NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Legacies - S2E5

Olá galera, tudo bem? Depois de passar semanas reclamando sobre vários pontos que não estavam sendo trabalhados em Legacies, parece que a Julie Plec me ouviu e resolveu consertar tudo neste último episódio. Tivemos Kaleb tendo bastante participação no enredo, e sambando na cara de todo mundo como o crush divoso que ele é, tivemos Alaric se preocupando com suas filhas e indo falar com elas, tivemos até uma participação de Nick Fink, o ator que interpreta o Ryan Clarke na série... Enfim, estou bastante feliz com tudo isso, e confiante com o modo como Legacies vai se desenrolar daqui pra frente.


Bom, mas vamos ao que interessa! Queria começar esta resenha com uma salva de palmas para a verdadeira heroína de Legacies, que é a Lizzie Saltzman. Gente, sou só eu que estou notando a maravilhosa evolução dessa personagem? De alguém que apenas enxergava seus próprios sentimentos e carências, a bruxinha se desenvolveu pra ser alguém com atitude e inteligência de sobra para driblar os vilões. A gente já tinha visto este talento natural dela no episódio em que apareceu o gênio, e de novo agora ela ludibriou o próprio jogo do labirinto, matando a charada e salvando todo mundo. Se tudo isso não mostra o quanto incrível ela é, eu não sei o que o poderia fazer.


Já quanto à Hope, parece-me que ela está tão deprimida e presa no seu complexo de mártir que não conseguiria resolver o problema tão bem quanto a Lizzie o fez. A tríbrida acredita que as coisas só vão ser solucionadas com seu próprio sacrifício, e parte disso vem do sofrimento de viver em um mundo em que ninguém lembra da sua existência. Claro, ela já tinha essa predisposição para se jogar em Malivore a fim de salvar a todos, porém me parece que essa tendência se agravou desde que ela voltou para Mystic Falls. Ao meu ver, ela se considera tão dispensável que, se seu sacrifício for gerar boas consequências, ela acredita que isso será o suficiente.

Ainda assim, apesar dessas crenças que a Hope tem desenvolvido, ela ainda está hesitante em bancar a mártir novamente. Vocês notaram também? O episódio já começa com ela fazendo abdominais perto do poço em que, tecnicamente, ela queria se jogar. O que a estava segurando? Também no labirinto, mesmo já tendo decidido que iria se sacrificar para que Lizzie pudesse voltar para Mystic Falls, ela também ficou adiando o momento, até que a própria bruxinha a nocauteou e tomou a atitude antes dela. Agora Hope já sabe o tormento que Malivore proporciona, uma vez que mal está lidando com as consequências de ter ido para lá no final da primeira temporada. Agora ela sabe o quanto o sentimento de solidão pode dominá-la, e inconscientemente adia o momento de pular no poço por autopreservação.


Partindo para analisar outro núcleo do episódio, estou embasbacada com a sagacidade e a negligência que o Kaleb demonstrou ao mesmo tempo. Amei demais a forma como ele conseguiu enganar o Sebastian, e considero muito inteligente a forma como ele manipulou um vampiro mais velho para descobrir a verdade sobre seu passado. Diz aí, tem como não ser apaixonada por esse gato maravilhoso? Mas enfim... A questão que não quer calar, e que vai nos deixar acordados durante a noite é a seguinte: por que, por diabos, o Kaleb não matou o Sebastian imediatamente após ter descoberto que ele é um assassino? Sério que ele não pensou que o vampirão simplesmente iria entrar na mente de outro cara desesperado, como o Wade, e iria convencer o trouxa a libertá-lo? Que decepção, Kaleb! Depois de um jogo tão bem jogado para manipular o oponente, simplesmente colocou essa inteligência no lixo ao dar tempo pro cara ir procurar por outro fracote para usar.


Já quanto ao interesse do Sebastian pela Lizzie, ficamos com um grande ponto de interrogação. Na real, eu já imaginava que poderia ser revelado que o vampirão só estava manipulando ela em vista de usá-la para ganhar sua liberdade. Ainda assim, apesar dos motivos egoístas dele ao se aproximar da bruxinha, espero que ele realmente tenha se atraído o suficiente por ela para ainda termos um ship entre os dois, e que seja verdade que a lorinha Saltzman o faz lembrar de alguém de seu passado... Quem sabe a Rebekah? De verdade, eu iria amar se tivesse uns flashbacks mostrando que a Mikaelson teve um romance com Sebastian no século XV, e que foi ela quem o transformou em um ser da noite. Imagina se isso fosse de alguma forma conectado com a época em que o Klaus queria sacrificar a Katherine para quebrar sua maldição? Ainda assim, creio que seria bastante interessante também se ele fosse apaixonado por uma doppelgänger da Lizzie, evocando a primeira trama de The Vampire Diaries e fazendo uma grande homenagem à série matriz.

Falando em tramas que eu já estava esperando, podemos adicionar à lista um relacionamento entre Hope e Rafael. Desde o episódio passado, quando ela reconhece quando Rafael está livre do demônio, sem conseguir fazer o mesmo com o Landon, já deu pra perceber que a Julie Plec estava estreitando o laço entre estes dois personagens. Em termos de roteiro, é um cliché que faz sentido: Hope encontra o amor de sua vida com outra pessoa, ela decide seguir em frente e acaba entrando em outro relacionamento também. No final da temporada, ou no meio, algo acontece e o casal canon volta a ficar junto... Exatamente como quando a Elena esqueceu o Damon e se envolveu com o Liam, apenas para se apaixonar de novo pelo vampirão e ficar com ele no final.


Agora vamos falar do baile da década de 80 que aconteceu na escola Salvatore... Gente, que nostalgia! Esse clima é muito similar ao de TVD, onde tivemos alguns bailes de décadas passadas também. Josie estava linda, Landon lembrava o Marty McFly do filme De Volta Para o Futuro, e a trilha... Caramba! Menção honrosa aqui para Take On Me, versão da Wendy Wang e do Inga Roberts, e para Holding Out For a Hero, da Bonnie Tyler, que rendeu o melhor momento de comédia da série.



Quanto ao clima trash do monstro e do labirinto em si... Olha, confesso que estou até me acostumando, afinal nunca fui de desprezar qualquer filme ou série por ter esse tipo de pegada. O que me incomodava era o fato de que TVD e TO fugiam completamente dessa estética, e eu tinha expectativas que a terceira série dessa franquia fosse se desviar desses padrões também. Como isso não acontece, é muito melhor aceitarmos a realidade e julgar a série a partir de seu próprio estilo, ao invés de continuar se frustrando por algo que não se pode mudar nesta altura do campeonato.

O que eu achei mais legal, no entanto, foi terem utilizado o labirinto do minotauro como tema de fundo, ainda que de uma forma bastante inusitada. Amo demais quando a Julie Plec introduz alguma mitologia clássica em Legacies, e espero que ela continue a fazer isto, pois sinto que ainda temos muito o que se explorar nesse campo de atuação. Achei interessante a explicação que deram para a criação do labirinto, e realmente esperava saber mais sobre o passado desse mago e dessa donzela, principalmente se fôssemos ver flashbacks da Idade Média ou da Idade Moderna. Talvez se, de alguma forma, esta trama estiver conectada com o Sebastian, ainda poderemos saber mais sobre a origem dessa história, afinal tinham nos prometido que todo o passado do vampiro iria ser revelado nesse episódio, e ao invés de resposta obtivemos ainda mais perguntas.

Por fim, gostaria de deixar registrado que eu adorei o fato de finalmente termos mais um personagem virgem nessa franquia, que apesar de ter cerca de 80% de personagens adolescentes, quase nunca trata sobre a questão da primeira vez. Gostei também do virgem na relação ser o rapaz, o que é muito mais raro nas séries em geral, e de terem falado sobre a importância de ter a primeira experiência quando se sente verdadeiro amor pela outra pessoa. O papel do Dorian nessa trama foi adorável, e eu espero de fato que exista mais interação entre ele e o Landon, principalmente a respeito da vida amorosa do mais jovem.

E aí, o que acharam desta resenha? Comentem aí abaixo o que mais gostaram no episódio, e o que acharam que poderia ter sido melhor. Não se esqueçam também de curtir o post na página do facebook, e deixar um comentário por lá, pois isso vai nos ajudar para que mais pessoas conheçam o nosso site. Um beijo, e até a próxima.

Gisele Alvares Gonçalves