NoEDC.jpg
Buscar
  • D. C. Blackwell

Mansão Bly - Episódio 4 comentado

O episódio de hoje foi um gostoso checkpoint na trama. Tivemos momento de conexão entre os personagens à beira da fogueira, regado a vinho, recordações e explicações do passado de Danielle, e também tivemos o tão esperado beijo, que tinha ficado pendurado no episódio anterior. Em soma a tudo isso, nos é revelado o que já estava bastante em vista, mas que precisava de uma confirmação: os irmãos sabem o que acontece na casa e ativamente protegem os habitantes vivos dos mortos. Vamos aos detalhes?

Embora eu não seja fã de backgrounds secundários em excesso, a revelação de que Danielle quase se casou com um homem é bastante interessante. Pela maneira como as coisas aconteceram, e pelo meu entendimento do mundo queer, consigo visualizar aqueles eventos na vida real. Às vezes, a descoberta chega tarde demais, e quando acontece, a pessoa pode ficar completamente desnorteada, especialmente num momento tão decisivo como o das preparações para o próprio casamento. Não obstante, é comum para mulheres não sentir prazer no sexo, devido a uma série de questões sociais e psicológicas, o que dificulta ainda mais a aceitação da atração sexual pelo mesmo gênero. Soma-se isso tudo ao momento específico que ela escolhe para contar ao noivo, gerando o atropelamento e morte dele. Tudo o que posso dizer é: Que azar da peste, ein? Para os dois.

Sobre beijos, relacionamentos, obsessões e união, posso dizer que um dos momentos mais gostosos da série até agora foi a noite na fogueira. Todo mundo nessa vida já perdeu ou ainda irá perder alguém, e ali, em volta da fogueira, cada um com uma garrafa de vinho, todos eram um só na dor do luto. Um amigo é aquele que divide o fardo da vida com você, e essa conexão, muitas vezes mais forte que laços familiares, tem um poder imenso. Inclusive, senti saudades de meus amigos mais uma vez durante a pandemia, mais do que normalmente sinto. Outro momento que me toca muito e que me soou completamente verdadeiro foi o momento romântico de Danielle com Jamie. Aquilo não é apenas paixão, mas amor, puro e simples, cultivado a partir de uma amizade e nutrido com companheirismo e empatia. É assim que relacionamentos saudáveis acontecem na vida real. Só não entendi por que a Jamie ficou chateada no final... A Danielle foi bem clara quando disse que via o fantasma do noivo, além de ter demonstrado o quanto isso a perturbava involuntariamente ao longo do episódio em várias cenas. Que vacilo.

Os irmãos Wingrave estão ficando sem segredos para contar. Nota-se cada vez mais que há dois Miles: Um é completamente adulto e violento, enquanto o outro é um garoto normal e preocupado. Ficam mais fortes minhas suspeitas de que Quint está possuindo o garoto, e ainda por cima sem autorização, segundo o diálogo com Flora, que afirma que “não é assim que funciona” ao falar de Quint ser convidado a entrar na casa. E qual será o mistério da casa de bonecas? Como será que funciona? Estou muito curioso para saber. Parece que a trama começa a tomar a forma final, e provavelmente teremos um grande pico de adrenalina daqui rumo ao episódio final, pois logo Danielle deverá cruzar um ponto sem volta dentro desta história, que provavelmente se dará quando ela descobrir sobre os fantasmas na casa.