NoEDC.jpg
Buscar
  • Angers Moorse

Loki - Episódio 5



Salve, salve, galera! Confesso que estou até agora tentando me reencontrar depois do surto desse episódio 5. Ele foi tão louco, mas tão louco, que será preciso um exército de Capitães América para pegar todas as referências e easter-eggs que rolaram!


Embora muitos fãs tenham considerado o episódio mais raso da série até agora (o que eu não concordo), ele veio recheadíssimo de coisas interessantes que nos deixam ainda mais hypados para ver logo o episódio final. Onde é aquele local no final? Quem é o verdadeiro vilão? Qual será o fim da TVA? Calma, que tentaremos responder a essas e outras perguntas que ficaram no ar.


Você vai sentir uma mudança na forma como a resenha deste episódio foi feita. Aqui, não farei uma abordagem sobre a parte visual e técnica do episódio nem sobre a trama em si, mas sim já vamos começar abrindo o saco de referências e à medida que elas forem aparecendo, vamos contextualizando você em tudo o que rolou.


Para começarmos já no agito, Ravonna e Sylvie tem aquela conversa tensa e sinistra. Ravonna confessa que Loki não morreu, mas foi para uma região chamada “Vazio”, localizada no último ponto do fim dos tempos. Só que ela diz que não tem como ninguém entrar lá e, obviamente, Sylvie não engole essa história.


Ravonna e a Miss Minuto entram em um papo de que há uma nave que pode chegar lá e ficam buscando arquivos sobre a criação da agência, o que acaba dando tempo para os guardas chegarem e impedirem Sylvie de escapar… ou será que não?


Percebendo que não tem como fugir dali e que Ravonna não está nem um pouco a fim de ajudar, Sylvie decide fazer a única coisa que poderia ser feita: podar-se e ir para o mesmo lugar para o qual Loki foi. Sorte minha que eu já sabia que Loki estava vivo, senão eu ia chorar horrores nessa cena.


Ainda dentro da TVA, tivemos uma conversa (no mínimo estranha) entre a agente B-15 e a juíza Ravonna. Realmente, a agente não foi podada no final do episódio 4, mas mantida como refém, o que leva ao primeiro questionamento: por que ela não foi podada? Segunda pergunta: após a conversa, por que a agente não foi podada?


Para mim, as duas sabem de alguma coisa a mais. A agente B-15 pode ter visto algo quando Sylvie trouxe suas memórias de volta e Ravonna pode estar ciente de quem está por trás da TVA, mesmo ela aparentando não saber quem criou a agência.


E é aí que pode estar a pegadinha: ela realmente sabe quem criou a TVA ou apenas está sendo controlada? Ou ela é outra pessoa, a mesma pessoa que criou tudo ali? E outra coisa: quem criou a Miss Minuto e quais as reais intenções dela?


Caso Ravonna apenas esteja sendo controlada, vai tomar um baita susto no final da série ou ser morta sem ao menos saber o porquê. Contudo, caso ela saiba de tudo, por que ela pede ajuda à Miss Minuto para acessar todos os arquivos sobre a criação da agência, se ela estaria intimamente ligada ao seu criador? Talvez, ela possa até ser uma variante do próprio Kang, O Conquistador… ou, pegando todo mundo de surpresa, uma versão alternativa do Loki.



Logo no início do episódio, somos apresentados ao local no qual Loki vai parar depois de ser podado por Ravonna. Logo de cara, vemos algo que nos chama à atenção e inicia nossos surtos. Notou a inscrição na antiga torre do Tony Stark? Reparou que, em vez de STARK, está escrito QENG?


Nos quadrinhos, Tony Stark vende sua torre para um megaempresário chamado Mr. Gryphon (na realidade, Nathaniel Richards) que, na verdade, é uma versão alternativa do próprio Kang. Ele se passa pelo CEO da Qeng Enterprises e pode ser o real vilão por trás da TVA.


A loucura desse personagem é tanta que uma de suas versões nasceu no século 30 da Terra-6311 e é dito ser descendente do Benfeitor, mas que pode ser também descendente do Do. Destino. Além disso, essa versão acaba interagindo com uma versão sua vinda da Terra-616, que adota futuramente o manto de Rapaz de Ferro (Jovens Vingadores chegando na área???).


E mais, em sua versão como Nathaniel Richards, ele acaba se instalando no Egito Antigo e adotando o nome de Faraó Rama-Tut (o que poderia explicar a pirâmide misteriosa que aparece no episódio) e, mais à frente, acaba viajando no tempo para o século 40, onde assume sua identidade como Kang, O Conquistador…. loucura pouca é bobagem para esse personagem!


Uma curiosidade sobre Kang que me faz pensar que ele será o grande vilão do MCU a partir de agora é a quantidade absurda de troféus em sua sala, o que indica que ele já tretou com praticamente todos os heróis e anti-heróis (e até vilões) existentes. Apenas para vocês terem uma pequena amostra, o cara tem em seu cofre particular o escudo do Capitão América, os tentáculos do Dr. Octopus, o esqueleto do Wolverine, o Ultron, um Sentinela, o Visão (WTH?!?) e até mesmo o Fin Fang Foom (WHAT???)!


Achou pouco? Tem mais! Tem várias armaduras do Homem de Ferro, restos de M.O.D.O.K., a cabeça do Nick Fury (COMO ASSIM???), o Olho de Agamotto, a máscara da armadura do Doutor Destino e o capacete do Magneto… fora mais uma penca de coisas conquistadas ao longo de suas viagens no tempo. Ou seja, o cara bota o Thanos no chinelo bonito!


Outra referência bacana foi o próprio título do episódio, chamado “Journey into Mistery”, que é o título da primeira aparição de Loki nas HQS, ainda quando a Marvel Comics era chamada de Atlas Comics, em 1962. Posteriormente, essa revista acabou se tornando a HQ oficial do Thor. Detalhe: o visual de Loki nessa HQ é exatamente o mesmo da versão que aparece na série… ponto mais que positivo para a Marvel!



Quem também apareceu foi o chamado pelos fãs de “Thanoscóptero”, um helicóptero amarelo com o nome do Titã Louco na cauda. Esse helicóptero apareceu nos quadrinhos Spidey Super Stories, história na qual Thanos roubava bancos e pilotava o helicóptero durante uma tentativa de roubar o Cubo Cósmico. E a história é tão bizarra que o Titã chega a ser preso pela polícia… é mole?


Mais uma referência bizarra é o nosso querido e amado Throg, ou o Thor Sapo. O simpático sapinho tentando escapar do vidro é, na verdade, o próprio Deus do Trovão que foi transformado em sapo por Loki na HQ Thor Vol 1 #365. O número no frasco refere-se à edição dos quadrinhos no qual a história acontece.


E mais, ao lado do pote vemos de relance o Mjolnir, que ainda não dá para ter certeza se é o mesmo desintegrado por Hela e que de alguma forma foi parar ali ou se é outra versão dele. Nas HQs, o sapo não consegue reverter o feitiço de Loki, mas ele consegue levantar o martelo e ganhar seus novos poderes… mas uma bizarrice da Marvel referenciada na série!


Algumas naves e objetos curiosos também apareceram no episódio. Entre eles, o navio USS Eldridge 173 (que existiu na vida real e teve um desaparecimento pra lá de misterioso), a nave espacial de Ronan, O Acusador (a mesma nave usada por ele para atacar o planeta Xandar em busca da Joia do Poder), ruínas do Sanctum Sanctorum do Doutor Estranho e uma fortaleza voadora usada como base secreta para a S.H.I.E.L.D…. tem coisa aí.


Pausa nas referências para falarmos sobre as variantes de Loki que apareceram na cena pós-créditos do episódio 4. Tivemos um ótimo desenvolvimento de algumas delas e ainda fomos agraciados com outras versões dele, como o Loki Presidente e outros Lokis bem encrenqueiros. Aliás, era certo que com tantos Lokis juntos ia rolar alguma treta… e rolou mesmo!



Quando o Loki Presidente acha o esconderijo deles e o Loki Orgulhoso acaba sendo confrontado, percebemos que apenas o nosso Loki, o Clássico, o Kid e o Crocodilo tiveram maior amadurecimento e se tornaram pessoas melhores. De resto, é um traindo o outro, um armando pra cima do outro e todo mundo se pegando na porrada… foi irada essa cena e o Loki fugindo de fininho!


Falando nos Lokis, uma coisa que o Loki Clássico fala e que me deixou pirado é quando ele diz que enganou Thanos, criando uma ilusão tão perfeita enquanto se escondia nos destroços depois da fuga de Asgard que o Titã Louco nem percebeu que era uma ilusão. Isso remete automaticamente ao início de Vingadores: Guerra Infinita, quando os fãs teorizaram sobre uma sombra misteriosa ao fundo da cena e que poderia ser o próprio Loki escondido.


De fato, bate com o que o Loki Clássico fala sobre o caso e sobre como ele se manteve escondido por tanto tempo da TVA. Será que não seria o mesmo Loki??? Essa é uma das maiores dúvidas que ainda precisam ser respondidas no último episódio.


Mudando um pouco o foco, tivemos a feliz notícia de que Mobius e Sylvie ainda estão vivos. Aliás, esqueci de mencionar um fato importante antes. Quando Loki conversa com suas versões alternativas, descobrimos que eles estão em um lugar chamado de “Vazio”, localizado no último momento do fim dos tempos e de onde ninguém consegue fugir.


E mais, há uma imensa nuvem roxa chamada de Alioth que não deixa ninguém fugir de lá e que, segundo Sylvie, pode estar escondendo a real localização do responsável pela TVA e toda aquela farsa. Nas HQs, Alioth é um dos únicos seres que conseguem escapar das limitações de espaço-tempo e que podem devorar dimensões inteiras. Além disso, é o maior inimigo de Kang, O Conquistador, com altas tretas entre eles nos quadrinhos.



O bicho é tão sinistro que Kang é obrigado a construir uma espécie de barreira de proteção para impedir que Alioth avance sobre seus domínios. Só que Kang é morto e Ravonna Renslayer, sob a alcunha de Terminatrix (olha ela aí!), acidentalmente quebra essa barreira, deixando a criatura livre.


Alioth só é contido quando Ravonna desperta o Kang do futuro e eles buscam ajuda dos Vingadores. Juntos, eles criam uma entidade chamada Tempus, que tem os mesmos poderes de absorção de Alioth e conseguem impedir seu avanço. Dessa forma, parece que a Marvel está jogando na nossa cara que Ravonna, se não for a real vilã da série, tem ligação direta com o verdadeiro vilão.


Falando sobre Loki e Sylvie, tivemos mais um aprofundamento na relação entre eles. Gente, que casal lindo que eles formaram! Tomara que role aquele beijão de estremecer as linhas temporais no final da série… realmente, torço por isso, embora ache que não vai rolar (tomara que eu esteja enganado quanto a isso).


Foi muito fofo ele conjurar um cobertor para os dois… óin! Jurava que ia rolar o beijo ali, mas ainda não foi dessa vez. Da mesma forma que em WandaVision, já sei que vou chorar horrores por conta desses dois, uma vez que sinto que alguém morrerá no final. Lá vai meu coração ser despedaçado novamente!


Em relação a Mobius, uma coisa que ele comenta sobre o Croco Loki é que não se lembra de o ter capturado na TVA. Ou a versão alternativa de Loki foi capturada antes de Mobius ser pego ou passou reto pela TVA. Se for a segunda alternativa, como ele foi parar ali? E outra questão: será que é o Loki mesmo ou é outra coisa se passando pelo bichinho? Já tem uma galera por aí achando que é Mephisto ou Pesadelo novamente… desencana, galera, porque esses dois não aparecem tão cedo no UCM!


Mais à frente, Kid Loki entrega uma espécie de espada para o nosso Loki, que pode ser a Laevateinn. Ela surgiu na HQ Journey into Mystery #115, de 1965 e apareceu apenas algumas vezes nos quadrinhos. Embora os poderes dela não sejam muito claros e tenha apenas aparecido no episódio por um breve momento (e em chamas), podemos esperar que ela apareça com maior destaque no último episódio.


Falando no Kid Loki, o guri roubou a cena e ganhou o carinho dos fãs. nos quadrinhos, ele é gentil e amável, mas a série mudou um pouco essa pegada (e ficou show). Ele simplesmente é responsável por matar Thor na sua realidade… sim, foi isso mesmo que você ouviu, ele matou o Thor!


E outra coisa: há várias realidades mesmo e não somente uma, como a TVA faz questão de pregar. Isso fica evidente quando cada versão do Loki fala “na minha realidade”. Já estamos vivendo o Multiverso e nem sabíamos??? E a Marvel com esse papo de introduzir o Multiverso… já estamos nele e nem nos demos conta!?!


Antes de entrar no final mitológico do episódio, ficaram faltando duas referências. A primeira delas é a cabeça do vilão Jaqueta Amarela, do filme Homem-Formiga. Se vocês lembram, ele é reduzido a partículas menores que átomos e mergulha no universo quântico. Será que o Vazio fica no Reino Quântico??? Isso abriria uma alta possibilidade (mais uma referência) para que Kang/Immortus seja mesmo o vilão da série.



Já, a segunda referência é absurda, insana e que levanta sérios questionamentos. Como diabos a cabeça (ou a estátua) do Tribunal Vivo estava jogada lá??? Tipo, a entidade é a mais poderosa do Multiverso da Marvel e chega a dar toco na Eternidade. Então, como a TVA seria mais forte que o próprio Tribunal? Quem teria a capacidade de fazer aquilo com eles?


Galactus não seria o caso, mesmo porque o Quarteto Fantástico nem foi apresentado ainda no UCM e não teria lógica nenhuma ser ele o grande vilão. Doutor Destino? Talvez, mas também não seria páreo para o Tribunal Vivo. Norman Osborn? Não dá conta disso nem tem cacife para tanto. Será que Adam Warlock está chegando? Ou, quem sabe, Beyonder? Aí sim, a porrada seria insana (agora viajei legal na batatinha)!


Mais para o final do episódio, tivemos aquele abraço carinhoso entre Mobius e Loki. Pela primeira vez desde o início do UCM, Loki chama alguém de amigo de forma sincera… putz, essa cena foi emocionante! Tomara que role a cena dos dois andando de jet ski no final da série… eu e toda a legião de fãs estamos aguardando, Marvel!


Mobius decide voltar à TVA e dar aquele cagaço na Ravonna enquanto Loki e Sylvie decidem encarar Alioth e descobrir quem está por trás de tudo aquilo. Por sua vez, Kid Loki, Croco Loki e o Loki Clássico vazam dali… só que não. Mais tarde, o Loki Clássico nos surpreende de uma forma absurda em uma cena épica.


Enquanto Loki tenta distrair Alioth, Sylvie tenta contato direto com ele para o encantar e descobrir uma saída de lá. Ela já havia tido esse contato antes e viu algo, no mínimo, suspeito: um castelo com uma energia dourada, bem no meio daquele objeto estranho voando nos trailers finais da série.


Quando Loki não consegue chamar a atenção do bicho, Alioth volta suas atenções para Sylvie e Loki corre para a salvar. E é aí que o Loki Clássico rouba a cena, em uma das aparições mais mitológicas de todos os tempos dentro do MCU! Mano, o cara é FÓOOOOODA!!!


Na luta entre os Lokis, ele já havia mostrado que era insano quando criou uma projeção real de si mesmo e de Lok Kid e do nosso Loki, projeções tão reais que até saíram na porrada com os outros Lokis. Não contente, ele ainda cria um portal que os faz fugir dali para fora do bunker.



Agora, ele nos surpreende ainda mais criando uma projeção de uma cidade inteira, bem parecida com Asgard… ou, possivelmente, uma referência à Cidade das Esmeraldas da história O Mágico de Oz. Essa projeção chama a atenção de Alioth e permite que Sylvie e Loki tentem fazer o encantamento.


Quando as forças já não suportam mais a projeção, o Loki Clássico acaba sendo devorado por Alioth, mas não sem disparar seu clássico bordão “glorioso propósito”... foi de arrepiar essa cena! Só sobrou o capacete dele, todo corroído, que foi a única coisa que a criatura não conseguiu digerir… provavelmente, daria uma baita azia!


Só que esse sacrifício foi suficiente para Loki e Sylvie conseguirem encantar Alioth… juntos, de mãos dadas, em uma cena incrível! Agora, o mais surpreendente foi ver o que aconteceu depois que a criatura foi encantada. Uma espécie de cortina de fumaça se abre e aparece uma cidade (ou castelo) ao fundo.


Provavelmente, trata-se de Chronopolis, terra de Immortus/Kang e, em tese, a mesma que aparece em Homem-Formiga e a Vespa. Se for mesmo, é mais um forte indicativo (ou, até mesmo uma confirmação) de que Kang, O Conquistador realmente é o grande vilão da série e um dos principais problemas para o MCU no futuro no lugar de Thanos.


Ainda tenho minhas dúvidas se realmente a Marvel colocará ele agora à vista ou se há alguma surpresa guardada para nós. Ah, olho nas vindouras séries Invasão Secreta e What If…?, porque elas provavelmente revelarão muita coisa sobre a grande ameaça do UCM a partir de agora.


Outra possibilidade é que seja a Latvéria (ou uma versão alternativa), terra de origem de Victor Von Doom… sim, ele mesmo, o Doutor Destino! Talvez aquele seja o castelo dele ou algum esconderijo do vilão. O único problema é que não há nenhuma ligação óbvia entre Ravonna e ele, a não ser que a versão de Kang como faraó surgiu na HQ Quarteto Fantástico #19, em outubro de 1963. Mas aí a Marvel precisaria dar uma ótima explicação para ser ele.



Resumo do episódio? PERFEITO!!! Repleto de referências, momentos fofura, encontros e desencontros, mistérios e um Loki Clássico insano! Agora, só nos resta teorizar durante a próxima semana e aguardar até o desfecho da série na Season Finale na próxima quarta. Até lá, haja unhas para roer!