NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Legacies – S3E7

E aí, vampirinhos e bruxinhas do meu coração… Tudo bem com vocês? Comigo anda tudo mais ou menos, afinal minhas esperanças para que Legacies tivesse uma repaginada geral e atendesse aos pedidos dos fãs foi por água abaixo. Ok, agora é mesmo a hora de se acostumar com os monstros com fantasia comprada no Paraguai, pois eles provaram por A + B que estão aí para ficar! Apesar disso, achei até engraçadinho o episódio, e bem coerente o desenvolvimento dos personagens. Quer saber mais sobre tudo isso? Então apertem os cintos, porque lá vamos nós!


Vamos começar, então, falando da Hope. Eu sei que muita gente está enjoada com a personagem, pois ela não consegue superar a perda do Landon e tal… Em defesa dela, eu pergunto: Alguém aí perdeu a mãe, o pai, o tio preferido e o namorado? Bom, eu não conheço alguém que tenha vivido essa situação traumática, tendo o sentimento de luto elevada na quarta potência, porém eu imagino que deva ser desesperador, ao ponto da pessoa entrar em uma depressão profunda! E não se enganem, depressão nem sempre significa que a pessoa vai ficar o dia inteiro na cama, sem vontade de fazer nada, pois às vezes essa doença se manifesta em forma de agressividade, ou ao menos é o que os psicólogos falam. Olha, possivelmente ninguém aqui passou pela mesma situação da Hope, e por isso a gente não pode julgar se ela já deveria ter se recuperado ou não. Ao meu ver, a série está tratando com seriedade toda essa questão, e deveria ser aplaudida por mostrar o quanto é difícil para a tríbrida ter perdido tantas pessoas assim em sua vida. Menos do que isso e eu acusaria os diretores de não estarem dando profundidade emocional à personagem.


Confesso que me irrita quando as pessoas diminuem a dor da Hope por se tratar de “macho”. Olha, se o Landon fosse um ficante qualquer eu até concordaria, mas não é esta a situação… A fênix era o parceiro da tríbrida, e ali havia muito mais do que paixão, mas amor verdadeiro. Não sei se vocês possuem um parceiro assim, ou se já tiveram a experiência, mas eu tenho um marido que eu amo muito, e se ele morresse eu definitivamente agiria e sentiria da mesma forma que a Hope. Uma perda desse nível deve ser terrível, e eu não gosto nem de imaginar! Sendo assim, eu penso que as pessoas devem procurar não subestimar as relações amorosas, e os sentimentos poderosos que elas desencadeiam, e nem mesmo julgar a dor do outro como inferior por se tratar da perda deste tipo de laço.


Bom, tendo dito isso, quero agora mencionar o desenvolvimento do M. G.. Gente, ele é oito ou oitenta, o cara não tem equilíbrio! E isso é perfeitamente verossímil, visto que pessoas que possuem algum tipo de problema emocional geralmente não sabem resolver ele, e por isso acabam partindo para o outro extremo. Antes o vampiro não sabia dizer “não”, e agora ele quase não tem filtro para saber o que ele pode negar às outras pessoas e o que não pode. Às vezes não se trata de querer ou não realizar alguma coisa, às vezes temos que agir mesmo contra nossa vontade em prol das responsabilidades que assumimos! Mas eu acho que ele começou a entender isto neste episódio, quando ele aceitou assar os doces para a venda, e isso é uma boa coisa. Pontos para o nosso vampirinho preferido!


Claro, temos que mencionar ainda a outra questão sobre o M. G., que é o fato dele ter escondido de todo mundo que o ascendente estava com ele. Se alguém entendeu o porquê dele ter feito isso, me deixa a resposta aí nos comentários, porque eu fiquei perdidinha com essa revelação! Será que ele não contou para a Hope exatamente porque ela está operando no modo louco do luto e poderia, sei lá, fazer besteira e soltar todos os monstros do mundo prisão? Será que foi isto o que ele pensou, ou ele simplesmente não queria dar esperanças para a Hope (que trocadilho!), quando ele próprio já havia vasculhado todo o mundo prisão com a Lizzie e não encontrou nenhum sinal do Landon? Pois é, espero que ele comente mais sobre essa decisão no próximo episódio, senão vou ter que ter uma séria conversa com os roteiristas da série!


Falando na Lizzie… Bem, o crescimento dela talvez esteja sendo menos sentido agora, visto que o M. G. tem roubado toda a cena neste departamento, e o desenvolvimento da bruxinha Saltzman é algo mais prolongado, que começou já na temporada anterior e que se estende por toda a série, sendo saboreada episódio a episódio. Ainda assim, foi legal ver os resquícios da “antiga” Lizzie, como quando ela convenceu o Kaleb a utilizar o leprechaum para ganhar dinheiro para a escola. Agora, vamos ser sinceros? Quem aí também não teria feito o mesmo? Eu certamente teria, pois o desespero era grande demais para não utilizar essa solução mágica que literalmente caiu no colo deles do nada! Às vezes temos que jogar com todas as cartas que temos para realizar os nossos objetivos, ainda que não saibamos muito bem com o que estamos lidando. Claro, o leprechaum foi uma furada, e a consequência de sua permanência na escola foi muito pior do que poderíamos ter previsto, mas ainda assim… Valeu a tentativa.



Quanto à Josie, confesso que ela estava bem queridinha no episódio, tão fofa que deu vontade de guardar ela em um potinho! Algo que eu nunca disse sobre a personagem, então parece que estamos evoluindo. Acho que o que torna a Josie mais interessante (na minha opinião) é que agora não existe mais a rixa entre as irmãs, elas se dão bem e se amam, então me dá a impressão que eu posso gostar dela sem necessariamente trair a Lizzie. É, eu sei, parece papo de doido, mas era assim que eu me sentia. O que eu acho é que a Josie não precisava deixar a escola que seu pai criou para poder evoluir, sabe? Ainda fico um pouco ressentida com a personagem por isso, achando ela uma filha ingrata, mas tirando isso a trama da Jojo está sendo bastante interessante, de autodescoberta e de desenvolvimento próprio. Só pena que a Penélope não está por aí para ver o quanto a Josie está crescendo, não é mesmo? Se ela ao menos soubesse, aposto que voltaria correndo para Mystic Falls!


E quanto à Finch? Bom, a personagem ainda não me conquistou, mas certamente estou interessada em descobrir o mistério ao redor dela! O Ethan mandou a Josie tomar cuidado com a Finch… Por quê? Espero que ele acabe contando, e que haja um real confronto entre a Jojo e a moça para descobrirmos mais sobre o passado dela, e sobre sua genética. Sim, há rumores na internet de que ela é, na verdade, um ser sobrenatural, o que só me deixa mais interessada ainda. Espero que não demore muito para explorarem esse plot!


Já quanto à relação entre Josie e Finch… Continuo não shippando, e provavelmente vou acabar a série sem conseguir shippar elas. No entanto, achei muito interessante termos um momento em que a Jojo conversa com o M. G. e confessa seus medos em relação ao amor para ele. Achei que foi uma cena de bastante desenvolvimento da personagem, além de ter sido uma coisa linda de se ver! Eu sei que tem gente falando que não era hora da Josie ter um novo interesse amoroso, que era melhor ela ficar sozinha por um tempo, mas vem cá: amor lá tem hora para acontecer? Eu, hein! Ainda mais quando se é adolescente, com os hormônios gritando em nossos ouvidos, a gente sempre tem um crush e um interesse em alguém (ou mais de um alguém, às vezes). Acho mais do que natural que duas pessoas se sintam atraídas uma pela outra, e acho mais do que natural também a personagem querer ser feliz no amor! Fala sério, quem não quer achar o seu final feliz, não é mesmo? Não que a vida seja um conto de fadas, mas exatamente por não ser é que tudo se torna muito mais fácil com um parceiro ao nosso lado. Lá no fundo todo mundo sabe disso, procura isto e entende o sentimento de querer compartilhar tudo o que se tem com alguém, incluindo muito amor!


Bom, já falamos bastante sobre os personagens que estão sendo desenvolvidos a contento, hora de falar sobre aqueles que continuam sem passado e sem futuro, e mal e porcamente possuem uma personalidade! Estou falando, é claro, do Jed e do Wade. Cara, depois do episódio musical eu jurei que o Jed iria ser melhor trabalhado, ganhando trama própria e desenvolvimento emocional, mas pelo visto eu estava redondamente enganada! Eu vejo muito potencial para o personagem, mas aparentemente os roteiristas não pensam como eu. E o que falar do Wade? Ora, se era para deixá-lo de escanteio, que ao menos tivessem deixado a Jade em seu lugar. Sério, muitos personagens incríveis foram descartados da série, e no lugar fica o Wade, aparecendo só porque sim. Se a fadinha ficou, que ao menos seja bem trabalhada e se torne um personagem interessante, é o mínimo que eu espero! Além do mais, cadê a bruxinha chata que supostamente era para ser o par romântico do Wade? Espero que não esqueçam essa trama no churrasco também!



E aí, o que acharam do episódio? Também estão um pouco decepcionados com a volta dos monstros, como eu estou? O que pensam a respeito do desenvolvimento dos personagens? Digam aí nos comentários o que estão gostando na série, e o que prefeririam que fosse diferente, estou ansiosa para poder conhecer a opinião de vocês! Enquanto isso, deixo um beijo e um queijo para vocês, e uma vontade imensa de que possamos nos encontrar nas próximas resenhas. Até a próxima!