NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Zoey's Extraordinary Playlist - S2E2



Olá, extraordinários… Tudo bem com vocês? Mais um episódio da nossa série preferida liberado, e eu não poderia estar mais feliz! Bem, até poderia, se a Zoey estivesse procurando o Simon para uma noite sensual, e não o Max. Pois é, certas coisas não mudam nunca, e quanto mais fofa forem as cenas do ship atual, mais eu vou desgostar dele. Eu sei que muita gente pode estranhar este meu comentário, mas ele é muito verdadeiro: eu não gosto de ships fofos. Se bem que, né… Controlador como o Max é, logo surgirão os problemas entre eles, especialmente quando o ciúme do Simon começar a bater. Talvez, com isso, vai se tornar ainda mais clara a tendência manipuladora do personagem, e o fandom não vai mais achar tão fofo este relacionamento, dividindo opiniões em relação ao triângulo amoroso.


Ainda assim, confesso que as cenas hot entre Zoey e o Max são as melhores, exatamente porque são tão engraçadas! Foi tudo muito bem escrito, e os atores entraram de cabeça no modo comédia, tornando tudo muito interessante… Mesmo para quem não shippa eles. Também foi incrível ver a Zoey aceitar a nova experiência de sexo que o poder dela permite, abraçando a música e fazendo ela ser parte do momento. Sinceramente? Arrepios, e não tinha como ser de outra forma.


Bom, eu já falei exaustivamente em outras resenhas sobre o porquê da minha preferência pelo Simon, e sobre meus pensamentos a respeito do Max, então não irei me alongar muito a este respeito… Que tal, então, falarmos sobre uma personagem sobre a qual pouco eu comentei anteriormente, que é a Emily? Cara, eu fiquei apaixonada por ela neste episódio! Ela tem essa vibe de control freak charmosa, mulher bem-sucedida e durona, mas neste episódio só consegui pensar o quanto a atriz que interpreta a personagem, a Alice Lee, mandou bem na dança! Tudo combinou perfeitamente: o jeito moleca e sexy com que ela se apresentou, o tênis branco e o cabelo longo preso em um rabo de cavalo. Sério mesmo, se eu fosse homem eu me apaixonava por essa mulher em um piscar de olhos, ainda mais depois desta cena em que ela canta Poison.


Achei muito interessante essa nova interação que trouxeram a série, entre Emily e Jenna, e me pergunto se esta personagem veio para ficar. Sinceramente? Eu adoraria que ela ficasse, pois assim poderemos explorar muito mais sobre o passado e as relações familiares da minha bebê Emily! Ela já está há tanto tempo na série, e mal conhecemos a mulher… Está na hora dela abrir o jogo para os espectadores, de mostrar o que existe em seu mundo para além do casamento. Com o Mitch saindo da série, abriu mesmo uma vaga para mais um personagem no núcleo familiar, e eu adoraria que esta personagem fosse a Jenna.


Sobre o Mo… Bem, achei interessante o plot twist a respeito de suas inseguranças sobre o contrato. Eu mesma pensei que ele tinha certos traumas a respeito das pessoas traírem ele, quando na verdade era o oposto! Sabe, achei uma escolha bastante ousada dos roteiristas, afinal é muito raro colocarem defeitos deste quilate em personagens carismáticos, e por isso eu gostei mais ainda da escolha. A gente tem mesmo que quebrar o paradigma dos personagens perfeitos e bonzinhos, e tratá-los como eles são: seres humanos, que cometem erros e magoam outras pessoas. Aliás, a cena em que o Mo canta Too Good at Goodbyes foi incrível, e a dança do Alex Newell combinou perfeitamente com o momento.


Agora, vou dizer uma coisa que nunca havia passado antes pela minha mente, mas que passou a martelar no meu cérebro desde que meu marido me alertou para o fato: Mo e Max dariam um excelente ship. Cara, desde o primeiro contato entre eles o Max já confia completamente no Mo, a ponto de abandonar o seu casaco para trás e deixar o seu outfit nas mãos do vizinho da Zoey. Agora que eles pretendem trabalhar juntos, passam muito tempo um com o outro e decidem confiar um no outro, man… O vínculo passa a ser forte demais para ser ignorado. Sinceramente? Quero muito ver este ship acontecendo no futuro!


Falando em confiança… Só tem uma coisa com a qual não dá pra confiar no Mo, que é a sua habilidade como maquiador e cabeleireiro. Cara, que coisa horrível que ele fez com a Zoey! Ela pareceu saída de uma revista de mau gosto dos anos 80, sem contar que aquele cabelo não combinou em nada com o rostinho delicado da mulher. Bom, ao menos a cena rendeu boas risadas, se não de graça, ao menos de nervoso.



Já quanto à vida profissional da Zoey, cara… Só tragédia. Ainda assim, acho que a série retratou muito bem a falta de pulso que a protagonista tem, e como isso acabou por atrasar a resolução do problema que se apresentou em relação ao relógio. Aliás, caramba! Que relógio que dá problema, hein? Aparentemente, os caras erraram tudo ao lançar o produto, porque volta e meia a série nos mostra mais um problema a respeito do tal do relógio. Com tantas falhas, não sei como a SPRQ Point ainda não foi à falência de verdade!


Ainda assim, apesar do começo fraco da Zoey, gostei da forma como ela lidou com a situação, mudando certos membros da equipe e colocando mulheres no lugar. Sinceramente? Eu não teria pensado nisso, para minha grande vergonha! Eu teria demitido o Tobin, o que seria lamentável… Não para a empresa, mas para nós, espectadores, que amamos o personagem. Aliás, será que finalmente vamos ver ele ter um ship na série? Estou torcendo para que sim!


Como este episódio foi mais focado no Max e na Zoey tentando fazer sexo, no entanto, e também por ter focado mais no lado comédia, acabamos por perder um pouco na profundidade dramática que a série sempre nos proporciona. Confesso que senti falta de mais trabalho emocional e filosófico do roteiro, assim como senti falta de alguns personagens, como a Maggie, que basicamente não teve dilemas neste episódio, mas sim apareceu para solucionar o dilema dos outros. Também o George, personagem que tem despertado minha curiosidade desde a semana passada, serviu apenas como figurante, me deixando mais curiosa para conhecê-lo melhor.



Não me entendam mal, eu entendi as escolhas do roteirista! Não se dá para abraçar o mundo em 40min, e é necessário mesmo fazer certos recortes para cada episódio, assim como estabelecer um tema geral para o capítulo. Gosto da comédia da série, acho ela inteligente e afiada, e por isso gosto muito quando este lado é trabalhado. Além do mais, acredito que a dramaticidade vai voltar a todo vapor na próxima semana, com a elaboração dos problemas de relacionamento entre Zoey e Max (o que eu estou muito ansiosa para ver). O que eu quis dizer, então, é que eu estranhei o clima deste episódio, apesar de ter gostado, afinal ele foi muito diferente do que já estávamos acostumados na série.


Sempre tivemos muitas cenas dramáticas, em especial com a presença do Mitch, e agora que ele saiu do elenco eu não sei como a dramaticidade vai acontecer para além dos problemas amorosos da Zoey. Acho que, neste aspecto, ficamos com uma coluna na série que ainda precisa ser preenchida. Vai ser difícil encontrarem algo que mexa tão fundo conosco do que um pai moribundo, porém acho que os roteiristas vão ter que pensar em algo, e rápido! Afinal, é necessário manter o clima de drama da primeira temporada, ainda que com novos elementos. Talvez o George cubra este papel, ou a recém-chegada Jenna. Não sei, não vou arriscar fazer previsões aqui… Só vou deixar meu apelo para que os roteiristas não deixem a peteca cair, e não privem a série do que faz ela ser especial.


Falando em Simon… Estou ansiosa para vê-lo no próximo episódio! Afinal, a Zoey sempre teve uma conexão muito profunda com ele, e muitos dos melhores diálogos provinham dessa interação. Pelo que eu entendi, os roteiristas vão continuar explorando este lado, e não vão simplesmente ignorar o relacionamento entre eles apenas porque o Max é namorado da Zoey agora, o que eu acho mais do que justo. Quero continuar acompanhando os desabafos entre eles, a confidência, o trabalho emocional que um proporciona ao outro, e espero firmemente que este meu desejo seja realizado.


E aí, gostaram da resenha? O que acharam dos roteiristas terem focado mais na comédia neste episódio? E o que pensam a respeito do relacionamento entre Zoey e Max? Comentem abaixo, estou ansiosa para conhecer a opinião de vocês! Por enquanto, no entanto, vou dar um beijo e um queijo pra vocês, e um até breve… Esperando, com todo o meu coração, que possamos nos encontrar nas próximas resenhas. Até a próxima!