NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Legacies - S3E2

Olá, vampiros e bruxinhas do meu coração… Tudo bem com vocês? Eu estou dando pulos de alegria aqui, porque, apesar deste ter sido um episódio muito triste, ele foi muito bem roteirizado, o que não vinha acontecendo há muito, muito tempo nesta série. Depois de uma abertura de temporada tão ruim, finalmente tivemos emoção e aprofundamento de personagens! Finalmente pudemos chorar um pouco, fazendo bater aquela nostalgia no nosso coração de fã, afinal este episódio lembrou muito, mas muito mesmo o clima de The Vampire Diaries. Como não estar nas nuvens com tudo isso? Além disso, como se não fosse o suficiente, estou muito entusiasmada com o rumo de Legacies agora, pois parece que a Julie Plec finalmente criou consciência de que a série tem mais personagem do que ela consegue dar conta, e parece que o elenco vai começar a diminuir gradualmente, fazendo com que, no futuro, possamos ter uma série coerente e com foco. Não tem como ficar melhor do que isto! Ou tem?


Com a Alyssa se tornando não apenas a estagiária do Necromante, como anteriormente eu cogitei, mas efetivamente sua parceira no crime, as coisas ficam mais apimentadas… Afinal, ela ensinou o cara que se gaba de sua maldade a ser mau, e isso quer dizer muito sobre a personagem. A questão é que, desejando soltar todos os monstros de Malivore ao mesmo tempo, talvez realmente tenhamos uma finalização deste trágico sistema do monstro da semana na série! Sim, nossas expectativas estão prestes a serem concretizada, e eu estou dando pulos de alegria agora mesmo. E você, como se sente com esse novo direcionamento da trama? Eu estou cheia de esperanças, e ansiosa para ver uma vibe parecida com The Vampire Diaries na série que é seu legado!


Mas enfim, vamos deixar toda essa empolgação de lado e falar sobre os eventos deste episódio, começando pelo Rafael, é claro. Sinceramente, eu nunca consegui ser muito apegada ao personagem, sabe? Ele não tem sal, na minha opinião, e o fato dele ser um lobisomem que deseja ser normal, com uma vida rotineira e tal, não ajuda para que eu desenvolva um interesse nele. Sinto falta da dinâmica entre irmãos a la Damon e Stefan Salvatore, em que um é o extremo oposto do outro no terreno moral! O Rafael e o Landon, apesar de terem sentimentos diversos quanto a ter uma genética sobrenatural, eles são muito parecidos para me deixar intrigada em sua relação. Ok, eles se amam e são fofos juntos, mas ainda assim não tem faísca pra mim. Não me levem a mal, eu não odeio eles… Apenas não amo.


Ainda assim, achei que foi a saída da série mais digna até agora. Achei incrível que todo o episódio girou ao redor do Rafael, seus sentimentos, seus relacionamentos com os outros personagens. Para quem shippava Hope com o Raf deve ter sido decepcionante, pois agora sabemos com certeza que eles não irão se tornar um casal, mas ainda assim eles tiveram bons momentos, profundos e emotivos. Não, eu não shippo eles, mas eu sei que tem algumas pessoas que o fazem. Gostei muito da festa/funeral, dos colegas do Rafael lembrando-se das coisas que ele fez (um pouco parecido com o final de The Originals), mas mais que tudo eu gostei do abraço final que cada um deu no Rafael, nas últimas palavras de cada um. Foi um encerramento para o personagem bastante parecido com o que a Elena Gilbert teve no final da sexta temporada de TVD, e ela era a protagonista! Percebem agora o tamanho do carinho e atenção que deram ao lobisomem? Sinceramente, não tenho mais nada a dizer, só a sentir e aplaudir.


Só sinto pena que o Rafael tenha saído da série antes de falarem mais sobre sua linhagem real. Cara, foi só eu que fiquei mega curiosa para saber sobre sua genealogia, para saber se era a sua mãe ou seu pai que tinha conexão com o rei Arthur? Bom, talvez seja mal de historiadora, e mal de quem escreve sobre o reino de Camelot (esse é literalmente meu tópico preferido em livros e séries), mas achei que podiam ter usado um pouco do lado pesquisador do Alaric para fazer uma trama legal com isso.


Falando nisso, o Alaric ainda é dono do Arsenal? Confesso que ando meio perdida quanto à trama de Legacies, então não lembro o que foi mencionado ou não. Se ele for ainda dono do lugar, estão deixando passar chances maravilhosas de desenvolvimento do personagem e do plot geral da série, que poderia dar maior credibilidade à sua mitologia através das pesquisas históricas do diretor da escola Salvatore. Como disse, sou suspeita para falar sobre estas coisas, porém ainda tenho esperança de que a minha profissão vai voltar a brilhar na mitologia iniciada em TVD.


Enfim, voltando ao episódio… Se tem uma coisa que eu entendo, é a decisão do Rafael em querer um último dia tranquilo, de despedidas, fazendo aquilo o que ele ama. Na verdade, mais do que entender a decisão dele, eu o admiro por isso, pois eu mesma não sei se teria coragem de desapegar da ideia de correr atrás de uma solução. Pra falar a verdade, eu acho que eu lutaria pela minha vida até o último segundo, e teria perdido o dia sem ter conseguido me despedir. E você, o que teria feito nessa situação?


Como nem tudo foi Rafael neste episódio, temos que falar sobre um reaparecimento na série: xerife Mac. Cara, nem acreditei quando ela surgiu na tela! Gosto bastante da personagem, e estou ansiosa para ver uns pegas entre ela e o Alaric. Depois de tudo o que o homem passou em termos de relacionamentos, vai ser bom ele encontrar uma pessoa que o ame e que possa ficar para sempre ao seu lado. E que chute umas bundas sobrenaturais com ele.


Algumas pessoas reaparecem, algumas pessoas continuam sumidas (como a Jade, o Ethan e a Maya)… E algumas saíram de cena por um episódio, como a Josie, e sinceramente? Vocês vão me bater, mas eu não senti falta dela. Eu só percebi que a bruxinha Saltzman não tinha aparecido neste capítulo quando fui rever o primeiro da terceira temporada, e reassisti à cena em que ela fala que iria passar um tempo com a mãe na Europa. E vocês, sentiram falta da Josie ou ficaram como eu, que nem lembraram de sua existência?


Falando na mãe das gêmeas… Já passou da hora da Caroline aparecer, não é mesmo? Caramba, que mãe desnaturada, e isso não combina em nada com a personagem! Cadê a Care Bear, por que a Candice ainda não aceitou o convite para participar de Legacies? Aliás, cadê o pessoal de The Originals? Estou sentindo falta de mais crossovers na série, porque senão parece que Legacies se isola de suas próprias origens! Se bem que… Vocês sabem qual vai ser o próximo episódio? Sim, o musical que tanto nós esperávamos. Cara, confesso que tive um troço quando vi a Josie vestida como Elena, ficou perfeito demais! E o Kaleb cantando Hello, Brother? Surtei! Quando ouvi falar do episódio nem liguei muito, mas agora eu sei que preciso ver este capítulo com a mesma intensidade que preciso de ar para viver!


Enfim, desvirtuei totalmente essa resenha falando do próximo episódio, mas agora juro que vou manter o foco! Até porque vou falar agora do casal que tem gerado as maiores opiniões controversas da série, que é Hope e Landon. Gente, eu vi certas pessoas falando no youtube que o Landon estava sendo dramático durante sua briga com a Hope, mas eu não vejo verdade nenhuma neste comentário! Olha, se a minha namorada agisse como a tríbrida agiu, sugerindo até que eu fosse viver no mundo prisão, eu ficaria muito fulo da vida também. Ao silenciar, ela admitiu que não acredita mais neste relacionamento, e como poderia? O que ela quer não é um namoro, mas uma posse sobre o Landon! Ela quer controlá-lo, limitá-lo, prendê-lo em uma bolha, tirar-lhe as oportunidades e escolhas… E isso não é nem um pouco saudável.



De certa forma, ela quer ter posse sobre todos à sua volta, porque… Já pararam pra pensar que, talvez, viver em um mundo prisão seja pior do que morrer? E a Hope tirou a escolha do Rafael! Ela botou o cara em uma bolha, apenas para não ter a sensação de perda. O Raf falou como seria o paraíso para ele, e deu a entender que ele estava de boas com a perspectiva de chegar lá. Ele poderia talvez encontrar sua antiga namorada, a Cassie, e fazer festa todo o dia, esperando pelo momento em que reencontraria os seus amigos. No mundo prisão, onde não se envelhece e não se morre, ele não tem a chance de ir para este paraíso, e nem pode esperar por se reunir com a galera novamente um dia… Sua única perspectiva é um mundo vazio e eterno, onde ele só vai ter seu pai e sua mãe pela eternidade. É, parecia um final agridoce para o Rafael, mas não era. Seu final foi amargo, com apenas um açucrinha para disfarçar a obscuridade de seu destino.


E aí, o que acharam do episódio? Concordam comigo sobre as atitudes egoístas da Hope? E sobre o Rafael, acreditam que foi um final feliz ou triste para ele? Contem tudo o que pensaram sobre o capítulo nos comentários, estou ansiosa para conversar com vocês! Por enquanto, no entanto, eu deixo um beijo e um queijo para vocês, e uma vontade imensa de que possamos nos ver novamente em outras resenhas. Até a próxima!