NoEDC.jpg
Buscar
  • Angers Moorse

Notícias da semana - 06/01 a 12/01



Salve, salve, galera! Ano novo, vida nova… e notícias novas! 2021 começou e, com ele, a esperança de que tudo seja melhor daqui para frente. Nossos destaques ficam para a baixa bilheteria nos cinemas e a treta entre Warner e cineastas. Sem mais delongas, vamos para a primeira semanada de notícias do ano!



06/01


  • Emissora de TV Record é acusada de racismo por associação de Beyoncé à magia negra. A matéria foi apresentada no programa Fala Que Eu Te Escuto e apresenta acusações feitas pela ex-baterista da cantora, Kimberly Thompson, que chegou a abrir processo contra Beyoncé. No vídeo, são mostradas cenas do novo filme da cantora, Black Is King, que exalta a cultura africana. Até o momento, Beyoncé não se manifestou sobre o caso.

  • Crunchyroll anuncia oito novas séries de transmissão simultânea. Entre as novidades, estão: Bungo Stray Dogs WAN!, Idolls!, Non Non Biyori Nonstop, I-Chu, Abciee Working Diary, Wave!! - Let's Go Surfing!!, Wixoss Diva (A)Live e a terceira temporada de Yatogame-chan Kansatsu Nikki. As séries ainda não tiveram as datas de estreia divulgadas, mas a previsão é que sejam exibidas no mês de janeiro.

  • Revival de Punky, a Levada da Breca ganha primeira imagem. Na série, a atriz Soleil Moon Frye, protagonista da série original, será mãe de três filhos e promete grandes surpresas e emoções. A estreia está marcada para o dia 25 de fevereiro na plataforma da NBC Universal e terá 10 episódios. Confira a imagem aqui.

  • Bilheteria mundial dos cinemas tem queda de 71% em 2020. Conforme esperado por conta dos efeitos da pandemia, a arrecadação total nos cinemas foi de apenas U$ 12,4 bilhões.

  • Cerimônia de entrega do Grammy 2021 é confirmada para 14 de março. A informação foi passada pela TNT, responsável pela transmissão do evento no Brasil. Ainda não foram confirmados os detalhes sobre a forma de realização do evento.


07/01


  • Série da Netflix com Marco Pigossi ganha primeiro trailer. Cidade Invisível tem estreia marcada para 5 de fevereiro. Confira o trailer aqui.

  • WandaVision ganha classificação indicativa abaixo de filmes do MCU. A produção ganhou o selo de TV-PG, que determina "orientação dos pais recomendada", ou seja, que pode ter conteúdo inapropriado para crianças pequenas. A série estreia no próximo dia 15 de janeiro no Disney+.

  • Criador da série Loki escreverá filme de Star Wars. Michael Waldron será o roteirista do novo filme da franquia, que terá produção de Kevin Feige, chefe do MCU. Ainda não há maiores informações sobre a produção.

  • Marion Ramsey, de Loucademia de Polícia, morre aos 73 anos. A atriz interpretou a policial Laverne Hooks em seis filmes da franquia, além de atuar em Barrados no Baile, Família Addams e Alô, Dolly!, além de produções na Broadway. As causas da morte não foram informadas.

  • Criadores de The Handmaid’s Tale adaptarão outro livro para a TNT. Bruce Miller, John Herrera e Nina Fiore serão os produtores da série Heresy, baseada na obra homônima de Melissa Menhardt. Ainda não há previsão de início da produção.


08/01


  • Aliyah O’Brien, de Rookie Blue, entra para o elenco de Legends of Tomorrow. A atriz interpretará a guerreira Kaya na sexta temporada, que ainda não tem previsão de lançamento.

  • Warner anuncia elenco de voz para animação Justice Society: World War II. Além de Stana Katic (Castle) como Mulher-Maravilha e Matt Bomer (Patrulha do Destino) como Flash, o elenco terá Elysia Rotaru (Arrow) como a Canário Negro, Chris Diamantopoulos (Silicon Valley) como Steve Trevor, Omid Abtahi (Deuses Americanos) como Gavião Negro, Matthew Mercer (O Sangue de Zeus) como Homem-Hora e Armen Taylor como Jay Garrick. Liam McIntyre, Geoffrey Arend, Keith Ferguson e Darin De Paul completam o elenco. Ainda não há data definida para o lançamento.

  • Deezer D, o enfermeiro Malik de E.R - Plantão Médico, morre aos 55 anos. Além da série, o ator Dearon Thompson (seu nome verdadeiro) teve atuações em A Casa Caiu e Romy e Michele. Seu último trabalho no cinema foi no filme Crowning Jules, de 2017. As causas da morte não foram reveladas, mas a família acredita que o ator tenha sofrido um ataque cardíaco, uma vez que foi encontrado morto em casa no último dia 07 de janeiro.

  • Todo Mundo Odeia o Chris chega ao catálogo do Amazon Prime Video. A série está com suas quatro temporadas completas, com os 88 episódios com áudio original e legendas em português, além da opção de áudio dublado.

  • Malcolm & Marie tem trailer divulgado pela Netflix. O longa estrelado por Zendaya e John David Washington estreia em 5 de fevereiro. Curta o trailer aqui.

  • Critics Choice Super Awards premia produções de super-heróis. Entre os indicados, o destaque fica com Palm Springs, com cinco indicações. A premiação acontecerá no dia 10 de janeiro e a lista de indicados pode ser conferida aqui.

  • Fotos da segunda temporada de Batwoman são divulgadas. A segunda temporada estreia em 17 de janeiro nos EUA, sem data ainda para o Brasil. Confira as fotos aqui.

  • Michael Apted, diretor de 007 e dos documentários Seven Up, morre aos 79 anos. O currículo do diretor britânico inclui obras como 007 - O Mundo Não É o Bastante, O Destino Mudou sua Vida e As Crônicas de Narnia: Viagem do Peregrino da Alvorada, além da saga de guerra The Triple Echo. As causas da morte não foram divulgadas.

  • CW descarta projeto de série derivada de Arrow. A série tinha sido batizada de Green Arrowand the Canaries e foi cancelada por motivos ainda não divulgados, segundo o portal Deadline. Contudo, o portal afirma que uma série prólogo, chamada The 100, ainda pode vir a acontecer.

  • Série Cavaleiro da Lua contrata diretores de O Culto. Justin Benson e Aaron Moorhead assinaram com a Marvel Studios para produzir a nova série do MCU, que contará ainda com Mohamed Diab na direção principal. O ator Oscar Isaacs (Star Wars) estrelará a série, que ainda não tem previsão de produção.

  • Roteirista de Hellblazer comandará Way of X, nova HQ dos X-Men. Si Spurrier escreverá a nova série, que terá ilustrações de Bob Quinn. O lançamento está previsto para o mês de abril nos EUA.

  • Novo filme dos Irmãos Russo ganha trailer pela AppleTV. Cherry é estrelado por Tom Holland (Homem-Aranha) e tem estreia prevista para os cinemas norte-americanos em 26 de fevereiro e em 12 de março na plataforma de streaming da Apple. Assista ao trailer aqui.


09/01


  • Disney revela que está desenvolvendo continuação do filme Encantada, com Amy Adams de volta ao papel. O anúncio foi feito em um evento para investidores em dezembro, mas ainda depende de alguns acertos envolvendo direitos de imagem envolvendo a própria atriz. Ainda não há maiores informações sobre o andamento da produção.


10/01


  • Warner Bros. compensará cineastas por lançamentos na HBO Max. Para evitar o clima tenso entre a produtora e vários diretores e cineastas, a Warner fez um acordo e ofereceu um pacote de benefícios para aqueles que tiverem seus filmes lançados na plataforma.

  • Revival de Sex and the City é confirmado na HBO Max. A série contará com os retornos de Sarah Jessica Parker, Kristin Davis e Cynthia Nixon, sendo que Kim Cattrall confirmou que não estará presente, por conta de divergências em relação a Sarah. As gravações estão planejadas para iniciar entre abril e maio.


11/01


  • Warner inscreve Mulher-Maravilha 1984 para consideração ao Oscar. A inscrição do filme nas 15 categorias não significa que o filme estará concorrendo, mas sim que há a intenção de inserir o filme para concorrer às premiações.

  • Critics Choice Super Awards tem vencedores definidos. The Boys, Vikings e Mandalorian foram os destaques da noite, além de Aves de Rapina e Destacamento Blood. Confira a lista de vencedores aqui.

  • Deadpool 3 será para maiores e fará parte do MCU. A informação veio do chefe do MCU, Kevin Feige, que ainda afirmou estarem trabalhando no roteiro e que as filmagens não serão iniciadas em 2021.

  • The Umbrella Academy anuncia novos nomes para o elenco da terceira temporada. Entre as novidades, estão Justin Cornwell (Uma Invenção de Natal), Britne Oldford (Hunters, Flash) e Jake Epstein (Degrassi: A Próxima Geração). As filmagens da nova temporada serão iniciadas em fevereiro, no Canadá.

  • Vera Fischer participará da divulgação de WandaVision no Brasil. A atriz divulgou em seu Instagram Stories uma foto vestindo o traje da personagem Feiticeira Escarlate e confirmou que fará parte da divulgação da série no Brasil. WandaVision estreia em 15 de janeiro, pela Disney+.

  • Clarice, sequência do clássico O Silêncio dos Inocentes, ganhou um novo teaser. O seriado estreia nos EUA em 11 de fevereiro na CBS. Confira o trailer aqui.

  • Estrelas de novo Sex and the City receberão mais de US$ 1 milhão por episódio. Isso significa que as atrizes ganharão mais de R$ 5 milhões por episódio, num total de 10 episódios. As filmagens do revival estão agendadas para começar entre os meses de abril e maio, sem previsão de lançamento.

  • Segunda temporada de Snowpiercer ganha trailer inédito. Estrelada por Sean Bean, a segunda temporada da série estreia nos EUA em 25 de janeiro. Curta o trailer aqui.

  • Morbius é adiado para outubro. O filme do vilão de Homem-Aranha, estrelado por Jared Leto, tinha lançamento marcado para 19 de março, mas foi adiado pela Sony para 8 de outubro.

  • Miles Morales terá sua própria versão da Saga do Clone nas HQs. O início das aventuras do Homem-Aranha está previsto para iniciar em abril, com a HQ Miles Morales: Spider-Man #25.

  • Animação derivada de Bob Esponja tem cena inédita divulgada. Kamp Koral deve estrear ainda em 2021, sem data definida até o momento. Confira a cena aqui.


12/01


  • Gotham Awards 2021 divulga lista de vencedores. O prêmio dedicado às produções independentes realizou sua cerimônia virtualmente na última segunda (11/01), que teve muitos problemas técnicos e algumas surpresas. Confira a lista de vencedores aqui.

  • Netflix revela trailer de lançamentos de 2021. A plataforma anunciou a estratégia de lançar um filme original por semana durante todo o ano de 2021. O trailer divulgado apresenta cenas dos próximos lançamentos da plataforma: Agora e Para Sempre, Lara Jean, A Barraca do Beijo 3 e Army of the Dead, entre outros. Assista ao trailer aqui.

  • Darren Aronofsky dirigirá filme protagonizado por Brendan Fraser. The Whale é baseado na peça homônima de Samuel D. Hunter e ainda não teve maiores informações reveladas até o momento.

  • Danny Boyle dirigirá minissérie sobre banda Sex Pistols. Pistol terá seis episódios e será transmitida nos Estados Unidos pela emissora FX. Ainda não há maiores informações sobre a produção da minissérie.

  • Judas and the Black Messiah tem novo trailer divulgado. A estreia do filme está marcada para o dia 12 de fevereiro, simultaneamente nos cinemas e no serviço de streaming HBO Max. Confira o trailer aqui.

  • Sato Company diz que problema com dublagem de Kamen Rider Black foi resolvido. Após acordo entre Elcio Sodré (dublador do protagonista Isamu Minami) e Sato Company, a série de tokusatsu poderá voltar a ser exibida pela emissora BAND em breve.

  • Harry Lennix confirma que será o Caçador de Marte no Snyder Cut. A versão da Liga da Justiça do diretor Zack Snyder será exibida em 2021 pela HBO Max, em data ainda a ser definida.

  • Episódios extras da série The Walking Dead tem teaser e fotos divulgadas. Os seis episódios adicionais da décima temporada da série ("Home Sweet Home", "Find Me", "One More", "Splinter", "Diverged" e "Here's Negan") serão lançados a partir de 28 de fevereiro. Confira as fotos e o teaser.

  • Máscara Negra estará na segunda temporada de Batwoman. O intérprete do vilão, que já apareceu no filme Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa, ainda não foi definido. A segunda temporada da série estreia em 17 de janeiro nos EUA.

  • Andy Samberg fará comédia sci-fi para a Apple. O filme contará com as presenças de Ben Stiller e Raphael Bob-Waksberg, criador de BoJack Horseman, além de Noah Hawley (Legion e Fargo). Não foram revelados detalhes sobre produção ou previsão de estreia.

  • Serviço de streaming Peacock divulga cena deletada de The Office. Na cena, Dwight (Rainn Wilson) conta para Michael (Steve Carell) que Creed (Creed Bratton) está morando no escritório durante a noite. Assista à cena aqui.



DESTAQUES



Salas vazias, cinemas fechados, pandemia, enfim… 2020 foi o pior ano para os entusiastas e apaixonados pelas salas de cinema nos últimos tempos. Por conta de tudo o que aconteceu (e ainda está acontecendo), poucas salas conseguiram ser abertas no ano passado e, com isso, tivemos uma queda vertiginosa de arrecadação.


Com o adiamento da grande maioria dos lançamentos da indústria cinematográfica, a solução imediata foi lançar diretamente nas plataformas de streaming, fazendo com que a arrecadação dos filmes caísse consideravelmente em relação ao que se poderia obter nos cinemas. Com isso, os cinemas perderam muito em arrecadação, causando o fechamento permanente de várias salas ao redor do mundo, inclusive.


De acordo com matéria publicada pelo portal Deadline, as bilheterias mundiais sofreram em 2020 queda de 71% em comparação a 2019, com arrecadação de apenas US$ 12,4 bilhão. Se analisarmos o faturamento da Disney, a empresa faturou apenas US$ 1,26 bilhão, o que significa US$ 240 milhões a menos que o total arrecadado por Frozen 2 (US$ 1,5 bilhão), e menos da metade da bilheteria de Vingadores: Ultimato (US$ 2,798 bilhões).


Outro detalhe interessante é que 82% do total arrecadado pela indústria cinematográfica veio de fora da América do Norte em 2020, contra 73% em 2019, mostrando maior valorização e importância das produções locais e do mercado internacional. Se somarmos os seis maiores conglomerados cinematográficos, o prejuízo gira em torno de 81% a menos que em 2019.


Enquanto a Disney/Fox faturou US$ 1,26 bilhão, a Sony arrecadou US$ 1,18 bilhão, a Warner Bros., US$ 1,08 bilhão e a Universal, US$ 1,03 bilhões. Já, Paramount e Lionsgate não chegaram na casa do bilhão, com faturamentos de US$ 0,40 milhões e US$ 0,19 milhões, respectivamente.


Muito embora grande parte dos países, estados, Federações e Municípios tenham afrouxado algumas regras - e isso inclui a reabertura dos cinemas com restrições de lotação dependendo da gravidade do local - e várias empresas estejam lançando seus filmes nas telonas, ainda percebemos grande receio do público em ir a esses locais.


Vários amigos e amigas relataram-me que não se sentem seguros e confiantes para sair de casa e ir ao cinema e que, caso haja possibilidade, preferem assistir aos filmes nas plataformas de streaming. E estou de acordo com eles, principalmente ao ver que boa parte da sociedade ainda está presa ao negacionismo e à falta de empatia ao próximo, com aglomerações em festas clandestinas e o desrespeito aos protocolos de segurança.


Para 2021, vejo que os cinemas ainda sofrerão muito, principalmente até o mês de setembro (palpite meu), quando poderemos vir a ter números de vacinados e imunizados maiores. Até lá, a estratégia é tomar todos os cuidados necessários e, se possível, evitar a ida aos cinemas, por mais que isso nos cause tristeza.


Felizmente (ou infelizmente), as plataformas de streaming estão aí para amenizar nossas perdas. E, quando tudo isso acabar, estaremos todos juntinhos dentro de uma sala de cinema, rindo, chorando e nos encantando com as grandes produções cinematográficas sendo exibidas nas telonas. Uma coisa é certa: não podemos deixar os cinemas morrerem!



Por falar em streaming, enquanto a Disney optou por adiar e segurar a maioria de seus considerados blockbusters para lançamento nos cinemas quando a pandemia acabar, a Warner caminhou em sentido contrário e quase provocou uma verdadeira “guerra” entre produtora, diretores e cineastas.


E o acender do estopim foi o lançamento simultâneo do filme Mulher-Maravilha 1984 nos cinemas e no streaming. Pelo fato de lançar no streaming não seria o caso, até mesmo porque a Disney lançou Mulan e Artemis Fowl - O Mundo Secreto no Disney+.


O problema foi que a Warner decidiu lançar também nos cinemas, em meio à pandemia e ao aumento nos números de casos confirmados e mortes, não só nos EUA quanto em outros países. E mais, a maior parte do público consumidor está em países nos quais rígidas regras de distanciamento social - em alguns deles, até mesmo lockdown - foram decretadas, o que inclui o fechamento dos cinemas.


Como se polêmica pouca fosse bobagem, a empresa resolveu lançar todos os seus lançamentos de 2021 da mesma forma, ou seja, simultaneamente nos cinemas e no streaming HBO Max, o que causou revolta e tumulto nas redes sociais, com uma enxurrada de críticas.


Diretores e cineastas, como Denis Villeneuve e Christopher Nolan, foram os primeiros a bater de frente com a Warner Bros. Para Vileneuve, a decisão da Warner foi tomada por causa da pressão da empresa AT&T, gigante no ramo de telecomunicações e maior operadora de TV a cabo do mundo.


Segundo o diretor,

“a AT&T mudou o propósito de um dos estúdios mais importantes e respeitáveis da história do cinema. Não há absolutamente nenhum amor pelo cinema e pelo público aqui”.

E mais, afirmou que a decisão foi tomada para

“a sobrevivência de uma gigante das telecomunicações, que atualmente tem uma dívida astronômica de mais de US$ 150 milhões. Portanto, embora Duna seja sobre cinema e o público, a AT&T está pensando em sua própria sobrevivência em Wall Street. Como o lançamento do HBO Max foi um fracasso até agora, a AT&T decidiu sacrificar o calendário inteiro da Warner Bros. em 2021 em uma tentativa desesperada de conseguir a atenção do público”.

Por sua vez, Nolan recebeu a notícia com descrença,

“especialmente pela forma como fizeram. Há controvérsia ao redor disso, porque eles não contaram para ninguém. Em 2021 eles têm alguns dos maiores cineastas e estrelas no mundo, que trabalharam com muita paixão por anos nesses projetos que deveriam ser experiências na telona. Eles deveriam ficar disponível para a maior audiência possível… E agora serão usados como chamariz para o serviço de streaming - para uma plataforma nova - sem consulta. Então há muita controvérsia. É uma bagunça muito, muito, muito grande”.

E ele não parou por aí, afirmando que há pessoas usando a pandemia apenas para lucros próprios.

“A longo prazo, acho que todos esses estúdios sabem que a experiência de ir ao cinema vai voltar e se tornar parte importante do ecossistema. O que você tem agora em nosso negócio é o uso da pandemia como desculpa para lucro em curto-prazo. E isso é realmente uma pena. Não é a forma certa de fazer negócios ou a forma mais saudável para nossa indústria. Mas para quando cinemas retornarem e as pessoas voltarem a ir para os filmes, quando a vacina for lançada e tivermos uma resposta apropriada do governo federal para a área da saúde, estou otimista nos prospectos. As pessoas amam ir ao cinema e vão voltar a ele novamente”.

Para tentar acalmar os ânimos (se é que isso ainda é possível), a Warner Bros. decidiu compensar os cineastas por lançamentos efetuados na HBO Max. Como parte do acordo, o estúdio distribuirá uma porcentagem maior do dinheiro recebido para lançar digitalmente suas produções, cortará pela metade o valor de bilheteria necessário para liberar a cláusula de participação nos lucros de profissionais que cujos contratos prevejam o item e permitirá que mais trabalhadores possam adicionar a cláusula em seus vínculos.


Assim, filmes como The Little Things, Judas and the Black Messiah, Tom & Jerry: o Filme, Mortal Kombat, Those Who Wish Me Dead, Invocação do Mal 3, Em um Bairro de Nova York, Space Jam: Um Novo Legado, Reminiscence, Malignant, The Many Saints of Newark, King Richard e Cry Macho podem ter seus lançamentos ao mesmo tempo nos cinemas e na plataforma de streaming.


Ainda não há confirmação se Vileneuve aceitará a proposta para lançar Duna dessa forma (concordo com o diretor nesse ponto de manter o lançamento apenas para os cinemas, mesmo que isso signifique novos adiamentos). Particularmente, acho uma baita sacanagem da Warner agir dessa forma, desperdiçando potenciais blockbusters para depois alegar que “o filme é ruim” ou que “o público não se interessou” para justificar bilheteria fraca.


Para mim, é um baita “tiro no pé”, tanto para a Warner quanto para os fãs e os cinemas como um todo. Só espero que alguém lá tenha juízo suficiente para repensar a estratégia e ter o bom senso de não queimar todos os cartuchos de uma única vez. Tem filme que até pode ser lançado dessa forma, não discordo… mas lançar Mortal Kombat, Invocação do Mal 3 e Duna dessa forma é, praticamente, um suicídio!



Mas você já foi a algum cinema durante o período da pandemia? Como foi sua experiência? E qual sua opinião sobre a reabertura dos cinemas em meio à pandemia? Ah, e sobre o caso Warner, concorda com a estratégia da empresa? Por qual filme está mais ansioso? Queremos saber sua opinião, portanto, deixe nos comentários!


Lembrando que, a partir do próximo dia 15/01, teremos a estreia da série WandaVision, abrindo oficialmente a Fase 4 do MCU, no Disney+. Estaremos fazendo a resenha episódio a episódio, para você não perder nenhum detalhe. Nos vemos na próxima semana!