NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Zoey’s Extraordinary Playlist – S2E7



E aí, extraordinários do meu coração, tudo bem com vocês? Finalmente a nossa série musical preferida saiu do hiato, e o episódio voltou com tudo! Ok, a temporada ainda está com aquele sabor de “não sei para onde estou indo”, com historinhas semanais que acabam em si mesma e não geram um plot maior, porém eu gostei bastante deste episódio. É interessante notar que os roteiristas tentaram recuperar a questão que deu todo o tom emocional da primeira temporada, que foi o pai da Zoey, e por isso até alguns ciscos caíram nos meus olhos! Também é interessante notar como escantearam completamente a mãe da Zoey, sequer mencionando ela, e sinceramente? Não fez falta! A Maggie parecia mesmo um pouco jogada na história, tendo aquela nova repaginada da personagem como paisagista se desenvolvido em… Nada. Enfim, eventualmente ela vai ter que aparecer na série, ou ao menos vão ter que dar uma explicação sobre ela nunca estar em sua própria casa, senão vai ficar um furo de roteiro gigante. Até lá, vamos aproveitando o desenvolvimento dos outros personagens.


Vamos começar falando hoje, é claro, da própria Zoey, afinal a trama dela foi a mais emocionante. Achei incrível a questão da nostalgia que abordaram no episódio, e como a protagonista lidou mal com este sentimento no começo! Aliás, eu me identifiquei completamente com a ruivinha, afinal eu também sou uma pessoa muito nostálgica, e erroneamente tento recriar momentos passados, ainda que saiba que isso somente traz frustração. O que eu mais gostei, no entanto, foi do aprendizado da personagem, que se permitiu criar novas memórias boas e entendeu que o melhor a se fazer é aproveitar o presente, e deixar o passado onde ele está.


Momento desabafo: esse episódio teve todo um significado pra mim porque minha mãe sempre amou o céu, e o sonho dela era ter um telescópio. Ela estudava astronomia e me comentava sobre os fenômenos celestes, e muitas vezes eu já fiquei parada olhando o céu com ela, admirando as belezas da criação de Deus. Assim como a Zoey, eu também sinto falta de olhar o céu com a minha mãe. Não, ela não morreu, mas a vida mudou, sabe… Nós não moramos mais juntas, e o trabalho de cuidar de minha avó acamada não deixa tempo para ela estudar as estrelas, como ela fazia. Tudo muda, e aquele tempo bom da minha adolescência ficou no passado, virou lindas memórias para a minha coleção.


Agora, quanto ao David… Por mais que eu tenha adorado ver as cenas com a banda (de novo, memórias), eu não estou gostando nada do fato de que ele está querendo voltar a ser adolescente. Cara, sério? Eu nunca superei o fato de que ele deixou a mulher sustentando a família sozinha, achei muito injusto tudo isso, mas agora é um novo nível de injustiça que ele está fazendo. Quer dizer que, enquanto a Emily rala lá fora para sustentar os dois bebês da casa, sem poder curtir o filho e o marido direito, o David vai ficar brincando de tocar em banda, em vez de, no mínimo, procurar uma atividade rentável para ocupar seu tempo? Um tem toda a responsabilidade financeira, e o outro pode fazer aquilo o que o coração manda? Se eu fosse a Emily não deixaria isso acontecer, nunca!


Indo para a ala empreendedora da série… Gente, eu adorei tudo a respeito do Max e do Mo neste episódio! Ver o restaurante tão bonito, tão movimentado na sua estreia, encheu meu coração de orgulho pelos meus bebês! O Mo realmente tem um gosto impecável para decoração, e eles conseguiram pegar aquele lugar, que estava caindo aos pedaços, e transformar em algo incrível. Falando em gosto impecável, parece que o Mo vai ter mais um romance! E sinceramente? Eu achei esse cara dez vezes mais interessante do que o outro. Adorei o personagem, e espero que possamos ver mais dele ao longo da temporada.



Não apenas a questão do restaurante, no entanto, me deu orgulho dos personagens, mas também o fato de que eles apoiaram a Zoey quando ela precisou. Eu cheguei a chorar de emoção naquela cena! Eu sei como é sentir o que a Zoey sentiu, pensar que é um incômodo para as pessoas e tentar aguentar tudo sozinha. Nem sempre temos bons amigos para nos apoiar, como ela tem… E esse apoio é tão lindo que chegou a me deixar com lágrimas nos olhos. Meus bebês estão de parabéns por serem essas pessoas maravilhosas que eles são!


Não apenas eles, como o Simon também, que sempre está lá pra ajudar a Zoey… E talvez mais alguma coisa? Não sei se eu fui influenciada pelo teaser do próximo episódio, mas eu totalmente captei uma vibe de paquera entre o Simon e a ruivinha de novo. Olha, todo mundo aqui sabe que eles são meu ship oficial e tal, mas eu não sei se tentar resgatar esse casal é uma boa ideia, visto que já deixaram a coisa esfriar demais. Eu não vejo mais aquela tensão sexual maravilhosa que existia entre eles voltando de forma natural, sabe? Mas vamos ver o que os roteiristas aprontam, de repente eles dão uma dentro. Vamos torcer para que sim.


Por fim, tivemos o Leif e o Tobin arrasando nesse episódio com essa amizade linda. Nunca pensei que eu ia dizer isso, mas eles estão se tornando parte da lista dos meus personagens preferidos! Fiquei morrendo de pena do Leif e sua falta de sorte no amor… Acreditem em mim, apesar de estar casada e feliz agora, eu passei muito pelo que ele passou. “Encontros infelizes” era praticamente meu sobrenome a uma certa altura! Mas eu espero que o Leif encontre sua cara metade, e que seja muito feliz ainda! O cara é completamente entregue na paixão, ele é muito romântico, dá pra notar pelas músicas que ele canta, então espero que tudo acabe bem para ele um dia, assim como parece que está dando certo entre o Tobin e a McKenzie (isso parece crossover com Outlander, mas não é). Eu sei que eles não estão juntos, que ainda é só amizade, mas pra mim está na cara que os dois vão acabar tendo um lance, e eu estou ansiosa pra ver isso! Também quero que o meu menino Tobin seja feliz.



Além da parte dos romances, amei a interação que eles tiveram com a Zoey. Parece que eles estão virando parte oficial do grupinho de amigos, não é mesmo? Adorei a saideira do episódio, com todo mundo rindo e se divertindo, e me deu uma imensa vontade de sair com uma galera pra curtir por aí. É louco tudo isso, não é mesmo? Como a Zoey acabou juntando todo mundo! Mas eu espero que essa amizade coletiva vá adiante e que tenhamos mais momentos de curtição entre amigos, pois essas cenas sempre são valiosas para mim.


E aí, gostaram do episódio tanto quanto eu? O que acharam da interação do Tobin e do Leith com o resto do pessoal? Digam aí embaixo se vocês acham que essa amizade vai adiante, ou se foi coisa momentânea do capítulo. Estou ansiosa para poder trocar umas ideias com vocês! Enquanto isso, deixo um beijo e um queijo para todo mundo, e uma vontade imensa de que possamos nos encontrar nas próximas resenhas. Até a próxima!