NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Zoey's Extraordinary Playlist - S2E10


Olá, extraordinários… Estamos aqui novamente, com um episódio para lá de especial! Gente, mal consigo expressar em palavras o quanto estou amando esta trama da Emily. Sério, este era exatamente o tipo de drama que precisávamos após a morte do Mitch! E que cena in-crí-vel quando ela canta Insane Like Me, não é mesmo? Eu confesso que não gostava dessa música, mas depois da performance da Alice Lee eu acabei viciada nela, e na Alice. Essa mulher é muito apaixonante! E a coreografia da cena também me fisgou de jeito, levando a medalha de ouro como a música mais intensa de todo o episódio. Alguém mais se sentiu assim?


Só estranhei quando a Emily começou a dar mole para um cara aleatório na boate em que elas estavam… Estranho, mas não incoerente, afinal ela estava mesmo fora da casinha e essa cena apenas confirmou isso. Só fico me perguntando se os roteiristas têm intenção de levar esta trama adiante, ou se vão dar ela por encerrada agora que a Emily se abriu com a Zoey. Estou sentindo que, nos próximos episódios, a nossa japa preferida vai ficar um pouco de escanteio, dando lugar no palco para a Maggie voltar a brilhar com seu drama, dessa vez referente ao vício no jogo que ela está adquirindo. Também prevejo mais cenas com a Deb… O que é sempre uma alegria, afinal não tem como não gostar dessa mulher super alto-astral.



Interessante notar como, tanto no caso da Emily como no da Maggie, a série está se dedicando a mostrar como as pessoas recorrem à futilidade para solução de grandes problemas emocionais. Depressão é coisa séria, gente! E exige dedicação da pessoa para se autoanalisar, autocompreender e aceitar, tarefas que muitas vezes não são fáceis para nós. Por este mesmo motivo recorremos ao prazer fácil e rápido como medida de solução de nossas mazelas, sem saber que, ao fazer isto, estamos apenas alimentando elas, ao invés de procurar por sentidos de vida mais profundos e trabalhosos que poderiam nos curar.


Acho que o tema é muito pertinente, porém espero que aprofundem mais este debate, pois apesar de mostrar a situação, não creio que ela está sendo explorada em todo seu potencial. O mesmo caso da Maggie, viúva que ainda está em fase de luto, procurando a solução para suas dores no jogo e no mundo do glamour falso, onde cada um pode ser o que não é. Seria interessante se, através desse plot, fossem apresentados a nós conceitos mais profundos da psicologia, e que abordassem a questão sobre termos o costume de escondermos de nós mesmos aquilo o que nos magoa ou envergonha.



Mudando de saco para mala, vamos falar um pouco de romance! Gente, não consigo dizer o quanto eu amo a Zoey e o Simon juntos, e o quanto estou apaixonada por esse homem. Aliás, tem como não se apaixonar por ele? Porque eu não estou sabendo lidar com aquele sorriso e aquela vibe maravilhosa que o personagem exala. Quero ver o meu bebê sempre assim.


Dá uma pena porque ele quer estar mais perto da Zoey, todavia ela está muito envolvida com outras coisas ainda… Acho que a paixão ainda não bateu de jeito na ruivinha, mas eu tenho esperança de que esse momento ainda vai chegar. Provavelmente isso vai acontecer quando ela conseguir contar o segredo sobre seu dom musical para ele, pois somente neste momento ela vai conseguir se abrir também sobre os outros aspectos de sua vida para o namorado. Quando eles puderem compartilhar tudo e serem realmente parceiros na vida, não vai ter como esse relacionamento não se tornar cada vez mais forte! Claro, provavelmente vai dar uma treta no início, pois imagino que o Simon vai ficar magoado pela Zoey não ter confiado nele antes (o que eu acho completamente justificado), mas eu espero que logo ele perdoe a moça e os dois consigam tocar as coisas para frente, com ainda mais união e segurança do que antes.


Enfim, é isso, pessoal! Vamos encerrar por aqui, pois não estou nem um pouco afim de falar sobre Max e Rose, esse casal que é legalzinho, só que não… Acaba por não feder nem cheirar, e poderia simplesmente não existir que não atrapalharia nem um pouco a trama da série. Ainda assim, antes Rose do que Zoey, não é mesmo? Pronto, destilei o meu veneno, estou pronta para encerrar a resenha! Um beijo para todos vocês, nos encontramos nos comentários. Beijin, e até a próxima!