NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Legacies - S2E10

Olá a todos, tudo bem por aí? Aqui a minha cabeça está fervilhando com o novo episódio de Legacies, que foi certamente um dos melhores da segunda temporada até agora! Aliás, foi tão impactante esse capítulo que eu não quero perder tempo com enrolação hoje, então vamos direto ao que interessa: Alyssa Chang. Na resenha anterior eu admiti meu medo da Julie Plec começar a socar gente na série e não ir trabalhando ninguém de uma forma mais profunda… Bom, com este episódio eu dei com a língua nos dentes, pois além da Alyssa ter ganhado um destaque que, sinceramente, eu não esperei que fosse acontecer, também o Wade ganhou plot próprio, além de asas e pozinho mágico. Até mesmo a xerife Mac, que estava esquecida há muito tempo, deu as caras para nos dizer que os planos de um novo ship para o Alaric continuam a todo o vapor! Por tudo isso, eu devo um pedido de desculpas para a J.P., ainda que continue com vontade de puxar suas orelhas… Afinal, Kaleb está há muito mais tempo na série do que o Wade, e ainda assim foi deixado por último na fila do desenvolvimento de plot.

Falando em Wade… O que vocês acharam do fato dele ser uma fada? Eu vi gente na internet reclamando dessa revelação, falando que foi sem noção e que os efeitos foram ruins. Em primeiro lugar, quando é que algum efeito em Legacies foi bom? Fala sério, como é que a pessoa vê essa série e ainda espera que ela seja qualquer outra coisa além de trash? Vamos aceitar a realidade, dói menos. Em segundo lugar, devo confessar que amei o fato de termos ainda outra criatura estudando na Escola Salvatore, e só teria sido mais épico se o Alaric estivesse lá para ver o Wade desabrochar… Quase que literalmente. Só acho que não deveriam chamar ele de “faery”, e sim de “fae”, que até onde eu conheço é a forma masculina da criatura. Não que eu entenda muito sobre fadas também! Só estou dizendo o que eu li no livro Senhora das Névoas, que aliás eu recomendo.



Quanto à Alyssa… Gente, alguém mais ficou torcendo para que exista um ship real entre ela e o Jed? Nosso lobinho merece mais destaque na série, e essa é a oportunidade ideal para que isso aconteça. Além do mais, imagina a nossa nova bitch preferida apaixonada? Ela seria uma Katherine Pierce 2.0! Gente, só de pensar nisso já fico toda arrepiada, desejando que a Julie Plec não deixe essa oportunidade de ouro escorregar das mãos dela.

Até imagino que Alyssa e Jed seja um casal mais quente e menos monótono do que Hope e Landon tem sido. O que foi esse episódio, minha gente? Nem um beijo, quase nenhuma demonstração de afeto… Até com a Josie o fênix tinha mais contato físico! Além do mais, com a bruxinha Saltzman ele estava todo pronto para ter sua primeira vez, e agora com “o amor da sua vida” eles só ficam de mãos dadas, como a própria Alyssa falou. Aliás, nem de mãos dadas ficam. Mas que casal sem criatividade, sem humor, sem vontade de viver! Falta tomperro ali, disso eu não tenho dúvida nenhuma.

Não que o Landon não esteja se provando um galã digno da franquia de The Vampire Diaries… Afinal, quem não crushou nele resolvendo a questão do Wade sozinho, tomando as rédeas e provando-se mais inteligente que todo o resto da cambada da escola? Gente do céu, ele foi demais neste episódio, e eu espero ver mais desse lado do personagem no resto da temporada! Quem foi a chata chernobyl da história foi a Hope, tentando impedir ele de ser um herói quando, na verdade, isso é uma decisão que cabe apenas ao rapaz. Ela tem medo que ele se desenvolva pois teme perdê-lo, e eu até não tiro a razão para estes sentimentos existirem, afinal ela perdeu o pai, a mãe e um de seus tios para a morte. A questão é que, quer ela tenha motivos para ter este trauma ou não, a tríbrida não pode dar vazão a tais temores, pois está correndo um risco muito sério de se tornar controladora a respeito de seu namorado, e creio que isso é algo que ninguém aqui quer ver acontecer.

Agora, vamos falar da alegre surpresa que foi ver a Lily Rose Smith e a Tierney Smith em Legacies, as garotas que interpretaram as pequenas gêmeas em The Vampire Diaries. Gente, como estão grande essas mocinhas, e como continuam fofas e maravilhosas! Também foi muito bom ver a Bella Samman e a Allison Gobuzzi, as atrizes que interpretaram as irmãs Saltzman em The Originals. Tivemos até um Alaric sem barba, todo retrô de oito anos atrás! Só faltou a Summer Fontana a interpretar a jovem Hope Mikaelson, e só então eu me daria cem por cento por satisfeita. Aliás, por que não lembraram de trazer a Summer para este episódio, hein?

Uma questão que eu reclamava no começo dessa temporada, mas parece que está sendo corrigida pela Julie Plec, é a interação pai e filhas entre os membros da família Saltzman. Esse é o tipo de personalidade paterna que o Alaric sempre teve, desde The Vampire Diaries! Super protetor, mas ao mesmo tempo presente na vida das filhas. Gostei do fato dele estar lá para ajudá-las em relação ao Mora Miserium, e de estar lutando para aprender a confiar na decisão delas... E de ter convidado a xerife Mac para sair, uma vez que até então ele estava até mesmo sabotando a ideia de ter algo com a mulher. Bom, esse é o clássico Alaric! Afinal, se lembrarmos bem, ele também evitou o mais que pôde se envolver com a Jo em The Vampire Diaries, e precisou ela tomar a atitude e dar uma real para o homem a fim de que algo acontecesse. No fundo, a personalidade da Mac é muito parecida com a da Jo, e é por isso mesmo que eu acredito que os dois podem dar certo.


 

Outro ponto positivo desse episódio, apesar de ter gente na internet que vai discordar de mim, foi o monstro da vez. Nossa, eu adorei a caracterização do Qarren, que inclusive está com bem mais qualidade que alguns monstros do começo da segunda temporada, como o ciclope e o minotauro. Também gostei do efeito que ele causa nas pessoas, pois isso deu pano pra muita manga em termos de plot, fazendo o circo pegar fogo entre os estudantes da escola Salvatore! Só entre os estudantes? Não… Tivemos até uma briga épica entre Emma e Dorian (aliás, amei ver ela de novo no episódio! Espero que tenha voltado pra ficar), o que foi super necessário para finalmente termos um ponto final bem dado para o romance deles. Ou seria este apenas mais um capítulo deste casal que, obviamente, ainda se ama? Afinal, acho que o encantamento que ela tinha pelo Alaric totalmente já foi superado, pelo que vimos da interação entre os dois, e agora ela pode perceber o verdadeiro amor bem à sua frente, sem ter qualquer sombra de dúvida quanto a isso. Sim, eu shippei muito a Emma com o Dorian nesse episódio, e espero que ainda possamos ver os dois juntos novamente.

Uma questão que eu já vinha a tempos notando na série, mas que ficou muito evidente neste episódio (por causa do dia do coven) é que, ao contrário de TVD e de TO, Legacies foca muito mais nas bruxas do que nos outros seres sobrenaturais (como os vampiros e lobisomens). Não que eu não goste das bruxinhas, mas eu realmente sinto falta de mais foco nos vampiros. Poxa, nós temos o M.G. e o Kaleb ali à disposição de um plot, e a Julie Plec quase não dá nada para eles! Não apenas os dentuços, mas os caninos também são muito escanteados na trama todo. O Rafael também era para ter muito mais participação na série, mas agora já faz dois episódios que não o vemos. Sim, eu sei que faz sentido as bruxas terem mais destaque, afinal são a Lizzie, a Josie e a Hope que mantém o vínculo dessa geração com a anterior, são elas que já faziam parte das séries-mães que tanto amamos.

Não teria como ser diferente, na real… Afinal de contas, mesmo que uma vampira ou um vampiro tivessem filhos (podemos aqui mencionar a Caroline, e também o Klaus, que tem seu lado vampírico), esse gene da sede por sangue jamais seria passada para as suas crias. Em resumo, o que eu quero dizer é que seria impossível ter um personagem que fosse continuação direta da geração anterior e ser um vampiro ao mesmo tempo, a não ser que a Julie Plec fizesse ele se transformar da forma tradicional. Aí você pode vir e perguntar assim: e a Hope, ela não é uma tríbrida? Sim, ela é, mas você não concorda comigo que ela tem muito mais contato com seu lado bruxa do que com sua parte lupina ou vampírica? Bom, tirando isso, as personagens encrenqueiras da série também são sempre bruxas, o que acaba pesando também para o meu argumento.

Outra coisa que eu queria lembrar é que, mesmo que o foco em geral seja na turma dos bruxos, não temos efetivamente nenhum personagem masculino que seja capaz de praticar magia. Bom, temos o Pedro, mas ele não faz parte da galera por ser muito novinho. Seria interessante se matriculassem um jovem bruxo na Escola Salvatore, alguém que até pudesse ser um novo par romântico para a Josie, uma vez que ela está sem a Penelope e o Landon. Imaginem só, um novo galã cheio dos paranauês das bruxarias, que ajudasse a Josie a controlar seu lado negro e a lidar com o Mora Miserium… Eu seria toda a favor dessa ideia! Eu sei, a série já está com mais personagens do que os roteiristas dão conta, porém acho que essa seria uma inclusão necessária, visto os poucos bruxos que tivemos ao longo de toda a franquia. Consigo até ver Legacies contratando o Viveik Kalra para viver esse personagem, o ator que interpretou o Javed em A Música da Minha vida… Gente, fala sério, que ideia genial! Julie Plec, por favor, me contrata para roteirista.

E aí gente, que acharam da resenha… Concordam com os meus pontos de vista, ou pensaram algo diferente a respeito do episódio? Deixem seus comentários abaixo, para eu saber a opinião de vocês! Um beijo a todos, até a próxima.


Gisele Alvares Gonçalves