NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Legacies - S2E16

E aí, bruxinhos e vampiros do meu coração, como vocês estão por aí? Eu estou me sentindo arrasada, e não é no bom sentido… Eu sei que muitos de vocês vão querer me matar, mas eu estou muito decepcionada com Legacies, em especial depois deste último episódio. Não, eu não me importei com o fato de terem transformado a mente da Josie em um cenário de Once Upon a Time, e até mesmo gostei bastante da ideia a princípio (e dos figurinos… Menos a coroa da Dark Josie, que totalmente não favoreceu o biotipo dela). Enfim, a questão em si não foi a temática, mas a qualidade com que foi produzida. Sim, eu gostei do porco/Josie, achei muito fofo e tal, mas aquela fantasia estava RE-DÍ-CU-LA (erros de português propositais). E o que foi aquele lobo, a escuridão? Caramba, até o Sítio do Pica Pau Amarelo tinha vilões melhores. Enfim, essas fantasias compradas no R$1,99 estão realmente quebrando o meu hype pela série, ainda que eu ame esse universo com todas as forças do meu coração.

Bom, quanto ao Necromante… Fazê-lo absorver a magia negra da Josie realmente foi necessário, uma vez que, se isso não acontecesse, toda a presença dele na temporada teria sido inútil. Ainda assim, este ato de salvação do plot recompensa todas as vezes em que ele esteve na série fazendo nada? Sinceramente, mesmo que agora as coisas pareçam que vão engrenar, ainda fiquei com aquele gostinho de que essa temporada poderia ter sido muito melhor, e eu tenho certeza que vocês também. É simplesmente coisa demais para poucos episódios, e a Julie Plec não desenvolveu essa variedade de tramas com nem um pouco de qualidade. Vejamos se o Necromante consegue fazer alguma diferença daqui em diante, como aterrorizar a escola Salvatore com seus novos poderes obscuros, pois se isso não acontecer vai ser mais uma quebra de hype extremamente decepcionante.

Enfim, sobre a Dark Josie… É estranho eu dizer que eu gostei de toda essa pegada de patricinha gótica dela, pendurando candelabros e cortinas de renda na cripta? E aquela cena em que ela põe o Necromante em seu lugar, hein? Aquilo foi demais! Deu pra sentir o quanto ele estava odiando toda a situação, com o seu ego gigante gritando por ter sofrido uma ferida mortal. Além do mais, o fato da Josie ter notado que a fusão não aconteceu me deu esperanças de que ainda teremos um episódio melhor sobre este assunto, e de preferência com a Caroline. Definitivamente, esse núcleo foi o melhor do episódio em muitos aspectos, e eu estou feliz por poder fazer algum elogio ao longo desta resenha.


Pena que a Dark Josie se foi, não é mesmo? Ela era uma baita de uma personagem, e uma das melhores vilãs que a série já teve. Não vou dizer que estou surpresa, no entanto… Afinal, a prévia deste episódio deu muito na cara que isso iria acontecer (ao menos pra mim, que estou batizada com o tipo de narrativa que a Julie Plec emprega). Ainda assim, eu acharia muito interessante se, ao invés de tratá-la como um monstro da semana (ou de algumas semanas, no caso), os roteiristas tivessem deixado ela na série de forma um pouco mais permanente, como costumava acontecer com os vilões de The Vampire Diaries. Enfim, não dá pra voltar atrás no que já foi feito, e sinceramente? Das decisões ruins deste episódio, esta foi a que menos me incomodou.


Se falamos de Josie, temos que falar de Lizzie também… E o quanto a Danielle Rose Russel interpretou incrivelmente bem a personagem! Gente, que atriz maravilhosa, não consigo nem descrever o quanto admiro o talento dela. Além do mais, toda essa questão de control freak da Lizzie em organizar o próprio funeral foi muito divertida, lembrando muito a Caroline em TVD, e eu amo quando a filha acaba se parecendo com a mãe! Aliás, não me lembrei apenas da nossa barbie vampira nestas cenas, mas também da Catherine de Medici (quem viu a série Reign sabe de quem eu falo). O lado ruim deste núcleo do episódio, na minha opinião, é que ele se estendeu desnecessariamente, e acabou não acrescentando muito para a história. Neste episódio também tivemos o Rafael se desesperando porque matou o Landon, e pedindo para o Alaric pôr um fim em sua existência. Achei necessárias estas cenas, afim do personagem ser trabalhado, mas nada disso chegou a fazer algum impacto em mim. Quero dizer… A gente já sabia que o Landon não ia voltar nesse episódio, pois ele foi atingido pela flecha dourada, certo? E mesmo que ele volte eventualmente, os roteiristas precisam fazer o suspense de sua morte ser real, e por isso que duvido que vejamos o Landon são e salvo novamente antes da temporada terminar. Sim, vocês leram corretamente: parece que decidiram não encerrar a temporada neste episódio, felizmente, porém estamos em um hiato indeterminado, e possivelmente só no final do ano é que teremos novos capítulos de Legacies. Não se preocupem, a nossa equipe se manterá atenta às datas, e assim que soubermos de algo iremos comunicar vocês. Enfim, retornando a Legacies… Hora de falarmos em ships! Olha, eu sei que nesse episódio Hosie ficou bem evidente e tal, mas não adianta, esse casal aí não me convence (e provavelmente nunca vai convencer). Josie e Penélope era perfeito, Josie e Jade é interessante, mas Josie e Hope? Simplesmente não desce. Outro casal que não está causando o efeito esperado em mim é M. G. e Lizzie, e olha que eu costumava shippar eles fortemente na primeira temporada! Pra que foram botar o Sebastian na série, hein? Esse homem maravilhoso estragou qualquer ship em que possam botar a bruxinha Saltzman agora, simplesmente nada mais rola. Fui provar do vinho de primeira, agora não é qualquer Sangue de Boi que me contenta.



Mas não foi só o pessoal que shippa Hosie que teve sua cota de emoções neste episódio… Afinal, os defensores de Handon vieram com uma teoria que eu achei interessante comentar aqui, apesar de não ter certeza se acredito nela. Estão falando por aí que a Hope não acordou por estar ligada ao Landon de alguma forma, porém eu me pergunto como isso teria acontecido, ou se sequer seria possível. Ok, impossível até não é, mas acho que ao menos teriam dado uma pista disso em algum momento, se fosse o caso, como é costume nos roteiros desse universo. Por exemplo, o Necromante podia ter demonstrado não estar mais preocupado com a Hope atrapalhando seus planos, uma vez que ele é o que mais tem interesse no sono prolongado da tríbida, por ela ser a única que pode acabar de vez com Malivore. Ao meu ver, a série teria que ter mostrado uma cena da qual pudéssemos nos lembrar neste momento e suspeitar de uma ligação, pois se a explicação para a coma da Hope for apenas seu sentimento pelo Landon, que é tão forte que os mantém unidos até na morte, vai ser algo muito piegas para o universo de TVD, e eu realmente preciso parar de me frustar com essa série. 

Agora, quer saber um ship que está sendo menosprezado, mas que eu adoraria ver um foco nele? Não, na real dois ships, afinal se trata do triângulo amoroso entre Alyssa, Kaleb e Jed. O que foi ela chegando ao final do episódio, e botando os dois rapazes em seus devidos lugares? Gente, que bitch perfeita! Sério mesmo, preciso ver mais desses dois gatos maravilhosos babando o ovo dela. Enfim, chegamos à parte em que falamos sobre a renúncia da Josie sobre sua magia… Linda cena, arrepiou até a alma, além de dar uma baita nostalgia. É isso o que queremos, dona Julie Plec: ver os “legados” das nossas séries amadas, reconhecer neste novo spin-off o universo que tanto amamos e sentimos falta. Chega de monstros, chega de fantasias compradas no bazar da esquina, chega de invencionices sem sentido! Queremos é ver bruxas, lobisomens e vampiros enfrentando seus dilemas sobrenaturais, bons vilões e ships que nos façam suspirar. Agora, ainda sobre essa cena em que a Josie desiste de seu poder sifão, precisamos ter uma conversa sobre o Alaric afirmar que já tinha visto a mãe das meninas fazer este tipo de feitiço. Mas vem cá, o homem realmente viu a Jo desistindo de sua magia alguma vez? Porque, pelo que eu me recordo, a mãe biológica das meninas fez isso quando ainda era adolescente, antes do Kai ir para o mundo prisão. Se vocês lembrarem, o Kai encontra a faca com a magia de sua irmã gêmea no mundo prisão, o que quer dizer que este objeto já existia deste jeito antes do castigo dele ser criado. Enfim, este foi só um questionamento para refletirmos um pouco, assim como tudo o que discorremos nesta resenha… Agora é a vez de vocês dizerem o que pensam a respeito de tais temas para mim. E aí, curtiram a resenha? Comentem abaixo seus pensamentos sobre o episódio, e sobre a minha análise das cenas. Um beijo a todos, e até a próxima.

Gisele Alvares Gonçalves