NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Legacies - S2E14

E aí galera, tudo bem com vocês? Finalmente saímos deste hiato gigantesco, porém nem todo mundo está contente com a volta de Legacies… Sim, eu sei que algumas pessoas acharam este episódio um pouco entediante, tirando pela Dark Josie rainha chegando com tudo na última cena. Sinceramente? Eu não fiquei entediada com o clima de filme noir, na real gostei muito e senti saudade de assistir a este tipo de produção novamente. Não sei se vocês sabem, mas eu sou uma grande fã do cinema em preto e branco, e alguns dos meus filmes preferidos foram produzidos entre os anos 30 e 60. Gostei muito dos diálogos com um inglês mais polido, gostei da trilha sonora e dos figurinos, e gostei principalmente do clima de submundo dos anos 40 com aqueles indícios de mistério no ar! Achei que a equipe da série fez um trabalho incrível de pesquisa em relação a filmes clássicos de Hollywood, e conseguiu inserir na trama todos aqueles elementos que os cinéfilos tanto gostam neste tipo de arte antiga. Sem tirar nem por, o visual do episódio ficou perfeito. Uma coisa interessante, também, é que o narrador da história foi o M. G., algo que me pegou de surpresa e também me deixou muito feliz. A alegria vem do fato de finalmente este personagem estar se desenvolvendo, deixando de ser alguém que se arrasta para a Lizzie sem um pingo de autoestima para se tornar um rapaz mais confiante e dono de suas ações. Aliás, falando na bruxinha Saltzman… Sim, não é apenas ilusão, neste episódio realmente surgiu um clima muito forte entre ela e o vampiro, e o meu palpite é que, com a saída do Thomas Doherty de Legacies (choremos!), o ship entre M. G. e a loirinha vai voltar a bombar de novo. Claro, para isso ser possível os roteiristas sabiam que teriam que trabalhar aquele personagem, visto que a Lizzie jamais se apaixonaria por alguém que não fosse seguro de si mesmo, e por isso que neste episódio vimos aflorar um lado muito mais decidido e dono de si no M. G.. Quanto ao fim do ship Sizzie… Não sei se vocês estão sabendo, mas o Thomas foi contratado para fazer um reboot de Gossip Girl, e por isso que ele não vai mais ter tempo para as gravações de Legacies. Eu estou de luto por tudo isso, claro, visto que Sizzie era, para mim, o ship mais interessante da série no momento, e comparado a este casal esmagador qualquer outra coisa vai se tornar sem graça. É como se quisessem tocar água goela abaixo depois da pessoa ter provado Whiskey, simplesmente não rola.



Mas falando de ships que estão sendo trabalhados… Josie e Jade parece que vai acontecer de verdade, e fico muito feliz em dizer que eu já tinha cantado essa pedra. Não tenho nada contra as duas, até acho que elas podem se tornar um casal interessante, ainda mais agora que a Dark Josie está à solta, pois adoro um ship entre um vilão e uma mocinha. Além disso, as cenas entre elas neste episódio foram muito interessantes e envoltas em mistério, fazendo com que não saibamos ao certo se o beijo foi realmente um sonho ou se foi realidade, visto que os pés da mais nova estavam sujos de terra, como se ela realmente tivesse saído da escola e ido até o galpão onde a Jade dorme. Seria tudo isso um truque da Dark Josie, pregando peça na mente das duas garotas? Estaria ela tão poderosa assim para incutir a mesma imagem no cérebro de duas pessoas diferentes? Enfim, esperemos ansiosos por respostas, pois esta é uma das tramas mais interessantes da série por enquanto. A Dark Josie realmente é a vilã que Legacies estava precisando, trazendo todo um clima de TVD que muito a gente aprecia! A atuação da Kaylee Bryant nunca esteve melhor, e agora eu entendo por que ela falou que se inspirou na Katherine Pierce para compor a sua personagem, pois desde que matou a Josie boazinha, a nossa nova vilã não é apenas um computador racional e sem emoções, mas alguém cheia de ódio e que quer tocar o terror em Mystic Falls… De uma forma bastante literal. Pra ser bem sincera, o que tem me preocupado nem é o rumo que Legacies tem seguido, mas aquele que ela tem deixado de seguir. A série está superlotada de personagens, e principalmente superlotada de vilões, fazendo com que muita coisa acabe parecendo incoerente ou desnecessária na trama. Espero que eles ainda consigam trabalhar com Malivore, Clarke, o Necromante e a Alyssa de forma coerente, e que nada fique esquecido no roteiro dos próximos episódios. Falando em Necromante… Vi na internet uma teoria que eu achei muito interessante, e necessária para dar algum plot envolvente para o nosso lobinho Rafael. Alguém já parou pra pensar que este personagem pode ter morrido durante sua estadia não voluntária com o Necromante, e que agora ele pode ser um acólito deste vilão tanto quanto o Chad o é? Esta suposição é muito intrigante, afinal a única vez em que vimos o rosto do Necromante neste episódio foi relacionado ao Rafael. Bom, se esta teoria for real, resolveria muitos buracos de roteiro: Em primeiro lugar, teríamos um espião infiltrado na escola Salvatore, que possivelmente estaria lá para manter o olho sobre a Dark Josie, dando propósito para o Rafael dentro da trama principal. Segundo, a participação do Necromante na série faria maior sentido do que tem feito nestes últimos episódios, o que é algo que precisa ser reparado urgentemente. Em terceiro lugar, isso conecta alguns pontos que estão parecendo muito distantes no estado atual das coisas, e assim daria maior coerência para a temporada como um todo. Só espero que tudo isso tenha sido ajustado antes do corona vírus parar as gravações, para que possamos encerrar a segunda temporada com aquela sensação de dever cumprido. Sobra a saída da Emma e do Dorian da série… Confesso que fico feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz porque, como dito anteriormente, temos muitos personagens nessa série, e os roteiristas não estão dando conta, então tirar algumas pessoas da trama é uma atitude necessária para dar vencimento de todos os plots antes da season finale. A tristeza, no entanto, deve-se ao fato de que já não temos muitos elos entre TVD e Legacies, e a presença do Dorian ajudava a manter o espírito da série original em seu spin-off. Ainda assim, tanto o Dorian no episódio passado quanto a Emma neste tiveram finais dignos de seus personagens, e ouvir a Karen David cantar uma última vez foi não apenas necessário, mas um presente. Enfim, chegamos à rainha da série, a nossa tríbida amada Hope Mikaelson… Ou diríamos ex-rainha de Legacies? Porque atualmente ela parece não estar mais usando sua coroa, visto que Dark Josie roubou os holofotes tanto com seus poderes extraordinários quanto por seu foco no plot. Dizer que a Hope teve um papel supérfluo neste episódio é redundante, mas ainda assim precisamos falar sobre a trama em que ela estava envolvida, especialmente em relação a seus sentimentos pelo Landon. Mas que garota que adora uma autosabotagem, não é mesmo? Ela tem tanto medo de ser feliz que qualquer coisa ridícula é motivo para ficar longe do seu amado, e eu não estou sendo irônica a respeito disso: a psicologia fala sobre casos assim, e o quanto eles são mais comuns do que pensamos.


Está tudo bem no relacionamento deles, aí acontece alguma coisa lá no Japão e ela acha que é um sinal de que o seu amor pelo Landon está condenado. O mais interessante, no entanto, é que o Rafael não pareceu querer convencê-la de que ela estava louca e vendo coisas onde não existiam… De fato, ele até falou que tudo aquilo era apenas uma simulação, mas não foi muito convincente como alguém que está lutando para que o casal permaneça unido. Este deve ter sido mais um momento de glória para quem shippa Hafael, não é mesmo? Talvez finalmente vamos ter o triângulo que tem sido prometido desde o dia 1 de Legacies, mas que até agora não foi aprofundado. Só vou deixar claro aqui que eu não shippo necessariamente Hafael ou Handon, mas acharia muito interessante a franquia continuar com o tema do triângulo amoroso que foi o mote para o início de The Vampire Diaries. Enfim, este foi um episódio bastante psicológico, e eu gosto muito desse tipo de história, então não é de se admirar que eu tenha adorado o capítulo. Se vocês parem para analisar as tramas individualmente, e o que cada aluno aprendeu sobre si mesmo durante o jogo, vai perceber a profundidade dos personagens, e a complexidade com que o roteiro trata cada um… Apesar de seus defeitos. Apenas a Hope que, em minha opinião, interpretou errado a sua mensagem, que talvez quisesse dizer apenas para ela cuidar de quem precisa dela, priorizando a vida de inocentes à de seu namorado (como já vimos ela fazer no episódio passado). Talvez o jogo estivesse mostrando para ela que existem pessoas que necessitam mais de sua ajuda do que seu amado, e que está tudo bem ela decidir socorrer estas pessoas ao invés de estar sempre com o Landon, que perfeitamente pode se virar sozinho, sendo uma fênix e tal. Em suma, eu acho que o jogo quis dizer para a Hope que ela não precisa ficar botando o rapaz em uma bolha, que ela pode relaxar em relação à segurança dele, e quando tiver que decidir entre ir ao encontro de um inocente em perigo e o namorado, está tudo bem salvar aquele que precisa, sem precisar deixar de amar o Landon para isso. E aí, gostaram da resenha? Não deixem de comentar aí abaixo o que estão achando das minhas análises, e o que pensam sobre estes novos aspectos que os roteiristas estão trazendo a Legacies. Um beijo a todos, e até a próxima!

Gisele Alvares Gonçalves