia no chão, simbolizando a perda da inocência, da pureza e do amor. As próprias feições do bichinho e a forma como Karli o joga no chão após o discurso refletem que algo precisa ser feito, de forma brusca e com urgência. Será que não estamos indo para uma mesma necessidade?


Reflexões feitas, foco em algo pelo qual eu não esperava. Sinceramente, achei que o Barão Zemo sumiria do mapa por um tempo e depois retornaria triunfante… mas não foi bem o que aconteceu. Vemos ele, calmamente, refletindo sobre a vida em Sokovia (gancho para o filme Viúva Negra?) e aguardando a chegada de Bucky. Como ele sabia disso, não faço a mínima ideia.



Depois de um papo cabeça e bem esclarecedor, vemos que um não nutre raiva ou ressentimentos pelo outro. Entretanto, quando Bucky apontou sua arma para Zemo, meu coração tremeu na base e começei a suar frio. Será que ele iria matar seu “criador”? Na boa, tudo bem que o Zemo não é flor que se cheire, mas não merecia morrer ali, daquela forma.


Por sorte, os planos de Bucky eram outros e, conforme anunciado no episódio 3, as Dora Milaje fazem a captura dele e o levam a Wakanda. Ficou muito show a cena, cheia de suspense, frio na barriga e um desfecho bem bacana, com direito a pedido surpresa de Bucky a Ayo… falaremos dele mais pra frente.


Sam, por sua vez, decide procurar novamente Isaiah Bradley, que conta toda sua história a ele. Prepare os lencinhos, porque é impossível não se emocionar com a narrativa de Bradley… o cara comeu o pão que o diabo amassou, mesmo tendo salvo a vida de vários soldados.


E o papo entre os dois é muito interessante, principalmente sobre o legado e o escudo do Capitão América e sobre a possibilidade de um Cap negro surgir. Achei muito bacana essa discussão, ainda mais por trazer à tona um assunto tão relevante e que tem gerado muita polêmica e, infelizmente, muita violência também.


A decisão de Sam assumir (ou não) o manto de Capitão América ainda tem mais algumas questões importantes. Após a conversa com Isaiah, Sam decide voltar à família e reconstruir o barco, contando com a ajuda de amigos e moradores locais e de uma inesperada mãozinha de Bucky.



Aliás, Bucky rouba a cena nessa parte, dando em cima de Sarah (Adepero Oduye) algumas vezes… já estou shippando esse casal! Aliás, Oduye é maravilhosa no papel, trazendo humor e seriedade nos momentos certos e na dose certa a cada cena… simplesmente, foi a escolha perfeita. E, ao que parece, Sam está quase ganhando um cunhado novo… será que vai rolar? Tomara que sim!


Ah, lembra da encomenda de Bucky para Ayo? Então, quando ele reencontra Sam no pier e fica para ajudar a reconstruir o barco, ele traz uma caixa misteriosa para Sam vinda diretamente de Wakanda, que só chega a abrir no final do episódio mas não vemos o que tem nela… mistério.


O primeiro palpite é que seja um novo par de asas para seu traje de Falcão, uma vez que Walker arranca as asas de Sam durante a luta no início do episódio. Maaaaas, pode ser outra coisa bem mais legal… algum palpite aí? Até pensei em um novo escudo mas, como Sam ficou com o original, não sei se precisaria de outro… a não ser que fosse um escudo de adamantium/vibranium, aí seria massa!


Tô viajando na teoria do escudo? Sim e não. Sim, porque não tivemos nenhuma menção explícita ainda sobre os mutantes no UCM. A primeira opção seria confirmar a Feiticeira Escarlate como mutante, mas, pelo que vimos em WandaVision, ela é uma bruxa e, até agora, nem sinal de Wolverine, Fera, Vampira, Magneto & Cia.


Por outro lado, não seria tanta viagem assim, uma vez que o próprio Rei T’Chala foi casado com Tempestade e viveram em Wakanda, o que abriria uma possibilidade de mutantes e wakandianos terem trocado conhecimento e tecnologias em algum momento. Com isso, teria uma possibilidade de Shuri desenvolver um novo escudo mesclando o vibranium de Wakanda com o adamantium injetado no corpo de Wolverine. Pode ser só loucura de um fã, mas piraria se isso acontecesse mesmo!



No final das contas, Sam acaba pesando todos os acontecimentos e, depois de conversar com Sarah e Bucky, decide ficar com o escudo e assumir o legado de Steve Rogers. E já começou mandando ver nos treinamentos com o escudo! Inclusive, fez tabelinha nos arremessos e pegadas com Bucky, que também mandou bem nas manobras.


Ficou algo mais ou menos parecido com a história do Mjolnir usado em dupla por Thor e Capitão América em Vingadores: Ultimato. Provavelmente, os dois dividirão o escudo em alguma luta no último episódio… quero muito ver essa cena rolando!


Agora, pergunta para nosso público feminino: entre Sam x Bucky, quem é o mais gato aí? Confesso que a disputa entre eles tá complicada! De acordo com as minhas pesquisas, a coisa anda meio fifty-fifty. De um lado, a carinha de bom moço de Bucky e, do outro, o lado mais imponente de Sam. Deixe nos comentários sua opinião a respeito. Para mim, empate técnico.


Voltando para Karli, a última cena dela finalmente (re)apresenta o personagem Georges Batroc (interpretado por Georges St. Pierre), apresentado em Capitão América: O Soldado Invernal. Diferente dos quadrinhos, o Batroc do UCM é ele é um pirata e mercenário algeriano, metido com organizações terroristas e exímio interceptador de dados sigilosos de organizações.


Aqui, ele chega com uma maleta cheia de armas e bombas, ao que parece. Pela cara de felicidade de Karli, as novas armas são bem poderosas e farão um baita estrago nos próximos ataques. Pelo visto, a treta vai ser louca no último episódio.


Voltemos agora para John Walker e a apresentação do tão misterioso personagem anunciado por Kevin Feige e os produtores da série. Logo após a saída dele do julgamento e enquanto conversava com sua esposa, uma mulher aparece: Valentina Allegra de Fontaine, ou Condessa Valentina Allegra de Fontaine (Val, para os mais íntimos), interpretada por Julia Louis-Dreyfus.



Ela chega cheia de razão e já vai metendo minhocas na cabeça de Walker a respeito do escudo, dos Apátridas e do soro de super-soldado que ele utilizou (não sei se é blefe dela ou se Walker realmente já usou o soro em si mesmo). Na saída, deixa um cartão de visitas sem nada escrito nele (branco de um lado e preto do outro)... e agora, Juvenal?


Mas, quem é essa personagem? Nas HQs, ela usa a alcunha Condessa e sua primeira aparição foi em 1967, na HQ Strange Tales #159. Ela foi parte da equipe de Agents of S.H.I.E.L.D. e teve até um relacionamento amoroso com Nick Fury, além de flertar com o Capitão América de Steve Rogers… menina não perde tempo não!


Além disso, ela já fez parte da H.Y.D.R.A., assumindo o manto de Madame Hydra, anteriormente usado por Ophelia Sarkissian (guarde esse nome, pois deverá aparecer referenciado futuramente no UCM). E mais, ela tem ligação direta com a saga Invasão Secreta (que já tem série confirmada no Disney+) e ainda pode ser uma das responsáveis pela criação da equipe de vilões Thunderbolts (com o General Ross como Hulk Vermelho, já pensou?). É a Marvel juntando os pontos e fazendo as futuras conexões dentro do UCM!


Finalizando a análise, ainda precisamos comentar sobre as possibilidades da identidade do Mercador do Poder. Inicialmente, havia pensado em três hipóteses: ou ser alguém do Governo, ou ser algum magnata que está agindo secretamente dentro do UCM ou ser o próprio Barão Zemo. Contudo, a terceira hipótese já foi pro saco.


Com isso, quem poderia ser o Mercador do Poder (ou a Mercadora do Poder) seria a própria Condessa, infiltrada no governo como um Skrull (isso aconteceu nos quadrinhos) ou ser aliada a alguém ainda mais poderoso e influente e diretamente ligado à saga Invasão Secreta.


Porém, há outra possibilidade interessante que a Marvel vem jogando na nossa cara desde sua primeira aparição na série e, por ser tão óbvia assim, achamos que é a menos provável: Sharon Carter. Ela tem raiva do governo e dos próprios Vingadores, possui e comercializa diversas obras de arte originais e tem contatos muito importantes, rápidos e influentes para descobrir as coisas.


Com todo o treinamento dela e aquela carinha de anjo, seria difícil imaginar nela uma vilã tão casca grossa assim. Mas, como já aprendemos da pior (ou melhor) forma possível em WandaVision a acreditar nas coisas mais óbvias, é bom ficar de olho na gatinha, pois ela pode ser a verdadeira Mercadora do Poder.


Agora, hora da tremedeira e do hype estratosférico, pois temos duas cenas surpreendentes! Durante a reunião do CRG para votação do Ato de Remendo, uma invasão virtual acontece no meio da votação e uma imagem levemente conhecida surge nos telões… será que Arnim Zola ainda está vivo e é o verdadeiro Mercador do Poder? Juro que essa cena me deu arrepios… “corte uma cabeça e duas surgirão”!


Ao final do episódio, alguns fechamentos bem interessantes, como o de Sam e sua família e de Bucky com o Barão Zemo, Sam assumindo de vez o escudo do Capitão América, John Walker doido pra se vingar de tudo e todos e uma nova personagem chegando para abalar as estruturas. Ah, e os Apátridas se preparando para um derradeiro ataque, além do mistério envolvendo o Mercador do Poder.


Só lembrando que na próxima sexta teremos a Season Finale de Falcão e o Soldado Invernal, com direito a resenha aqui no site. Então, fiquem espertos e preparem a pipoca, porque o último episódio será alucinante e épico!


AAAAAAAHHHHHHHH!!!


Acharam que eu tinha esquecido de alguma coisa? Pois é… confesso que, da primeira vez em que vi o episódio, passei batido por essa cena também. Deu tempo de corrigir e trazer para vocês a CENA PÓS-CRÉDITOS do episódio… e ela foi de pirar cabeças!



Lembram do som de Tony Stark construindo sua armadura em Homem de Ferro? Então, é a mesma pegada aqui, com John Walker construindo um novo escudo com direito a uso da medalha ganha no exército, confirmando a transformação dele no Agente Americano.


Nos quadrinhos, o anti-herói já teve ligações com o Mercador do Poder, Vingadores da Costa Oeste, Júri, Invasores e foi comandante da Tropa Ômega. Além disso, ele já tretou com Máquina de Combate, Gavião Arqueiro, Krees, Dispersora e Mandarim (olha a ligação dele com Shang-Chi aí). Resumindo, o cara é badass!


Minhas dúvidas sobre ele são: qual material ele está usando para fabricar o escudo e quem está dando suporte a ele, além da Condessa (imaginando que ela seja uma das apoiadoras dele)? Será que ele tem ligação direta (ou indireta) com o Mercador do Poder? Preparem-se, porque o último episódio vai ser O BICHO!!!