NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Zoey's Extraordinary Playlist - S1E9

Olá extraordinários, tudo bem com vocês? Hoje é dia de resenha de Zoey’s Extraordinary Playlist, ou seja… É dia de alegria! Afinal, como não ser feliz com uma série maravilhosa dessas, não é mesmo? Uma série que nos faz rir, que nos faz chorar, que nos incentiva a cantar desafinado junto com os artistas as nossas músicas preferidas, e que nos faz sentir as mais variadas emoções com sua trama bem construída e seus atores talentosíssimos. Ok, chega de babação de ovo, não é mesmo? Vamos ao que importa! Começando, é claro, com a participação mais do que especial dos artistas surdos-mudos, que completamente roubaram a cena em Fight Song.

Achei muito interessante o jogo de escolhas de músicas relacionados a este tema, afinal escutamos um falante cantar Sound of the Silence, e aqueles que não ouvem falarem sobre a sua música de luta, sendo que eles sequer escutam qualquer melodia. Foi uma escolha ousada, porém mais do que isso, foi uma decisão tomada por uma razão, para podermos pensar sobre a surdez de uma forma diferente, menos limitante. Vocês sabiam que existe poesia também na língua de sinais? Claro, é feita de forma bastante diferente do que os nossos poemas, as rimas constituindo-se de gestos semelhantes no final das orações. Eu lembrei disso ao ver tais artistas encenando Fight Song, imaginando se eles não estavam, na realidade, fazendo uma versão poética da canção. Como eu não conheço a arte em língua de sinais, eu não poderia dizer ao certo se foi este o caso, ou se foi apenas uma tradução literal da letra da música.

Essa equipe deu um show de atuação, não é mesmo? Além disso, a Abigail já conquistou o meu coração por ser uma personagem maravilhosa, e eu realmente gostaria de vê-la de forma regular em Zoey’s Extraordinary Playlist. Não sei se vocês pensam o mesmo, mas imagina que demais seria se ela se tornasse o par romântico do Tobin, que fofo que ia ser! Como eu disse na resenha anterior, eu acho que esse personagem tem um potencial incrível e está amadurecendo aos poucos, e eu acho ainda que ele vai nos trazer muitas surpresas boas no futuro. Talvez a Abigail seja a alavanca que vai impulsioná-lo para frente, que vai ajudá-lo a se tornar uma pessoa cada vez melhor e mais séria, e também genuinamente boa. De fato, vou ficar muito desapontada se tudo isso não acontecer… Felizmente, no entanto, eu confio cem por cento nos roteiristas para aproveitarem essa oportunidade de ouro que eles têm, e tornar essa história cada vez mais envolvente e cheia de emoções.



Dá pra confiar em uma equipe de roteiristas que nunca me desapontou, não é mesmo? Afinal, mesmo com toda aquela parada do beijo imoral entre Simon e Zoey, eles conseguem ainda fazer o meu coração balançar por este casal. Eu sei que eu disse que estava começando a shippar a nossa ruivinha com o Max, porém a birra dele pela indecisão da amiga está me dando nos nervos, fazendo eu achar que ele está sendo muito mimado, egoísta e injusto. Ficar de cara fechada perto dela só porque ela tem questões amorosas a resolver consigo mesma? É duro, hein! Enfim, também tem a questão do Simon ter uma química muito grande com a Zoey, e uma conexão emocional que, sinceramente, eu não acho que ela tenha com o Max. Os dois se completam, mas fizeram tudo errado, e eu não sei até que ponto isso pode ter estragado a chance deles pra sempre. Provavelmente é exatamente isto o que vai acontecer, afinal está muito óbvio que a série vai apostar no ship Moey.

Apesar de meus sentimentos Soey terem retornado, eu achei belíssima a cena do término entre Simon e Jessica, e também profundamente triste, afinal deu pra ver que eles também possuem uma conexão bem forte, por toda a história que viveram juntos e tal. A coreografia foi maravilhosa, de encantar os olhos, e emocionou até o último fio de cabelo, tendo sido tão bem performizada quanto foi. Sério mesmo, não tem nem como botar qualquer defeito nesse elenco, que sempre mostra um trabalho de alta qualidade em todos os departamentos artísticos. Agora o Simon está sozinho, sem nenhuma das mulheres por quem era apaixonado, e eu não posso deixar de achar isso muito deprimente, afinal ele deu o melhor de si em uma situação impossível. Ele foi fraco? Foi, mas quem no mundo não tem as suas fraquezas? Depois de tudo o que vimos neste episódio, eu tenho certeza que ele estava com as intenções mais puras o possível, assim como o Mo acabou por descobrir também.

Aliás, que cena incrível do Mo botando o Simon contra a parede, não é mesmo? Esse personagem é demais! É inteligente, perceptivo, ousado, e tem uma força e presença em cena que acaba roubando todos os holofotes para ele. Enfim, a questão é que, mais uma vez, o Mo estava certo: os sentimentos podem ser complicados às vezes, como a Zoey bem sabia, uma vez que ela também estava dividida entre duas pessoas. Apesar de ter uma conexão incrível com o Simon, no entanto, essa relação estava complicada demais para se tornar saudável, e o melhor que ela tinha a fazer mesmo era se afastar do homem, por mais triste que isso possa parecer (pra mim, ao menos, que shippo os dois desde o primeiro episódio).

Entre términos e corações quebrados, ao menos estamos vendo a Zoey amadurecer, e até se tornar mais aberta e confiante em suas relações pessoais, ao ponto de falar sobre a vida sexual do irmão sem nem ao menos hesitar, ainda que depois tenha se sentido envergonhada. Se fosse no começo da série, ela teria ido pra casa sem contar nada para o David, ainda jurando pra si mesma que jamais iria tocar no assunto da vida privada do irmão. Não sei se vocês pararam pra pensar sobre isto, mas a ruivinha falou de forma tão natural, e tão… cheia de gírias! Até parecia outra pessoa, e de fato ela talvez seja, alguém muito diferente do que quando a série começou. Gosto de acompanhar a evolução da personagem principal, e fico muito curiosa sobre o quão longe ela ainda pode chegar.



Agora, vamos combinar uma coisa… Que falta de comunicação existe entre o David e a mulher dele, não é mesmo? Pelo amor de Deus! Se ele achava que os seus “avanços” poderiam incomodar sua esposa durante a gravidez, porque ele simplesmente, sei lá, não perguntou pra ela? Aí fez ela obviamente se sentir não desejada, e acabou criando um problema totalmente ridículo entre os dois, quando a solução era tão simples. Sério, minha gente, nunca presumam saber o que a outra pessoa está pensando ou sentindo! Se vocês têm dúvida, antes de tomar qualquer atitude perguntem pelo que a outra pessoa está passando, e assim pode-se evitar muitos problemas com quem você ama.

Falando na Emily, que gesto mais fofo dela ao comprar a cadeira para o Mitch! Mais do que fofo… Foi um ato de quem já pertence à família, e que se importa com essas pessoas como se fossem seus próprios pais. Isso deu pra notar, também, na conversa que ela teve com a Maggie, em que ela falou sobre a sua vida sexual com o David com verdadeira facilidade. Eu, por um exemplo, não tenho nem cinco por cento da coragem dela pra falar sobre um assunto desses com a minha sogra! Mas eu acho bonita essa ligação que ela tem com os Clarkes, e espero ver mais cenas assim antes da temporada acabar.

Outra ligação que tem se provado muito bonita é a da Zoey com o Mo. Quero dizer, o cara é um baita de um amigo! Faz todo um malabarismo para ficar a sós com o Simon pra botar o dedo no nariz dele, além de cuidar da Zoey e até incentivá-la a fazer exercícios físicos, tudo para que a ruivinha pudesse se sentir melhor em relação às partes quebradas de sua vida. Sinceramente, eu queria ter um Mo na minha vida… Aliás, acredito que todos queríamos. Difícil é ser o Mo na vida de alguém.

Por fim, temos que falar sobre o Max indo trabalhar no outro andar do prédio. Eu fico feliz que ele tenha conseguido dar um passo importante para a sua carreira, sabe? Mas não deixo de pensar que, quando abriu a vaga de gerente na SPRQ Point, ele disse para a Zoey que não queria, e a única coisa que poderia ter feito ele mudar de ideia agora é a rejeição da ruivinha. Ok, ele tem todo o direito de querer se distanciar de sua amiga, já que ele não a vê mais assim e não possui esperança de que as coisas mudem, porém eu acredito que, no fundo, não foi apenas isso que o fez aceitar o novo emprego, mas também colaborou a raiva que ele está sentindo dela, e de certa maneira essa é a sua pequena vingança por ter sido escanteado. Acho isso certo? Não, mas nada no mundo me fará acreditar que não existe ressentimento nessa tomada de atitude do homem, afinal a gente viu a cara que ele fez na última conversa que teve com a protagonista. Espero sinceramente que ele peça desculpas para a Zoey depois que parar de se comportar como uma criança mimada, porque senão o ranço vai certamente dominar o meu coração. E aí, curtiram a resenha? Comentem abaixo seus pensamentos sobre o episódio, e sobre a minha análise das cenas.  Um beijo a todos, e até a próxima.

Gisele Alvares Gonçalves