NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Outlander - S5E11

Olá, sassenachs e highlanders… Tudo bem com vocês? Nossa, esse episódio deu no meio das minhas emoções, me surpreendendo ao mesmo tempo em que me deixou triste. Então quer dizer que a Bree viajou mesmo com o Roger e o Jemmy? Por essa eu não esperava! Se bem que eu me sinto até envergonhada ao confessar isso, uma vez que, por tudo o que já haviam dito durante a temporada, estava claro que a última parada deles não era no século XVIII. E sabe-se lá Deus quando que é essa última parada!


Bom, as teorias estão borbulhando na minha cachola, porém acho sensato começar essa resenha falando do Jemmy. Se ele é um viajante com um poder tão poderoso assim por ser filho da Brianna e do Roger, isso quer dizer que a habilidade de cruzar épocas é genética? Bom, isso não apenas faz sentido como explica muita coisa. Brianna seria uma viajante por ser filha da Claire, e o Roger teria esse mesmo poder por ser descendente da Geillis.


A outra teoria que eu acabei desenvolvendo diz mais respeito ao círculo de pedras, e ao fato de que a Brianna e o Roger claramente não foram parar no tempo que esperavam. Para mim, o cenário basicamente não mudou nada de antes e depois da viagem, fazendo-me pensar que eles ainda estão no passado, uma vez que a modernidade teria transformado aquele pedaço de mato em uma cidade, sendo próximo de Nova Iorque e tal. Bom, dito isso, eu fico me perguntando o que deu errado no GPS das pedras, uma vez que a Claire não teve problema ao voltar para o próprio tempo antes da batalha de Culloden. Seria porque, talvez, esse círculo de pedra dos Estados Unidos tenha sido derrubado no século XX, e consequentemente quebrado a linha de conexão com o futuro? Afinal, a protagonista pôde viajar para os anos 40 novamente porque as pedras continuavam lá em seu próprio tempo. Se destruíssem esse templo, me pergunto se a história seria a mesma.


Como não li os livros, não tenho nem pista de para quando Brianna e Roger viajaram, além dessas que eu comentei acima. Estariam eles no tempo em que os Europeus não tinham pisado na América ainda? Foi uma possibilidade que me cruzou a mente, mas eu não vou afirmar nada. Só vou dizer que, por mais que esteja empolgada com toda essa trama, duvido que vejamos a Bree e seu marido novamente nesta temporada, e o mistério será deixado para a próxima temporada.


Falando ainda sobre a viagem do casal 20… Não sei se vocês concordam comigo, mas eu tive a nítida noção de que a Brianna não estava nem um pouco afim de voltar para seu próprio tempo. Eu até entendo ela, afinal o lar não é um lugar, e muito menos um tempo, mas é estar perto das pessoas que a gente ama. Roger não perdeu muita coisa, mas a Bree? Poxa, ela deixou para trás a mãe, o pai e seus amigos! E eu notei a relutância em suas despedidas, e a tristeza que tomava conta dela a cada nova pessoa que ela não veria de novo. Na minha opinião, ela só decidiu voltar ao futuro por causa do marido, porque ela sabia que o homem jamais seria feliz no século XVIII, e vamos combinar que ninguém merece um companheiro infeliz. Isso iria arruinar o casamento deles.


As atitudes dela eu entendo, as dele… Nem tanto. Achei muito egoísta da parte do Roger não perceber que a esposa estava triste com aquela situação, ou melhor… Não querer perceber que a Brianna estava se sentindo miserável com a perspectiva da volta. Ele devia estar muito desesperado para viajar mesmo, a ponto de sutilmente forçar a esposa a fazer algo que ela não queria. Ainda assim, por mais infeliz que ele estivesse, não acho que ele tivesse o direito de fazer a Brianna manter a palavra dela, não quando isso implicava que ela teria que perder seus pais. Não, não deixei de shippar o casal, só não gostei muito das atitudes do Roger.



A despedida da Bree com a Marsali foi fofa, com a mãe foi dramática, com o pai foi reveladora, porém com a Lizzie? De cortar o coração! Essa moça não anda tendo muito destaque na série, o que eu acho um grande defeito, porém a lealdade dela para com a Brianna foi linda e emocionante, e eu morri de pena quando a ruivinha teve que contar à amiga que ela seria deixada para trás. Gente, aquilo foi doloroso para as duas! Foi naquele momento que eu tive mais certeza de que a Bree não queria voltar. Foi naquele momento, também, que eu senti mais raiva do Roger.


Mas mudando de saco para mala… Gente, o que foi aquela cena na casa queimada, em que o Roger encontrou aquela mulher toda queimada? Está certo que sabemos que Outlander é uma super produção, e seus efeitos de machucados e feridas sempre foram excelentes, porém nunca vi algo a este nível na série. Realmente foi chocante, revoltante e muito bem feito, mostrando que a nossa série preferida tem muito a oferecer em termos de qualidade!


E quem é que está causando estes ataques? Duvido que seja os índios, pois senão o Ian poderia saber de algo. Sabe o que me passa pela cabeça? Que poderia ser o próprio bando dos Browns a fazer isso, apenas para instaurar medo e criar uma milícia. Afinal, foi com essa situação que eles ganharam mais poder sobre a área… Poder o suficiente para raptar a Claire. Agora, duas considerações sobre isso: em primeiro lugar, sério que o Jamie, vivido como ele é e percebendo que essa gangue está basicamente mandando no pedaço, não sabia que haveria retaliação por ter se negado a participar? Olha, nos últimos episódios o nosso casal principal tem me parecido meio descuidado para os perigos, mesmo sendo uma dupla super inteligente e experiente para a maldade humana. Em segundo lugar, será que o Jamie pensou que não haveria consequências por ter amigos influentes, como o John Gray e o Tryon? Sei lá, é contar muito com a sorte, afinal o John está voltando para a Inglaterra, e o antigo governador da Carolina do Norte também não está pertinho para dar uma mão.


Agora, chegamos à vez de falar do Ian. Caramba, que dó do meu garoto! Amo esse personagem com todo o meu coração, e aposto que vocês também, e é difícil vê-lo sofrer tanto assim por um amor perdido. Já disse e repito, queria ver ele se acertando com a Lizzie, esses dois merecem felicidade, e iriam ser muito bons um para o outro. Enfim, gostaria muito de saber a história completa do rapaz, afinal só temos pedaços de revelação aqui e ali, porém nada de concreto sobre o que realmente aconteceu.


Gostei do fato dele ter botado o Jamie e a Claire contra a parede, e da reação que ele teve ao saber da verdade. Sinceramente, se fosse eu, não teria sido tão madura assim. Ele até ficou indignado por ter que basicamente forçar sua tia a contar a verdade (como eu ficaria também, afinal ele nunca deu razão nenhuma para que não confiassem um segredo assim a ele), e também ficou chateado porque o Murtagh sabia e ele não. De novo, super compreendo o guri, e achei justa a revolta. Ainda assim, para minha surpresa e alegria, ele elaborou bastante rápido a raiva, e logo já estava tudo bem entre a família. De fato, eu ia ficar muito chateada se houvesse discórdia entre os Frasers agora, e apesar de que acharia justo se o Ian tivesse se sentido ofendido, meu coração suspirou de alívio quand percebeu que estava tudo bem em Fraser’s Ridge de novo.


Só um comentário sem consequência agora, mas é interessante notar como foi justo com o colar do Dente de Lontra que o Jemmy teve sua primeira experiência com o zumbido, e que foi o Ian que introduziu o colar ao garoto. Aquele colar não conta apenas a história dos viajantes do tempo, de certa forma, mas do povo indígena, cultura intrínseca agora à nova personalidade do Ian. Aquele colar representava algo para ele também e, de certa forma, foi o colar que o levou a descobrir sobre viagens no tempo, e a se envolver com essa trama. Não sei, mas eu tenho a impressão de que o Ian ainda vai ter uma reviravolta em sua história, e que, mesmo que ele próprio não viaje no tempo, ele vai acabar tendo algo sobrenatural ligado à sua jornada. Será que o Dente de Lontra aparecerá para ele?


Enfim, estamos chegando ao final desta resenha, e eu gostaria de fazer três menções honrosas a cenas que não tiveram muita consequência na trama, mas foram leves e gostosinhas. A primeira delas diz respeito ao sanduíche de manteiga de amendoim e geleia. Gente, adoro as caras que o Jamie faz quando se depara com as “futurices” da Claire! É muito engraçado, por mim poderia ter uma a cada episódio. Segundo, não poderia deixar de mencionar a cena em que o Jamie vê seus próprios espermatozoides, e confunde eles com germens. Caramba, esse Jamie me mata! Por fim, a cena da janela… É, parece que alguém está entrando na menopausa! E se formos contar a idade da Claire, está bem na época mesmo. Acho que teremos muito mais desses calorões no começo da próxima temporada.



E aí, curtiram a resenha? Comentem abaixo seus pensamentos sobre o episódio, e sobre a minha análise das cenas.  Um beijo a todos, e até a próxima.


Gisele Alvares Gonçalves