NoEDC.jpg
Buscar
  • Gisele Alvares Gonçalves

Zoey’s Extraordinary Playlist - S2E9



Olá, extraordinários, tudo bem com vocês? Por aqui está tudo ótimo, ainda mais com um episódio maravilhoso destes! Sério, gente, foi o melhor episódio da temporada até agora, foi criativo e emotivo ao mesmo tempo, o que acabou por me deixar com muitas expectativas boas para o futuro. Será que vamos ter um episódio de bug nos poderes da Zoey por temporada? Eu espero que sim, e que cada bug seja mais estranho do que o último! Este, em particular, eu não achei tão engraçado quanto da vez em que a nossa ruivinha começou a cantar na frente do chefe da chefe, mas definitivamente este trouxe mais crescimento pessoal para a protagonista, uma vez que ela teve entender não apenas as emoções alheias, mas os seus próprios defeitos.


Outro fato que me fez A-MAR este episódio foi, é claro, ver a relação super fofa entre Zoey e Simon, fazendo eu ter esperança de que os roteiristas realmente desistiram da ideia de fazer o Max ser o OTP da nossa ruivinha. Cara, a interação deles é tão perfeita que mesmo eu, que geralmente odeio casais fofos, estou amando eles. Aquela cena quando eles acordam, nossa… Deu um quentinho no coração! Só estou um pouco chateada com o fato de que a Zoey AINDA não contou para o Simon que ela tem um superpoder. Sério mesmo? Só porque o Max reagiu mal (oh, que novidade) não quer dizer que o atual namorado dela vai ser babaca assim. Eles são pessoas diferentes (e bota diferentes nisso) e reagem às coisas de uma forma diferente. Sinceramente? Eu imagino que o Simon vai reagir mais ou menos da mesma forma que o Jamie Fraser reagiu ao descobrir que a Claire havia vindo do futuro em Outlander. Aliás, assista a esta série, pois ela é incrível, e não se esqueça de ler as nossas resenhas da quinta temporada!


Claro, mesmo tendo sido um episódio tão incrível, ele teve defeitos… Como quase tudo sobre o planeta Terra. Neste episódio, o núcleo que eu achei mais incoerente e chatinho foi o da médium. Além dela ser uma personagem completamente desinteressante, eu continuo achando absurdo que o Mo, protestante do jeito que ele é, acredite em espíritos. Não faz sentido! Eles odeiam superstição e acreditam apenas no céu e no inferno, sendo assim as almas não ficam vagando ao nosso redor. Essa é a visão deles, óbvio, eu penso bastante diferente, mas mesmo vendo o mundo de outra forma, eu gosto quando personagens protestantes são representados com fidelidade, e por isso todo esse misticismo do Mo me incomoda.



Bom, vamos falar um pouco de música? Começando, é claro, pela grande revelação do ano: Rocco Morris, o novo Michael Jackson. Ele interpretou o August Haskins, filho do novo namorado do Mo, e simplesmente me deixou com o queixo caído com a sua qualidade vocal e sua desenvoltura em tela. Sério, ele cantou Love on the Brain melhor que a Rihanna, sem discussão. Quero ver esse guri brilhar ainda! Algum produtor precisa descobrir ele, porque o guri é incrível.


A outra música que me impressionou demais foi Anyone, cantada (ou chorada) pela Emily. Gente, confesso que chorei junto! Foi muito incrível a profundidade que a atriz deu para a cena, sem contar que a música, por si só, é muito linda. Como eu podia não conhecer? Fico grata por Zoey’s Extraordinary por ter me apresentado a essa obra de arte.


Já deu pra perceber que eu amei o episódio, não é mesmo? E você, o que achou? Gostou tanto quanto eu? Deixe abaixo nos comentários tudo o que você está pensando sobre a série, e não se esqueça de dizer quais são suas expectativas para os próximos episódios. Estarei aguardando vocês! Até lá eu me despeço, deixo um beijo e um queijo para todos, e uma vontade imensa de que possamos nos encontrar em breve. Até a próxima!