NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Once Upon a Time - Quarta Temporada

Olá, vilões e heroínas do meu coração, tudo bem com vocês? Mais uma vez estamos aqui para falarmos desta série que odiamos amar, e dessa vez vamos tocar no assunto mais badalado: a tão esperada quarta temporada. Bom, como vocês devem imaginar, saber que a Elsa iria chegar em Storybrooke não me deixou nada entusiasmada, ao contrário da grande maioria dos oncers por aí, até porque eu sou uma grande fã do Hans Christian e seu conto, e eu penso que o filme Frozen da Disney fez propaganda falsa quando anunciou que seria uma obra inspirada nesta história. Enfim, eu poderia fazer uma resenha apenas sobre as minhas expectativas quanto a Frozen e como elas foram quebradas, mas esta seria outra resenha... Hoje vamos falar sobre a quarta temporada de Once Upon a Time.


Ok, que a presença de Elsa e Anna e trolls em forma de rochas me incomodaram não é novidade... Mas afinal tivemos uma surpresa boa, e esta foi a inclusão da Ingrid na trama, trazendo a Storybrooke a rainha da neve assustadora que eu tanto adorava desde criança. Sabe, eu fico pensando que, se a série tivesse recursos financeiros, uma grande atriz para este papel teria sido a Tilda Swinton, visto o papel semelhante que ela interpretou com maestria em Nárnia, porém a Elizabeth Mitchell foi ok, ao meu ver, apesar de não ter sido brilhante.


A questão em debate aqui, no entanto, não é a atuação da Elizabeth, mas sim a inclusão de sua personagem na trama, que trouxe para os fãs dos contos de fadas clássicos toda aquela maldade gelada, e o principal... a maldição do espelho. Gente, quando eu percebi que iriam abordar esta trama na série eu dei um berro, e toda a vez que eu via os pedacinhos do espelho caindo sobre os olhos de algum personagem eu dava mais berros ainda. Aliás, golpe de gênio ter juntado a trama da rainha da neve, que tem a ver com um espelho, com a rainha má da Branca de Neve. Aquele foi um dos meus episódios preferidos de toda a temporada.



Bom, no fim todos saímos lucrando, não é mesmo? Pra quem gosta de Fronzen teve Frozen, e quem gosta de Hans Christian teve sua cota de alegrias também. No fim, tivemos uma metade de temporada bem coesa até, ainda que o começo tenha sido lento, e alguns personagens importantes tenham ficado sem muita trama, como foi o caso da Regina. O mesmo, no entanto, não podemos dizer da segunda metade da temporada...


Ok, eu entendo que existe certo apelo para as “divas do mal”, porém ficou muito estranho e desparelho a Cruella ao lado da Malévola! Inclusive os roteiristas notaram isto e tentaram remediar o problema ao dar poderes mágicos para a fashionista, porém não acho que foi o suficiente. Por outro lado, ter a Cruella significou podermos ver a atuação brilhante da Victoria Smurfit, e por isto até perdoo o desespero do Adam e do Eddie em socarem três histórias diferentes ao mesmo tempo na série.


Ao lado das divas do mal, é claro, tivemos a trama principal de heróis x vilões, o que nos levou a ter um trabalho mais intenso sobre a mitologia do livro e do autor. Isso, sim, foi legal pra caramba! Ainda mais por terem dado um certo papel de importância para o Henry, que nem sempre ganha o destaque que precisa. Sendo a autora de um livro, eu adorei que tenham dado certa magia à minha classe, tendo uma fala do Pinóquio quase me feito chorar de emoção. Ok, vocês me pegaram... o “quase” foi um eufemismo.


Enfim, gostei bastante de terem feito o Pinóquio virar aquele homem bonitão com jaqueta de couro de novo, e também adorei os episódios finais com aquele mundo alternativo... Eu já disse o quanto gosto quando a série trabalha mundos alternativos? Enfim, mas o que foi mais chocante certamente foi a transformação da Emma em Dark One, o que dá muito pano para manga para adentrar cada vez mais na mitologia própria da série, que é sempre o caminho mais acertado a se tomar.



No fim, então, tivemos um score positivo para a temporada, apesar de eu achar que ela não foi tuuuudo isso o que os fãs geralmente fazem parecer. E você, o que achou da inclusão da Ingrid na trama da rainha da neve? E quanto à mitologia do livro, o que vocês acharam do Henry finalmente tomar atitudes e mover a trama para frente? Comente tudo aí embaixo, nos comentários, estarei ansiosamente aguardando para conversar com vocês! Até lá deixo um beijo e um queijo a todos, e uma vontade imensa de encontrar a todos em outras resenhas por aí. Até a próxima!