NoEDC.jpg
Buscar
  • D. C. Blackwell

Umbrella Academy retorna com 100% de originalidade e bizarrice - Resenha da temporada 2

Bem-vindos a mais uma resenha! A série da vez é Umbrella Academy, da Netflix, e é daquelas que a gente mata em um dia e passa os outros 364 em sofrimento velado e em completa abstinência. A segunda temporada, que lançou semana passada, aborda uma gama de aspectos políticos inerentes da sociedade e da história estadunidense sem perder o tom irônico e tragicômico que a torna especial. Umbrella Academy é, afinal de contas, uma história sobre famílias desajustadas e fraquezas que todos nós possuímos.



Instantaneamente após os eventos da primeira temporada, vemos os resultados imediatos dos esforços de Number Five para salvar o mundo – e sua família. Era óbvio que alguma coisa daria errado, eu só não imaginava que eles iriam parar nos anos sessenta, todos envoltos em situações que desencadeiam numa Terceira Guerra Mundial que exterminaria a raça humana muito antes do previsto pela Comissão. É interessante ver como as consequências dos eventos pré-viagem no tempo tomam forma: A Gestora, que sobrevive de maneira absurda, já não se guia mais pelos ideais da Comissão, e sim por seus próprios interesses e desejos de grandeza e vingança. Luther, que sempre quis unir a família, acaba sendo o menos interessado em tentar salvar o mundo novamente, e Vanya, que fez até o Number Five suar frio, perdeu a memória e vive uma vida pacata e alegre com Sissy, seu marido Carl e seu filho Harlan. Klaus, após superar todos os traumas da infância, lidera um culto, enjoa e decide correr atrás do amor e salvação do seu único e grande amor, Dave, que ainda não o conhecia em 1963.


O que é mais legal na construção dos personagens de UA é que eles estão em constante desenvolvimento, o que significa que eles podem evoluir ou ter recaídas ao longo das suas experiências, estas que são mais importantes que a trama de “evitar o fim do mundo de novo”. Allison, por exemplo, poderia muito facilmente usar seus poderes por aí sem se importar, mas ela não o faz porque ela sabe que pode perder a si mesma para a sede de poder e de controle que os rumores lhe dão. Não obstante, como líder política que ela se tornou, ela precisava tomar muito cuidado, porque absolutamente qualquer deslize poderia acarretar em prisão e morte de inocentes – e acho que cabe mencionar como a trama da Allison ainda é atual, especialmente nos últimos meses, nos quais tivemos mais de um episódio de violência policial e protestos contra o racismo.


A trama desta temporada se reinventa constantemente, nos tornando incapazes de imaginar como ela poderia terminar. Lembro de pensar, em determinado momento: “Vocês não podem deixar a Vanya em paz?” .Já estava surtando com a ideia de que ela fosse a vilã dessa temporada também, mas fui surpreendido por uma série de outras coisas que acabaram sendo muito mais interessantes que a trama dela, como, por exemplo, o mistério de como a mãe dos Hargreeves virou um robô e o que é Reginald, já que ao final da temporada vimos que humano ele não é. E quanto às outras crianças com poderes que estão perdidas por aí, será que veremos mais delas? Será que na próxima temporada descobriremos mais sobre como eles nasceram e por que?



Mesmo tendo alguns deslizes e forçações de barra ao longo da trama, Umbrella Academy mostra que tem originalidade de sobra e que o gênero de super-heróis é muito rico, sendo explorável de inúmeras maneiras além do clássico modelo Marvel. Me manteve de olhos arregalados todo o tempo sem deixar de me fazer apaixonar pela escolha sensacional de músicas, cada uma combinando perfeitamente com o momento e a emoção certa, mesmo quando se tratava de ironia... Esta temporada respondeu pouco e nos fez questionar muitas coisas! Espero ansioso para uma resolução dessas questões todas na terceira, além, é claro, de estar morrendo de curiosidade sobre como vai ser o Ben da Sparrow Academy. Nossa, que reviravolta no final!


Só de saber que vou esperar um ano inteiro para a próxima temporada, já me dá uma tristeza... E você? Também aguarda ansiosamente? Conta pra gente! Siga nossa página no Facebook e Instagram e fique sempre atualizade!