NoEDC.jpg
Buscar
  • Angers Moorse

Falcão e o Soldado Invernal - Episódio 6 - Season Finale



Salve, salve, galera! E chegamos (infelizmente) ao fim de mais uma série da Marvel Studios, com direito a muita emoção, ação, discursos interessantes e perspectivas para uma segunda temporada. Além disso, algumas confirmações e outras dúvidas.


Inicialmente, preciso destacar que foi outro episódio show de bola no quesito visual. Por ter sua maior parte da trama acontecendo durante à noite, a combinação entre tons mais escuros e com maior presença de ambientes sombrios e as luzes de carros de polícia, helicópteros e holofotes brilhantes fizeram um contraste muito bacana.


Não sei bem o porquê, mas me lembrou bastante a pegada de Batman - O Cavaleiro das Trevas, do diretor Christopher Nolan. Talvez, por conta justamente da pegada mais sombria do episódio. Isso mostra que, se a Marvel quiser dar uma trabalhada no lado mais dark em suas produções, ela sabe fazer isso no capricho.


Falando da trama em si, o episódio 6 inicia exatamente de onde o episódio 5 acaba, ou seja, do novo ataque dos Apátridas à reunião do CRG para votação do Ato de Remendo. Não sabemos quem é que aparece nos telões, mas ainda acho que é alguém importante para o futuro do UCM… ou não.


Primeiro detalhe importante a mencionar é a tecnologia de disfarce usada por Sharon Carter logo no início do episódio é a mesma usada por Natasha Romanoff em Capitão América e o Soldado Invernal, em 2014. E o porquê disso? Simples, para se manter disfarçada depois dos acontecimentos de Capitão América: Guerra Civil... ou não?


A primeira impressão é a de que ela usou essa tecnologia para se manter oculta do exército e governo norte-americano. Mas, há indícios de que ela pode ter outros objetivos que justifiquem o uso dessa tecnologia, alguns deles justificados ao final do episódio (chegaremos lá logo mais).


A minha pergunta nessa questão é: tecnologia Stark ou Skrull? Eu ainda fico achando que a tecnologia dessa máscara pode ter sido criada pelos Skrulls, o que daria mais um reforço à vinda da saga Invasão Secreta ao UCM, sendo a nova grande saga das próximas fases... tem truta nesse lago.



Lembram do presentinho de Bucky para Sam ao final do episódio 5? Pois bem… realmente, era um novo traje do Capitão América com tecnologia de Wakanda… e com direito até a um novo Asa Vermelha e um belo par de asas no traje de Sam! E, cá pra nós, que traje MARAVILHOSO!!! Cara, deu vontade de ter um traje desses também… imagina a facilidade para se livrar do trânsito!?!


Com traje novo, Sam já chegou tocando o terror, mostrando do que é capaz. Pausa para um comentário feito (novamente), perguntando se o Capitão América não estava na lua. Afinal, que diabos ele estaria fazendo lá??? Essa é uma questão que ainda precisa ser bem explicada pela Marvel, porque tá bem estranha.


Enquanto Sam cuida de Batroc, Bucky e Sharon dão um jeito de conter a evacuação do prédio, provocada por Karli e os Apátridas. Nisso, Karli dá aquela trollada planejada em Bucky, levando ele em um papo bem interessante e permitindo a evacuação dos membros da CRG. Pô, Bucky, que vacilo, hein!?!


Na luta entre Sam e Batroc, o mercenário dá uma de Bruce Lee para cima de Sam, se achando o ninja… marrento é pouco para descrever ele. Enquanto isso, Sharon dá um jeito em um dos colaboradores dos Apátridas, usando um dispositivo pra lá de estranho e com uma luzinha verde ao centro… tecnologia Skrull, será?


Após corroer o cara, já comecei a desconfiar das reais intenções de Sharon. Até ali, mesmo com todas as teorias, ainda estava dando um voto de confiança a ela mas, depois do que fez, passei a achar que ela não era bem o que eu imaginava.


Finalizando a luta contra Batroc, Sam deixa o cara catando coquinho e faz uma saída fodástica, deixando o mercenário com aquela cara de quem não entendeu nada. Tipo, quem é o Zé Ruela na fila da pipoca? O cara não é nada perto do novo Capitão América! Além de ficar irada essa cena, ainda deu pra rir bastante da cara de Batroc.


Outra cena massa demais foi a perseguição de Sam ao helicóptero do pessoal dos Apátridas, contando com a ajuda do companheiro Asa Vermelha. E que tecnologia animal de ambos! Wakanda caprichou no presente mesmo!


Teve até direito a escudo protetor e um monte de artimanhas sinistras, conseguindo dar um jeito nos dois helicópteros e, ainda por cima, sair aplaudido pelas pessoas… pelo jeito, o povo já aprovou o novo Cap (e nós também!).



Enquanto isso, Bucky tenta dar um jeito de salvar os membros da CRG dos caminhões usados pelos Apátridas. Inclusive, eles usam uma tranca pra lá de estranha. Fiquei com a impressão de que essas trancas foram fornecidas por Batroc no final do episódio 5, mas não tenho essa certeza ainda de onde elas vieram. Se for isso mesmo, resta saber como e de quem o mercenário conseguiu essa tecnologia.


Após o resgate bem sucedido, pela primeira vez, Bucky sente-se importante e feliz em receber um agradecimento de alguém que ajudou a salvar. Bem que ele já estava merecendo ter esse reconhecimento e foi muito bacana ver a cara de felicidade dele… mereceu!


Treta rolando, e John Walker aparece para acertar as contas com Karli, exibindo seu novo escudo (aquele mesmo feito na cena pós-créditos do episódio 5). Chega cheio de razão, mas logo percebemos que não tinha tecnologia alguma no escudo... até lata de sardinha resiste mais que a criação dele.


Nem preciso dizer que, mais uma vez, Walker foi o saco de pancadas do episódio. Mereceu a surra que levou, embora não estivesse torcendo pelos Apátridas… mas o cara pediu pra levar pau, convenhamos. Mesmo assim, ainda peitou Karli novamente, o que confirmou a teoria de que ele já havia tomado aquele soro de supersoldado roubado.


Enquanto Bucky luta contra alguns Apátridas, Walker vê-se numa sinuca de bico entre prender Karli e salvar as pessoas dentro do outro caminhão. Mesmo não gostando do cara, foi tenso ver ele ficar entre a cruz e a espada e escolher ajudar Bucky e Sam a salvar as pessoas, deixando Karli fugir… e com direito a mais uma chegada triunfal de Sam.



Tipo, a guria estava ali, totalmente vulnerável e pronta para ser pega e ele poderia ter tido sua chance de vingança por conta da morte de Lemar. Porém, acho que ainda havia algo bom nele, que fez com que ajudasse a salvar as pessoas. No final das contas, o cara até jogou fora o escudo de lata de sardinha e abandonou de vez o posto de Capitão América… melhor para nós.


Contando com a ajuda de Batroc (olha ele de novo aí), Karli foge e é perseguida por Sam… e é aí que as coisas ficam interessantes! Confirmando a teoria, a própria Sharon Carter é a Mercadora do Poder (WHAT!?!) e chegou a trabalhar em parceria com a própria Karli. Entretanto, por terem ambições e pensamentos diferentes, foram para lados opostos na guerra.


Quando Sam ouve os tiros e chega onde ela estava, vê Karli apontando uma arma para Sharon e Batroc morto no chão. Ou seja, na cabeça dele, Karli é a vilã de toda a história e Sharon, para tentar se defender, atirou e matou o mercenário, sendo atacada pela Apátrida.


Por Sam ainda ter esperanças de resgatar Karli e a trazer para o lado do bem, ele se recusa a lutar com ela, que não tem dó nem piedade e parte pra cima dele. Na cabeça dela, queria que Sam revidasse e, com isso, ter justificativas para matar o novo Capitão América e se tornar um símbolo.


Se matasse Sam, ganharia ainda mais força e respeito dentro e fora do movimento e, caso morresse, se tornaria um símbolo de resistência e tornaria o movimento ainda mais forte. De um jeito ou de outro, ela meio que conseguiu o que queria…e contando com a moral de Sam perante o pessoal do CRG.



No final das contas, Sharon acaba matando Karli para, supostamente, salvar Sam. Com Karli morrendo em seus braços e sendo carregada por ele até a ambulância (confesso que foi emocionante essa cena) e os policiais, Sam entra em um discurso filosófico e político perante o Conselho… já já, entraremos nesta questão.


Antes disso, John e Bucky unem forças e conseguem emboscar e prender boa parte dos Apátridas que tentavam fugir. Mas as reviravoltas não param… quando você pensa que eles vão pra cadeia, são resgatados por alguns membros infiltrados na polícia. E quando pensamos que eles vão se dar bem no final das contas, o caminhão é explodido por, ninguém mas ninguém menos, que o mordomo do Barão Zemo (WTH!?!)... olha o Barão da Pisadinha aprontando novamente!


Falando nele, soubemos que ele está preso na Balsa, a mesma onde Stark colocou Homem-Formiga, Falcão, Feiticeira Escarlate e Gavião Arqueiro no final de Capitão América: Guerra Civil… e onde eu acho que tem algum mutante preso ali também. Vai saber o que tem lá dentro?!?


Antes de falarmos sobre o discurso do novo Cap, tivemos o fechamento de Bucky com sua Psicóloga, a Dra. Raynor, com direito a agenda com todos os nomes riscados, o que mostra que Bucky já mostrou que está se redimindo. Além disso, ele conta toda a verdade ao pai de Nakajima, o simpático velhinho Yori… outra cena de cortar o coração ao meio.


Sam tem outra conversa com Isaiah Bradley sobre sua decisão de assumir o manto do herói, o que talvez seja uma inspiração tanto para o filho de Isaiah se tornar o Patriota e fazer parte da futura formação dos Jovens Vingadores quanto para Danny Ramirez se tornar o próximo Falcão, uma vez que isso acontece nos quadrinhos e tem todas as possibilidades de acontecer dentro do UCM.



Outra cena emocionante foi o reconhecimento e a homenagem feita por Sam a Isaiah no Memorial Smithsonian, com uma estátua especial e uma dedicatória a todos os feitos do amigo. Além disso, teve aquela cutucada básica nos governantes, para que saibam reconhecer o verdadeiro valor de seus heróis, e não apenas os tratar como números ou objetos de estudo e experiências… cena épica dentro do UCM!


Sobre o discurso de Sam como o novo Capitão América, concordo totalmente com os argumentos utilizados por ele. É fácil demais julgar pessoas e suas ações sem analisar todo o contexto, e isso pode ser aplicado perfeitamente ao nosso mundo real e atual. Quantos governos não fazem esse tipo de coisa? Quantas pessoas não são excluídas e marginalizadas todos os anos por conta de decisões equivocadas e mal pensadas?


Cada vez que damos margem a esse tipo de coisa, potencializamos movimentos revolucionários e ao surgimento de líderes radicais. é aquilo que Arnim Zola falava: “corte uma cabeça e duas surgirão”. Se, ao invés de lutarmos contra pessoas e movimentos simplesmente as tachando de terroristas, tentássemos entender as causas delas e a pensar em formas de ajudar, certamente nosso mundo seria outro, muito mais humano.


O discurso de Sam deveria ser levado muito a sério por todos os governantes, tanto na questão do terrorismo em si e sobre como ele é visto, quanto na própria questão racial abordada. Sam é negro e assume o manto de um homem branco e de olhos azuis. Só essa mudança já gera revolta, desrespeito e discriminação por parte das pessoas, e não é difícil de entender.


Somos todos iguais, pertencemos ao mesmo mundo. Somos todos da mesma espécie e habitamos o mesmo planeta. Então, por que tanta diferença, tanta desigualdade, tanto preconceito? será que não seria mais fácil nos unirmos em vez de criarmos divisas, muralhas e barreiras, sejam elas físicas ou psicológicas? Fica a reflexão, pessoal.



Por último (mas não menos importante), quem acabou se dando bem também (ou não) no final das contas foi o próprio John Walker. Apoiado pela Condessa Val, temos a confirmação e a chegada do Agente Americano ao UCM, com direito a uniforme igual ao dos quadrinhos. E ela deixa no ar que uma outra equipe de super-heróis será formada em breve.


As apostas são ou os Vingadores da Costa Oeste ou os Thunderbolts, que já é um pedido antigo dos fãs e uma das apostas mais certeiras que a Marvel poderia fazer no futuro. Se levarmos em conta que Invasão secreta será lançada futuramente, os próprios Thunderbolts poderiam ser uma resposta direta do Governo a essa ameaça, obrigando o retorno dos Vingadores para consertar o caos gerado nos confrontos dessas duas forças.


O que achei do último episódio? Sensacional! Vários fechamentos, Sam e Bucky confirmando a amizade e parceria entre eles, a derrota (parcial) dos Apátridas, as novas leis feitas pelo Governo favorecendo a população afetada pelo blip e tachada de terrorista (discurso de Sam fez um baita efeito).


Além disso, a confirmação do novo título Capitão América e o Soldado Invernal, apenas lembrando que, horas depois do lançamento deste último episódio, Disney e Marvel confirmaram que haverá o filme Capitão América 4 (Uhuuuuuuuuuulll!). Agora, fica a dúvida: as pendências desta primeira temporada serão resolvidas em uma futura segunda temporada ou no próprio filme?


Resumo da ópera: foi o fechamento que a série merecia, abrindo várias portas para as novas produções impactarem ainda mais nos futuros desdobramentos do UCM. Ao final de Falcão e o Soldado Invernal, temos a paz e o amor reinando nos corações de todos… ou será que não?


ALERTA!!!


Se você pensa que o último episódio passou batido sem cenas pós-créditos, está redondamente enganado… e essa cena vai fundir seus miolos! Depois da missão bem sucedida na captura de Karli e na desmantelação dos Apátridas, o governo decide dar perdão total a Sharon Carter e a reintegrar à sua antiga equipe.



Ocorre que, logo ao sair de sua audiência, ela faz uma ligação para alguém importante, que não sabemos quem é. Ela pede para avisar os compradores que terá acesso a todo o tipo de tecnologias, algumas extremamente sofisticadas… e aquele olhar maroto e o sorrisinho irônico dela chegam a gelar a espinha!


Afinal, para quem a Mercadora do Poder trabalha de fato? Seria Victor Von Doom ou Norman Osbourne? Ou seria ela uma Skrull do mal infiltrada? Uma vez que, ao que parece, a grande saga das próximas fases do UCM será mesmo Invasão Secreta, teremos Doutor Destino ou Duende Verde como os grandes vilões? E, com eles, veremos em breve Quarteto Fantástico e X-Men chegando?


Agora, estou ainda mais louco para acompanhar as séries Loki e, principalmente, Invasão Secreta, que darão uma bagunçada geral no Multiverso e poderão impactar diretamente no futuro da humanidade. Ah, e aguardem nossas resenhas semanais dessas séries assim que elas forem lançadas. Nos vemos em breve, galera!