NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Zoey's Extraordinary Playlist - S1E10

E aí, extraordinários, tudo bem com vocês? Estamos batendo às portas do fim da temporada, e meu coração já vai ficando pequenininho de tristeza… Só mais dois episódios, dá pra acreditar em uma coisa dessas? Enfim, vamos secar as lágrimas e falar de coisa boa, pois esse episódio certamente foi maravilhoso! Bom, ao menos para os Soey shippers, como eu, afinal tivemos muito desenvolvimento deste casal.

Pra começar, Simon está solteiro agora, o que quer dizer que o romance dele com a Zoey pode empacar de vez, sem ser algo proibido ou pecaminoso. Bom, ele parece que se aproveitou bastante dessa situação, não é mesmo? Não perdeu tempo e já convidou a nossa ruivinha amada para ir no apartamento dele! Olha, eu nem posso começar a dizer o quanto eu estou feliz por não precisar mais me sentir uma pessoa horrível por shippar eles, mas antes tarde do que nunca, não é mesmo? Enfim, claro que toda aquela questão com a Jessica foi triste, e eu sei que ela ficou bem magoada e tal, mas não consigo parar de sentir… Alívio por ela não estar mais com o Simon, e imagino que ele deva estar sentindo essa sensação também. Já a Zoey… Bom, a Zoey estava uma bagunça, como sempre. Eu acredito que ela estava realmente triste pelo casal, mas como não ter uma parte de si gritando de alegria, quando o homem dos seus sonhos está solteiro novamente? Ainda assim, foi engraçado ver ela treinando com o Mo uma reação para algo que ela já sabia, tendo que fingir que nem sequer sonhava com este acontecimento. De novo, a nossa ruivinha não sabe reagir a emoções fortes, e acaba se atrapalhando toda. Mais engraçado ainda, no entanto, foi a real cara que a protagonista fez para o seu crush, tentando parecer surpresa, mas falhando miseravelmente. O legal é que, com o Simon, tudo se torna leve, e ele acaba ficando de boa com as esquisitices da Zoey. Os fãs de Max vão discordar de mim, é claro, mas aposto que, se fosse com este, o cara já ia ficar todo irritadinho com ela, fazendo mil perguntas incriminatórias sobre por que ela estava agindo assim. Ele iria querer saber por que ela não contou que já sabia, e ia dizer que amigos não escondem esse tipo de conhecimento de amigos, e bla bla bla. Sinceramente, não sei como tem gente que ainda shippa eles, se tudo o que sai da boca do Max é uma reprimenda para a Zoey.



Ok, parei de falar mal do cabeçudo! Nah, que nada… Vocês me conhecem, ainda vou falar muito mal dele, mas por enquanto quero deixar isso de lado e focar no Simon. Apesar de estar solteiro, parece que ele não estava em harmonia com a Zoey neste episódio, não é mesmo? E isso vai parecer um ponto positivo para Moey, mas eu realmente A-DO-REI o quanto toda essa trama foi real, sabe? Essas coisas acontecem, ainda mais com casais novos, que ainda tem muitos pontos a acertar, muitos acordos a fazer e muito a conhecer um do outro. Fala aí, você já namorou alguma vez? Já se casou? Se sim, você nunca teve aquela briga que quis matar o outro, de tanta raiva que ficou? Todo mundo já teve isso, com certeza! A questão é que o Simon não estava de birra, como o Max está, ele realmente ficou furioso com algo que a Zoey falou sem pensar. A raiva dele realmente teve fundamento.

Eles brigaram, se estressaram, mas nunca deixaram de gostar um do outro. Depois que a adrenalina baixou (aliás, quando a Mo rainha obrigou a adrenalina a baixar), eles sentaram e conversaram como gente, admitiram seus erros e seus defeitos, pediram desculpa e prometeram seguir em frente, ainda que de forma lenta e paciente. Gente, isso é lindo demais! Isso é a vida real, é como um casal saudável resolve as coisas. Nunca há um só lado culpado em uma discussão, então sim, os dois devem pedir desculpa, e procurarem melhorar aquilo o que irrita o outro, e foi o que aconteceu. Eles cresceram muito como pessoas neste episódio, e eu estou ansiosa para saber o que o futuro reserva para esses pombinhos. Pelo caminho que eles estão trilhando, do perdão e da honestidade, eu só espero bons frutos deste relacionamento. Apesar de feliz pela Zoey e o Simon, no entanto, fiquei profundamente triste ao ver o coração do Leif ser partido bem na minha frente. Eu shippei tanto estes dois! Aliás, shippo ainda, pois acredito que a Joan só está se fazendo de forte, levantando seus muros para se proteger do amor, uma vez que o último relacionamento dela foi um completo desastre. Quero acreditar que ela gosta sim do seu subordinado, porém não quer admitir esse sentimento nem para si mesma, e por isso ela terminou com o Leif ao saber que ele a amava, pois amar é se deixar vulnerável, e ela não está pronta ainda para isto. Bom, mas ao menos nós sempre temos um casal que não decepciona, não é mesmo? E este casal é Mitch e Maggie. Nossa, foi muito fofo o jantar deles, e ver eles cantando como se fossem dois namorados sempre aquece o coração. O pai da Zoey vai fazer falta quando se for, não é mesmo? Eu acredito que já não o teremos na segunda temporada, e vai ser muito triste ver a Maggie superar o luto pelo marido, eu tenho certeza. Mudando o assunto de pato para ganso, vamos parar de falar de amor! Precisamos conversar, é claro, sobre o tema principal do episódio, que foi a decisão do Max de ficar no sexto andar. Bom, a vida é dele, e claro que ele deve procurar tomar as melhores decisões para si mesmo, para alavancar a sua carreira e para ser mais feliz no ambiente de trabalho. Se você pensa que eu implico com tudo no personagem, você está errado, porque não vejo nada mais natural do que ele tomar uma decisão que só vai trazer vantagens para sua carreira. O que eu não gostei muito foi da atitude dele de não entregar o código para a Joan. Cara, isso é tão eticamente errado! Em primeiro lugar, porque a ideia de criar o chirp não foi dele… Foi do Leif. Em segundo lugar, porque o código não é dele, mas sim da empresa que o estava empregando até o momento. Só pensa nisso: Se você cria o design de um móvel, ou de uma roupa, para uma marca famosa, quem tem direitos de propriedade sobre a criação é a marca, ainda que ela dê os créditos para os designers. Assim, o lucro sobre aquela criação não é do funcionário… Ele é pago para criar, ou seja, o seu único bem é o seu serviço, e não as criações em si. Claro, foi errado da Ava também pedir isso do Max, mas já deu pra ver que a víbora joga baixo, e o homem não devia se envolver nesse veneno.



Ainda assim, foi divertidíssima a cena em que a Joan e a Ava estão cantando em dueto, mais como se fossem cowboys no velho oeste prestes a começar um duelo. Aliás, preciso neste instante elogiar fortemente a Reneé Goldsberry, a atriz que faz a víbora, afinal ela é talentosíssima, canta demais e tem uma atuação fora de série, além de ser obviamente belíssima. A Joan encontrou uma vilã à sua altura, não é mesmo? Que páreo duro! Apesar de achar que essa personagem é uma vaca sem escrúpulo, espero ver ela de novo nos próximos episódios, pois adoro uma personagem bitch que consegue apimentar as coisas.

Agora, vamos ser sinceros sobre algo… O Max achou injusto quando a Zoey falou aquelas verdades na cara dele, e chamou ele de egoísta. Em sua defesa, ele falou que sempre pôs a felicidade da Zoey acima da dele. É mesmo, Max? Porque não foi o que pareceu até agora. Desde o dia 1 em que ele se declarou ele só esculachou a pobre mulher, brigando com ela por ter recebido um não. Cara, até o Leif levou o “não” da Joan numa boa, e também o Simon, quando a Zoey decidiu se afastar dele por causa da Jessica. O Max estava realmente pensando no que era melhor para a Zoey? Porque eu acho que, se ele estivesse realmente com essa intenção, ele teria conversado com ela, dado conselhos para a amiga, ao invés de responder tudo o que ela falava como se fosse um furacão. Bom, deixei a semente da reflexão plantada, agora vou educadamente me retirar para ver se ela cresce. E aí, curtiram a resenha? Comentem abaixo seus pensamentos sobre o episódio, e sobre a minha análise das cenas. Um beijo a todos, e até a próxima.

Gisele Alvares Gonçalves